Equipes e pilotos LMP2

Equipes e pilotos LMP2

Rodrigo Berton, de São Paulo &
Rodrigo Mattar, do Rio de Janeiro
.
.

TDS RACING

Sede: Saint-Aunès, França
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK 428 4,2 litros V8
Em 2017: 8ª colocada na LMP2
Vitórias: Nenhuma

A equipe francesa TDS Racing disputará sua segunda temporada no WEC após anos como protagonista no Europeu de Endurance. No ano passado, o time chefiado por Xavier Combet acabou apenas em oitavo lugar na classificação. Como novidade, a vinda de Loïc Duval, rápido e experiente ex-piloto da Audi na classe LMP1, para o lugar do veterano Emmanuel Collard, pode ser um ponto positivo para toda a Super Season.

Pilotos do carro #28


LOÏC DUVAL

12 de junho de 1982 (35 anos), Chartres, França
Graduação: Platina

36 provas
5 vitórias
18 pódios
Melhor resultado: campeão da LMP1 em 2013
Em 2017: 38º colocado no Mundial de Pilotos (0,5 ponto) e 28º colocado na LMP2 (6 pontos)

Campeão mundial de Endurance em 2013 junto aos hoje aposentados Allan McNish e Tom Kristensen, Loïc Duval busca o reinício da carreira nas provas longas após o fim da equipe Audi, em 2016. O piloto de 35 anos é o substituto do veterano Manu Collard na equipe TDS Racing e sem dúvida é um dos nomes mais fortes para a briga pela sucessão de Bruno Senna como campeão da LMP2. Nos últimos anos, chegou a se dividir entre WEC e Fórmula E (conquistou lá dois pódios), e teve uma temporada fraca no DTM como piloto da Audi em 2017.


FRANÇOIS PERRODO

14 de fevereiro de 1977 (41 anos), Singapura (naturalizado francês)
Graduação: Bronze

35 provas
3 vitórias
18 pódios
Melhor resultado: campeão da LMGTE-AM em 2016
Em 2017: 23º colocado no Mundial de Pilotos (15,5 pontos) e 14º colocado na LMP2 (55,5 pontos)

Chairman da Perenco, companhia de óleo e gás com operações em 16 países diferentes, François Perrodo é de uma das 10 famílias mais ricas de seu país – com um capital de US$ 7,6 bilhões. Assumiu o comando dos negócios de seu pai Hubert (morto em 2006) após formar-se em Física no St. Peter’s College, em Oxford. Quando jovem, foi capitão da equipe de Pólo na universidade e além do hobby com os cavalos, tem no automobilismo uma grande paixão. Pilota no WEC desde 2013 e foi campeão mundial da LMGTE-AM há dois anos, junto a Rui Águas e Manu Collard.

 

MATTHIEU VAXIVIÈRE

3 de dezembro de 1994 (23 anos), Limoges, França
Graduação: Ouro

15 provas
Nenhuma vitória
2 pódios
Melhor resultado: 9º colocado da LMGTE-AM em 2015
Em 2017: 24º colocado no Mundial de Pilotos (15 pontos) e 16º colocado na LMP2 (53 pontos)

O jovem (23 anos) Matthieu Vaxivière está no WEC desde 2015, com uma pausa ano retrasado – e nunca conseguiu fazer uma temporada completa na categoria. Invariavelmente, está envolvido em problemas físicos relativos a acidentes sofridos noutras categorias. Tenta quebrar este incômodo tabu em seu segundo campeonato defendendo a TDS Racing. Com um piloto experiente e igualmente veloz como Loïc Duval como companheiro, tende a evoluir em 2018.

.
.

RACING TEAM NEDERLAND

Sede: Katwijk, Holanda
Carro: Dallara P217
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2017: 11ª colocada no ELMS
Vitórias: Nenhuma

Estreante no Mundial de Endurance, a holandesa Racing Team Nederland tem vários desafios a cumprir: o primeiro, por ser a única equipe da Super Season a apostar no projeto Dallara – um carro rápido de reta, mas que ainda não foi capaz de bater os Oreca em pistas técnicas. O segundo, fazer uma boa campanha em suas primeiras aparições no WEC. 

