Indy parte para temporada 2017 de 'Todos contra Penske'

A supremacia do time de Roger Penske tem tudo para ficar ainda maior na temporada 2017 com a mudança da Ganassi para a Honda, o congelamento de kits aerodinâmicos e a chegada de Josef Newgarden

Gabriel Curty, de São Paulo

A temporada 2017 da Indy começa neste final de semana em São Petersburgo. A pista de rua da Flórida vai novamente abrir os trabalhos do campeonato que, neste ano, conta com 17 etapas, uma a mais que em 2016.

Se no ano passado o calendário sofreu alterações consideráveis, a história não se repetiu para 2017. Todas as 16 etapas foram mantidas, com a única grande novidade ficando por conta do regresso do oval de Gateway, marcado para o final de agosto. Além disso, houve uma pequena mexida de datas que jogou Phoenix para o fim de abril, ficando entre Alabama e o GP de Indianápolis.

O regulamento vem com algumas novidades, a maior delas, sem dúvida, no que diz respeito à aerodinâmica. Por conta da discrepância entre Honda e Chevrolet, a Indy resolveu congelar os kits em 2017, preparando a categoria para uma padronização em 2018. Assim, o desenvolvimento das montadoras neste ano se reduz ao motor.

No grid da temporada, a maior novidade é negativa, ficando por conta da saída da KV. Enquanto isso, Ganassi e Foyt trocaram suas fornecedoras, com a primeira indo para a Honda e a segunda migrando para a Chevrolet. Desta forma, os americanos fazem os motores de Penske, Carpenter e Foyt, enquanto os japoneses cuidam de Ganassi, Andretti, Schmidt Peterson, Dale Coyne e RLL.

Quer ler esta matéria na íntegra?