Pré-Indianápolis 2017 x Pré-Indianápolis 2018

A Indy tem alguns capítulos dentro de sua temporada. O primeiro deles é escrito até a quarta etapa, a última antes do início da maratona de atividades em Indianápolis. E o GRANDE PREMIUM apresenta números do primeiro capítulo de 2017 e de 2018

Gabriel Curty, de São Paulo

A Indy inicia neste sábado a maratona de atividades em Indianápolis que se encerra no último final de semana de maio com a Indy 500. Assim, pode-se dizer que é o começo do segundo ato da temporada 2018.
 
Até aqui, Josef Newgarden e Alexander Rossi dominam as ações do campeonato e, certamente, entram como favoritos à vitória na Indy 500. No entanto, outros nomes como Sébastien Bourdais, James Hinchcliffe e Graham Rahal também vivem boas fases.
 
O GRANDE PREMIUM resolveu fazer um aquecimento para as duas corridas disputadas no Indianapolis Motor Speedway e comparou os resultados do primeiro capítulo de 2017 com o de 2018.
O primeiro ato de 2017
 
- Pontuação do líder: 159 (Pagenaud)
- Pontuação do vice: 141 (Dixon)
- Pontuação do terceiro: 133 (Newgarden)
- Pontuação de Rossi: 75 (12º)
- Pontuação de Power: 91 (7º)
- Vencedores diferentes: 4 (Newgarden, Pagenaud, Bourdais e Hinchcliffe)
- Pilotos diferentes no pódio: 7 (Newgarden, Pagenaud, Bourdais, Hinchcliffe, Dixon, Power e Hildebrand)
- Equipes diferentes vencendo: 3 (Penske, Dale Coyne e Schmidt Peterson)
- Equipes diferentes no pódio: 5 (Penske, Dale Coyne, Schmidt Peterson, Ganassi e Carpenter)
- Poles diferentes: 2 (Castroneves e Power)
- Equipes na pole: 1 (Penske)
- Vitórias de Dixon: 0
- Pódios de Dixon: 2
O primeiro ato de 2018
 
- Pontuação do líder: 158 (Newgarden)
- Pontuação do vice: 145 (Rossi)
- Pontuação do terceiro: 119 (Bourdais)
- Pontuação de Pagenaud: 66 (15º)
- Pontuação de Power: 81 (10º)
- Vencedores diferentes: 3 (Newgarden, Rossi e Bourdais)
- Pilotos diferentes no pódio: 9 (Newgarden, Rossi, Bourdais, Rahal, Hinchcliffe, Hunter-Reay, Wickens, Power e Jones)
- Equipes diferentes vencendo: 3 (Penske, Andretti e Dale Coyne)
- Equipes diferentes no pódio: 6 (Penske, Andretti, Dale Coyne, RLL, Schmidt Peterson e Ganassi)
- Poles diferentes: 4 (Newgarden, Rossi, Bourdais e Wickens)
- Equipes na pole: 4 (Penske, Andretti, Dale Coyne e Schmidt Peterson)
- Vitórias de Dixon: 0
- Pódios de Dixon: 0

Nos dois anos, o único piloto que conseguiu manter-se no topo foi Newgarden, com Rossi e Simon Pagenaud basicamente invertendo papéis. Enquanto isso, Will Power repete exatamente o enredo de altos e baixos.
 
Chama a atenção como os novos kits aerodinâmicos embolaram o grid. Prova disso é que quatro pilotos de quatro equipes diferentes já cravaram poles em 2018, enquanto que em 2017 só a Penske havia saído na posição de honra até o GP de Indianápolis.
 
Por outro lado, por mais que líder e vice tenham pontuação parecida com a do ano passado, a distância de Newgarden e Rossi para o terceiro colocado Bourdais é bem maior que a que Pagenaud e Scott Dixon tinham para o próprio Newgarden em 2017.
 
Aliás, é interessante também analisar as campanhas de Dixon. Tudo bem que o neozelandês também estava zerado em vitórias em 2017, ano em que lutou pelo título até o fim, mas o desempenho em 2018 é bem inferior na pontuação e até nos pódios.