O terceiro, mostrar que a organização financiada por Frits Van Eerd pode ir longe na categoria. O veterano Jan Lammers, que completa 62 anos em junho, fará sua despedida das pistas e o compatriota Nyck De Vries foi contratado para assumir o carro a partir de Silverstone junto a Giedo Van der Garde e Van Eerd.

Pilotos do carro #29


GIEDO VAN DER GARDE

25 de abril de 1985 (32 anos), Rhenen, Holanda
Graduação: Platina

4 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
Melhor resultado: 21º colocado da LMP2 em 2016
Em 2017: não competiu

Ele está de volta: após ficar fora da Fórmula 1, fazer um banzé com a Sauber, invocando um contrato assinado para a temporada 2015 e se consagrar campeão do ELMS em 2016, com algumas participações esporádicas no WEC pelas equipes G-Drive Racing e Tequila Patrón ESM, Giedo van der Garde regressa ao automobilismo via Racing Team Nederland, no primeiro ano de seus compatriotas no Mundial de Endurance. O piloto de 32 anos será o principal nome da escuderia na Super Season 2018/19.


JAN LAMMERS

2 de junho de 1956 (61 anos), Zandvoort, Holanda
Graduação: Bronze

Estreante
Em 2017: 17º colocado no ELMS (LMP2); 13º colocado nas 24 Horas de Le Mans

Um dos mais experientes dentre todos os pilotos inscritos no WEC para as primeiras provas, o holandês Jan Lammers fez de um tudo dentro do automobilismo. Foi campeão europeu de Fórmula 3, não vingou na Fórmula 1, mas consagrou-se campeão das 24h de Le Mans defendendo a Jaguar em 1988, além de correr no Japão (Fórmula 3000), Inglaterra (BTCC), EUA (Fórmula Indy) e até no Rali Dakar (de caminhão, inclusive). 

Ano passado, voltou aos protótipos para dar uma força ao amigo e compatriota Frits van Eerd no ELMS, além de dividir o cockpit em Sarthe com Rubens Barrichello. Perto de completar 62 anos, Lammers aposenta-se após a disputa das 24h de Le Mans, de que participará pela 24ª vez.


FRITS VAN EERD

25 de junho de 1967 (50 anos), Veghel, Holanda
Graduação: Bronze

Estreante
Em 2017: 17º colocado no ELMS (LMP2)

Dono dos supermercados Jumbo, amigo do ex-piloto Jos Verstappen e patrocinador do piloto da Red Bull Max Verstappen, Frits van Eerd faz do automobilismo o seu principal hobby fora dos negócios nos escritórios. Desbravou por múltiplas oportunidades as trilhas do Rali Dakar, navegando ao lado de Jan Lammers, na categoria dos Caminhões. Ano passado, deu o ambicioso passo de formação da primeira equipe holandesa de Endurance desde o fim da Racing For Holland, que correu até 2007. A campanha no ELMS não foi boa, mas Frits estreou em Sarthe com Lammers e Barrichello. E não comprometeu.


NYCK DE VRIES

6 de fevereiro de 1995 (23 anos), Sneek, Holanda
Graduação: Ouro

Estreante
Em 2017: 7º colocado na Fórmula 2

Fenômeno dos karts, tendo conquistado títulos do Mundial, do Europeu e do Alemão, Nyck de Vries fará sua estreia na Super Season do WEC em Silverstone, substituindo Jan Lammers. Até lá, o piloto de 23 anos estará na Fórmula 2 em sua segunda temporada por essa categoria – dessa vez defendendo a Prema by Theodore. Ano passado, venceu uma das etapas da rodada de Mônaco, defendendo a Rapax. Seu empresário é Anthony Hamilton, pai do tetracampeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton.

.
.

DRAGONSPEED

Sede: Signes, França e Delray Beach, EUA
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2017: 8ª colocada no ELMS
Vitórias: 1 no ELMS

A DragonSpeed aposta num programa duplo de LMP1 e LMP2 na sua estreia entre as equipes do WEC e tem boas chances de fazer um papel mais interessante em termos de resultados no Mundial na classe LMP2, principalmente pela velocidade do venezuelano Pastor Maldonado e por contar – a partir de Silverstone – com Anthony Davidson. Nathanaël Berthon foi contratado apenas para o início da temporada. O mexicano Roberto González garantiu “la plata” para o time estadunidense com sede francesa na Europa.

