A arrancada fulminante de Serra na Stock Car

Os números que Daniel Serra apresentou na primeira parte da temporada deste ano na Stock Car são avassaladores. Em nove corridas, todas no top-10, foram duas vitórias e nenhuma etapa fora da zona de pontuação. Uma performance ainda melhor que o início do ano do seu primeiro título

Fernando Silva, de Sumaré

A forma exibida por Daniel Serra na primeira parte da temporada 2018 da Stock Car impressiona. Depois de um ano que marcou a conquista de um título incontestável, o piloto da RC Eurofarma mostra que o domínio exercido em 2017 tem tudo para perdurar ainda por um bom tempo nas pistas do Brasil.

E quando se faz uma comparação lado a lado entre os números obtidos por Serrinha no início da sua campanha rumo ao título no ano passado e neste ano, nota-se uma força ainda maior no combinado das nove corridas deste ano.

Ao GRANDE PREMIUM, em entrevista exclusiva a ser publicada neste mês, Serra revelou que um dos maiores méritos nesta primeira parte do campeonato é conseguir somar bons pontos em todas as corridas do calendário, não apenas na primeira e principal, mas também na segunda.

Afinal, Daniel não zerou em nenhuma prova até agora — sendo o único piloto com pontos em todas as corridas até agora em 2018, sendo todas no top-10, o que é ainda mais impressionante —, e isso vem sendo determinante para o ‘acúmulo de gordura’ na comparação com os adversários.


Quando se faz um comparativo com a temporada passada, no entanto, é preciso fazer algumas ponderações. A primeira parte do campeonato deste ano, antecedendo a Corrida do Milhão — que só vai acontecer em 5 de agosto, em Goiânia — teve nove provas, sendo que uma delas, a Corrida de Duplas, rendeu 20 pontos ao vencedor — o próprio Serra, ao lado de João Paulo de Oliveira. Nas outras, foi distribuída a pontuação normal: 30 tentos ao vencedor na corrida 1 e 20 na segunda disputa.

Em 2017, foram oito as corridas na primeira parte do campeonato antes da prova milionária, obedecendo à mesma pontuação desta temporada. No total, em oito corridas no ano passado, 200 pontos estiveram em disputa, contra 220 desta primeira fase de 2018.

E aí, mesmo com 20 pontos a mais em jogo neste ano, Serra destoa. Em 2017, por exemplo, o filho de Chico Serra somou um total de 112 pontos e era o vice-líder antes de vencer a Corrida do Milhão, ficando 14 tentos atrás de Thiago Camilo. E enquanto TC21 tinha pontos em todas as provas, Daniel havia zerado em duas. No fim das contas, a arrancada para o título de Serrinha se deu mesmo na segunda parte do campeonato, justamente a partir do triunfo milionário em Curitiba.

Desta vez, o cenário se inverteu. Ainda mais eficiente e regular em relação ao início da temporada passada, Serra ficou abaixo dos 30 pontos por etapa apenas em duas oportunidades: a primeira, obviamente, quando estiveram em jogo os 20 pontos com a vitória na Corrida de Duplas, e na segunda etapa, com os 29 pontos somados na rodada dupla de Curitiba. Depois foram 31 tentos no Velopark, 36 em Londrina — sendo o segundo maior pontuador — e os mesmos 36 em Santa Cruz do Sul.

Duas vitórias, um total de seis pódios, nove (todas as corridas) no top-10 e 152 pontos no campeonato, abrindo incríveis 43 de vantagem para o vice-líder, Marcos Gomes.

Com um início tão forte e uma diferença tão grande na frente, já é possível dizer que Serra pavimentou boa parte do seu caminho rumo ao bicampeonato da Stock Car. Mesmo ainda restando nove etapas e 12 corridas para o desfecho de uma temporada que lhe vem sendo especialmente dourada.
 

Um começo de respeito em 2017


Corridas: 8
Pontos em jogo: 200
Vitórias: 1
Pódios: 2
Presenças no top-10: 6
Provas fora dos pontos: 2
Total de pontos: 112
Posição: vice-líder (14 atrás de Thiago Camilo)

Etapas antes da Corrida do Milhão

A arrancada fulminante em 2018


Corridas: 9
Pontos em jogo: 220
Vitórias: 2
Pódios: 6
Presenças no top-10: 9
Provas fora dos pontos: nenhuma
Total de pontos: 152
Posição: líder (43 à frente de Marcos Gomes)

Etapas antes da Corrida do Milhão