Como a temporada 2018 da F1 alcança números históricos

As estatísticas do fim de semana da F1 no Azerbaijão, o quarto da temporada, apontam a maior distribuição de pontos entre pilotos e equipes da história. A Fórmula E tem fatos interessantes também

Equipe Grande Premium, de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre

 


A F1 2018 tem mostrado tanto valor que atingiu um grandioso recorde depois dos resultados do GP do Azerbaijão, o quarto do ano: dos 20 pilotos inscritos no campeonato, 18 já pontuaram, o que significa 90% do grid. É o melhor percentual da história, batendo a temporada de 2012.

Quem estão zerados ainda? Romain Grosjean, da Haas — uma vergonha, considerando o bom carro que tem —, e Sergey Sirotkin, da Williams — até poderia ter conseguido algo melhor em Baku não tivesse batido logo na primeira volta. 

Naquele ano de 2012, 18 pilotos também fizeram pontos entre as quatro primeiras corridas, mas naquele ano o grid tinha 12 equipes, 24 pilotos, portanto — 75%.

Ainda, todas as equipes inscritas no Mundial de Construtores deste ano também saíram do zero, outro recorde. Em 2016, foram 9 das 11 equipes — só a Sauber e a extinta Manor estavam com o pires na mão.
 

Quer ler esta matéria na íntegra?