Pilotos do carro #31


ROBERTO GONZÁLEZ

31 de março de 1976 (42 anos), Cidade do México, México
Graduação: Prata

12 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
Melhor resultado: 18º colocado da LMP2 em 2017
Em 2017: 32º colocado no Mundial de Pilotos (7 pontos) e 18º colocado na LMP2 (46 pontos)

Apesar de ter alguma rodagem e experiência no automobilismo, com passagens inclusive pela extinta ChampCar, sem pouco brilho, é verdade, o mexicano Roberto González vai para sua segunda temporada consecutiva no WEC. Irmão mais velho de Ricardo González, antigo parceiro do brasileiro Bruno Senna, foi o primeiro piloto escolhido para a Super Season defendendo a DragonSpeed na classe LMP2. Ano passado, estava na Manor e o máximo que alcançou foi o 5º lugar em sua divisão nas provas de Xangai e do Bahrein.


PASTOR MALDONADO

9 de março de 1985 (33 anos), Maracay, Venezuela
Graduação: Platina

Estreante
Em 2017: não competiu

Tremei, adversários e fãs do Endurance: uma das personagens mais controvertidas do automobilismo nos últimos anos está de volta. Aos 33 anos, o venezuelano Pastor Maldonado buscará o recomeço na carreira após perder seu lugar na Fórmula 1, defendendo Williams – pela qual conquistou uma histórica e surpreendente vitória no GP da Espanha de 2012 – e também a Lotus. Na categoria máxima, foram 95 largadas e pelo menos mais de uma dezena de acidentes e carros destruídos. A fama de batedor é que pode ser o maior obstáculo ao bolivariano numa competição onde terminar as corridas é fundamental. Mas ele continua rápido: provou isso no Prólogo em Paul Ricard, com o melhor tempo entre os pilotos de sua categoria.


NATHANAËL BERTHON

1º de julho de 1989 (28 anos), Romagnat, França
Graduação: Ouro

3 provas
Nenhuma vitória
1 pódio
Melhor resultado:  22º colocado da LMP2 em 2016
Em 2017: 13º colocado no ELMS (LMP2) e 45º colocado no Blancpain Endurance Cup

Piloto de poucas aparições no WEC – três ao todo, somente – o francês Nathanaël Berthon fechou com a DragonSpeed para disputar as duas primeiras provas da Super Season em Spa e Le Mans. Em sua carreira, alcançou poucas vitórias nos monopostos, uma participação ruim na Fórmula E, além de alguns resultados razoáveis no Endurance, com quatro aparições nas 24h de Le Mans em seu currículo. O único título na carreira foi no Trophée Andros, competição de Rallycross no gelo e na neve, há dois anos. Disputará também o WTCR pela equipe Comtoyou.


ANTHONY DAVIDSON

18 de abril de 1979 (39 anos), Hemel Hempstead, Inglaterra
Graduação: Platina

41 provas
10 vitórias
19 pódios
Melhor resultado: Campeão da LMP1 em 2014
Em 2017: 3º colocado no Mundial de Pilotos (168 pontos)

Relegado ao status de piloto reserva da Toyota com a chegada de Fernando Alonso ao WEC e à Super Season, o britânico Anthony Davidson se arranjou para o restante da temporada após a disputa das 24h de Le Mans, para a qual ainda está escalado como regra três do construtor nipônico. O campeão do Mundial de Endurance em 2014 vai reforçar a equipe DragonSpeed a partir das 6h de Silverstone. Deve compor uma boa dupla com Pastor Maldonado nas qualificações e com sua experiência, ajudará muito a equipe de Elton Julian a fazer uma boa primeira temporada no Mundial.

.
.

SIGNATECH-ALPINE MATMUT

Sede: Boulogne-Billancourt, França
Carro: Alpine A470 (Oreca 07)
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2017: 3ª colocada da classe LMP2
Vitórias: 5

Campeã mundial da LMP2 em 2016, a Signatech-Alpine Matmut optou por privilegiar um único carro na Super Season, o que pode ser positivo para o time hoje sediado em Boulogne-Billancourt. A aposta é no veloz Nico Lapierre, que com André Negrão (grata surpresa do WEC em 2017), podem ajudar o time a reconquistar o cetro perdido ano passado. A dúvida está em Pierre Thiriet, o piloto que ajudará a complementar o orçamento da equipe.

