Quase um detalhe

O treino classificatório para a Indy 500 é um dos grandes momentos da temporada. Por mais festejada que seja a conquista da pole, porém, largar na posição de honra raramente significa vencer a principal prova do calendário. A grande exceção é Rick Mears, vencedor de três edições em que largou em primeiro

Gabriel Curty, de São Paulo
É bem verdade que o Pole Day das 500 Milhas de Indianápolis é um dos momentos mais aguardados de toda a temporada da Indy e que garantir o primeiro lugar na principal prova do automobilismo americano, além de garantir pontos no campeonato, tem todo um glamour envolvido. Ainda assim, esportivamente falando, a vantagem de se largar em primeiro na Indy 500 é praticamente um mero detalhe.
 
Para se ter uma ideia de quanto a posição de honra no grid de largada em Indianápolis é quase irrelevante, a primeira vez em que um pole venceu a Indy 500 foi só em 1922, quando o americano Jimmy Murphy superou os rivais. A última também faz um certo tempo: foi o brasileiro Helio Castroneves, que faturou o terceiro anel no IMS em 2009.
Jimmy Murphy venceu em 1922 ao sair da pole
Motorsport Magazine
Ao todo, 18 pilotos largaram na pole e venceram a Indy 500 em 21 oportunidades. Desta forma, largar na primeira colocação foi chave para vitória em apenas 22,58% das corridas, ou seja, é quase que um pole ganhando no IMS a cada cinco edições. 
 
Mas é claro que sempre há aquela exceção. Nesse caso, dois pilotos que conseguiram largar na pole e vencer mais de uma vez. O primeiro foi Johnny Rutherford, que já havia triunfado no IMS em 1974 e venceu a Indy 500 em 1976 e 1980 após largar na pole.
Johnny Rutherford venceu a Indy 500 em 1976 e 1980
IMS
Porém, Rutherford é quase peixe pequeno perto de Rick Mears quando o assunto é poles em Indianápolis e vitórias após largar em primeiro. Um dos maiores vencedores da prova com quatro triunfos, Mears é disparado quem mais poles tem no IMS: seis. Além disso, o norte-americano tem um incrível aproveitamento de 50% de vitórias após poles.
 
A primeira vez de Mears com a combinação pole e vitória foi em 1979, já no alto de seus 28 anos. Depois, Rick ganhou em 1984, mas largando em terceiro. Em 1988 e 1991, já na parte final da carreira, o americano repetiu a dose, sendo que a última delas foi um verdadeiro duelo com Michael Andretti.
Mears puxando o pelotão no IMS
Getty Images
Em uma edição com um número absurdo de abandonos, apenas Mears e Andretti completaram as 200 voltas e, até seis voltas para o fim, brigavam palmo a palmo, quando a bandeira amarela saiu pela última vez da corrida. Mears relargou bem e se aproveitou de um ritmo bem melhor para apenas controlar Andretti e chegar ao topo da história da Indy 500 com quatro vitórias, três delas após poles.
 
Mears bem que tentou repetir a vitória em 1992, mas não se classificou tão bem - foi nono no grid - e deu muito azar na corrida, sendo atingido por Jim Crawford e batendo forte no muro, encerrando, assim, uma das trajetórias mais vitoriosas já vistas no IMS.
A festa de Mears com Roger Penske
Getty Images