Pilotos do carro #36


NICO LAPIERRE

2 de abril de 1984 (34 anos), Thonon-les-Baines, França
Graduação: Platina

37 provas
12 vitórias
25 pódios
Melhor resultado: campeão da LMP2 em 2016
Em 2017: 12º colocado no Mundial de Pilotos (60 pontos); 6º colocado na LMP2 (121 pontos)

Um dos mais talentosos, experientes e também temperamentais pilotos do lote de participantes do WEC, Nico Lapierre servirá à equipe de Philippe Sinault em sua terceira campanha na LMP2. Campeão da temporada 2016, ele também esteve na Toyota por um bom período e retornou ao time japonês ano passado. Em 2015, fez três provas pela KCMG. No último campeonato, fez sete provas pela equipe sediada em Boulogne-Billancourt, conquistando cinco pódios e um triunfo em Austin, nos EUA.


ANDRÉ NEGRÃO

17 de junho de 1992 (25 anos), Campinas, Brasil
Gradução: Ouro

8 provas
1 vitória
5 pódios
Melhor resultado: 5º colocado da LMP2 em 2017
Em 2017: 10º colocado no Mundial de Pilotos (62,5 pontos) e 5º colocado na LMP2 (132 pontos)

André Negrão ‘vestiu’ os carros de Endurance de uma forma que poucos imaginavam. Trocando os monopostos (passou por Fórmula Renault, GP2 Series, World Series Fórmula V8 e Indy Lights) pelos protótipos LMP2, o piloto nascido em Campinas fez uma grande temporada de estreia no WEC, somando cinco pódios em oito provas e a vitória em Austin como ponto alto de um campeonato com performances muito positivas. Como efeito, renovou seu compromisso com a Signatech-Alpine para a Super Season.


PIERRE THIRIET

20 de abril de 1989 (29 anos), Épinal, França
Graduação: Prata

7 provas
1 vitória
1 pódio
Melhor resultado: 13º colocado da LMP2 em 2017
Em 2017: 22º colocado no Mundial de Pilotos (16,5 pontos) e 13º colocado na LMP2 (70 pontos)

Vice-campeão em duas oportunidades (2012 e 2014) das 24h de Le Mans na classe LMP2, Pierre Thiriet é filho de um proprietário de uma empresa francesa de comida congelada, que leva o sobrenome da família e ajuda com um “dindim” o orçamento da segunda equipe do piloto no WEC. Ano passado, Pierre disputou sete das nove provas pela G-Drive Racing e ajudou a equipe de bandeira russa a conquistar a vitória nas 6h de Spa-Francorchamps, na Bélgica. Espera-se que siga colaborando sem comprometer os resultados da Signatech-Alpine na Super Season.

.
.

JACKIE CHAN DC RACING 

Sede: Frant, Inglaterra
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2017: vice-campeã da classe LMP2
Vitórias: 3

Com o suporte dos britânicos da Jota Sport, a Jackie Chan DC Racing foi uma grata novidade na última temporada do WEC. Quase ganharam em Le Mans na geral, venceram na categoria e só não levaram o título da LMP2 porque encontraram uma fortíssima oposição no trio do carro #31 da Rebellion, que levaria Julien Canal e Bruno Senna ao título. Em relação ao ano passado, muitas mudanças: só ficou mesmo o sino-holandês Ho-Pin Tung, em meio a um sem-número de malaios. A equipe também aposta numa jovem revelação francesa e traz Stéphane Richelmi de volta ao Mundial.

Pilotos do carro #37


JAZEMAN JAAFAR

13 de novembro de 1992 (25 anos), Kuala Lumpur, Malásia
Graduação: Ouro

Estreante
Em 2017: 4º colocado no Asian Le Mans Series (LMP2)

Vice-campeão da F3 inglesa em 2012 e do Blancpain Sprint Series há dois anos, o malaio Jazeman Jaafar é outra cara nova do WEC na Super Season 2018/19. O piloto de 25 anos estreou pela Jackie Chan DC Racing no Asian Le Mans Series e em apenas três oportunidades venceu uma corrida da série asiática, conquistou dois pódios e dois recordes de volta. Agora vai para o desafio da primeira temporada no Mundial de Endurance, como o principal nome de uma tripulação apenas de pilotos malaios.


WEIRON TAN

3 de dezembro de 1994 (23 anos), Kuala Lumpur, Malásia
Graduação: Prata

Estreante
Em 2017: 5º colocado no Asian Le Mans Series (LMP2)

Quarto colocado no Pro Mazda Championship, certame que disputou em 2015, conquistando quatro vitórias, o malaio Weiron Tan também estreia no WEC nesta Super Season pela Jackie Chan DC Racing. Também disputou a F3 europeia em participações esporádicas e no último Asian Le Mans Series, conquistou a vitória na disputa das 6h de Buriram, resultado que convenceu David Cheng, Jackie Chan e ao Team Jota para conseguir um contrato para ser titular no Mundial de Endurance.


NABIL JEFFRI

24 de outubro de 1993 (24 anos), Kuala Lumpur, Malásia
Graduação: Prata

Estreante
Em 2017: 23º colocado na Fórmula 2; 8º colocado no Asian Le Mans Series (LMP2)

Nabil Jeffri é o quarto dos pilotos malaios – todos estreantes – que a Jackie Chan DC Racing contratou para a Super Season do WEC. Aos 24 anos, ele vem de uma campanha parcial pela Eurasia no Asian Le Mans Series e de apenas dois pontos conquistados na última temporada da F2 pela Trident. No Europeu de F3 na GP2 Series, tampouco se destacou.


AFIK IKHMAN YAZID

8 de agosto de 1991 (26 anos), Kuala Lumpur, Malásia
Graduação: Prata

Estreante
Em 2017: 5º colocado no Asian Le Mans Series (LMP2)

Dono de um dos mais quilométricos nomes – Mohamad Afik Mohamad Ikhwan Yazid – do Mundial de Endurance, o piloto malaio de 26 anos também estreia no WEC em 2018/19 após passar pelo Asian Le Mans Series e terminar no top 5 da classificação final entre os pilotos da série asiática. Noutras categorias, Yazid somou os títulos do Lamborghini Super Trofeo Asia na classificação geral e entre os pilotos Pro-Am. Deve revezar com Nabil Jeffri na condução do carro durante a Super Season.

Pilotos do carro #38


HO-PIN TUNG

4 de dezembro de 1982 (35 anos), Velp, Holanda (naturalizado chinês)
Graduação: Ouro

18 provas
3 vitórias
6 pódios
Melhor resultado: vice-campeão da LMP2 em 2017
Em 2017: 7º colocado no Mundial de Pilotos (82,5 pontos) e vice-campeão da LMP2 (175 pontos)

O sino-holandês Ho-Pin Tung disputa na Super Season 2018/19 sua terceira temporada no Mundial de Endurance. Por incrível que possa parecer, nos monopostos o piloto de 35 anos jamais desempenhou as mesmas performances que com os protótipos, inclusive com a vitória nas 24h de Le Mans em sua classe ano passado, o 2º lugar geral na mítica prova francesa e o vice-campeonato de pilotos da LMP2. Nesta Super Season, será um dos pilotos mais experientes de sua escuderia.


GABRIEL AUBRY

3 de abril de 1998 (20 anos), Saint Germain-en-Laye, França
Graduação: Prata

Estreante
Em 2017: 5º colocado da Fórmula Renault 2.0 NEC e da Fórmula Renault Eurocup; 6º colocado no Asian Le Mans Series (LMP3)

Gabriel Aubry é outra das muitas apostas da Jackie Chan DC Racing no WEC, muito provavelmente movida pela ótima temporada do compatriota Thomas Laurent no último ano. Com apenas 20 anos, teve uma rápida carreira começando na Fórmula 4 e passando pelo Europeu e pelo campeonato NEC da Fórmula Renault para desaguar no Asian Le Mans Series. Com um protótipo LMP3 de sua atual escuderia no Endurance, fez meia temporada e venceu uma prova em Sepang junto a Guy Cosmo e Patrick Byrne. Além do Mundial de Endurance, participará da GP3 Series pela Arden.


STÉPHANE RICHELMI

17 de março de 1990 (28 anos), Monte-Carlo, Mônaco
Graduação: Ouro

9 provas
4 vitórias
7 pódios
Melhor resultado: campeão da LMP2 em 2016
Em 2017: Campeão do Asian Le Mans Series (LMP2); 10º colocado na Audi R8 LMS Cup

Filho de ex-piloto (o pai, Jean-Pierre Richelmi foi um especialista em provas de Rali), Stéphane Richelmi volta ao WEC após conquistar o título para a Jackie Chan DC Racing no Asian Le Mans Series. Em 2016, defendendo a Signatech-Alpine, conduziu o time francês junto a Gustavo Menezes e Nico Lapierre ao título mundial da LMP2. Nos monopostos, foi vice-campeão italiano de Fórmula 3 e teve uma passagem pela GP2 Series, com a 8ª posição como melhor resultado em 2013. 

.
.

LARBRE COMPETITION

Sede: Le Vigeant, França
Carro: Ligier JS P217
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2017: 7ª colocada no ELMS (LMGTE)
Vitórias: 3 na LMGTE-AM

Sob o comando de Jack Lecomte, a Larbre Competition é uma das mais tradicionais equipes do Endurance, com excelente histórico não só no WEC como também no FIA GT e em demais provas de Grã-Turismo. Mas como nem tudo são flores, o time sediado em Le Vigeant teve que fazer mudanças drásticas a poucos dias do início do campeonato.

Por conta da perda de um dos patrocinadores, o brasileiro Fernando Rees, primeiro nome anunciado para a Super Season, acabou dispensado para dar lugar a um piloto que complete o orçamento e num primeiro momento a solução foi caseira, optando por recrutar um piloto que já defendeu a equipe, somente para Spa-Francorchamps. Agora a situação da equipe francesa em relação aos demais times é de enorme incógnita.

Pilotos do carro #50


JULIEN CANAL

15 de julho de 1982 (35 anos), Le Mans, França
Graduação: Prata

42 provas
15 vitórias
26 pódios
Melhor resultado: campeão da LMP2 em 2017 
Em 2017: 8º colocado no Mundial de Pilotos (76 pontos) e campeão da LMP2 (186 pontos)

Julien Canal volta ao Mundial de Endurance – do qual estaria ausente na Super Season – para disputar (por enquanto) apenas a etapa de Spa-Francorchamps, pela Larbre Competition. A família do piloto de 35 anos é dona da franquia do McDonald’s que funciona dentro do circuito de Sarthe, o que possibilita o aporte financeiro da cadeia de fast-food, capaz de reintroduzi-lo à equipe na qual esteve nos primeiros anos da competição. Dentre os gentlemen drivers da LMP2, talvez esteja entre os mais rápidos. Para Le Mans, ele já tem compromisso com a equipe Panis-Barthez Competition, que defende no ELMS.


ERWIN CREED

15 de dezembro de 1980 (37 anos), Mission, França
Graduação: Bronze

Estreante
Em 2017: 12º colocado no European Le Mans Series (LMP3); 3º colocado do VdeV Endurance (Proto)

Novato no WEC, Erwin Creed começou a carreira tarde, aos 32 anos, no certame VdeV Challenge. Após passagens pelo campeonato Mitjet e pela Michelin Le Mans Cup, estreou ano passado na divisão LMP3 do ELMS, defendendo a equipe do veterano Yvan Muller com um protótipo Norma, conseguindo resultados bem razoáveis. No VdeV, terminou a última temporada em 3º lugar com um protótipo Norma M20FC.


ROMANO RICCI

10 de maio de 1978 (39 anos), Boulogne-Billancourt, França
Graduação: Bronze

Estreante
Em 2017: vice-campeão do European Le Mans Series (LMP3)

Romano Ricci estreia no Mundial de Endurance credenciado pelo vice-campeonato de pilotos na classe LMP3, conquistado junto a Antoine Jung e Alexandre Cougnaud, com quatro pódios em seis etapas. Ele regressou às pistas após 12 anos de afastamento, tendo conquistado junto ao pai Jean-Louis Ricci e a Thierry Perrier, o 4º lugar nas 24h de Le Mans na classe LMGT2, quando tinha apenas 22 anos. Retomou a carreira muito tempo depois no certame Mitjet 2L, participando também do Road To Le Mans e da Michelin Le Mans Cup.