Siga-nos

10+

As melhores estreias entre equipes na história da F1

Diante do grande resultado da Haas na Austrália, o GRANDE PREMIUM remexeu no baú da F1 para ver as escuderias que tiveram êxito no seu começo

A temporada 2016 da F1 começou, e finalmente temos uma equipe estreante digna que não fará papelão, que é a Haas. Porém, nem sempre o resultado na corrida de estreia determina o sucesso de uma equipe, como mostraremos abaixo.

Quando se falam em grandes estreias, sempre falam da Brawn GP em 2009, a mais recente, e pouco falam do resto — OK, os mais decanos lembram da Wolf, mas também é só. Por isso, fizemos uma grande pesquisa para mostrar os dez melhores desempenhos em uma estreia.

A grande dúvida paira sobre a Manor: no ano passado ela foi Manor Marussia, mas neste ano é só Manor, então esta prova contaria como a primeira, certo? Pois alguns sites de estatísticas, como o Forix, contam a Manor ainda como Marussia.

Ah, e essa lista não possui nenhuma ordem específica.

1) Brawn

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

GP da Austrália de 2009
Pilotos: Jenson Button e Rubens Barrichello
Melhor grid: primeira fila com Button na frente
Melhor resultado: dobradinha com Button na frente

Basicamente um drama de novela mexicana com final de cinema. A virada começou em Melbourne. A partir dali, mais seis vitórias nas sete corridas seguintes praticamente dariam o título daquele ano para Button
(Red Bull, Austrália, 2005, David Coulthard)

2) Wolf

 

GP da Argentina de 1977
Piloto: Jody Scheckter
Grid: 11º
Resultado: 1º

Uma estreia com um desempenho tão fantástico que se repetiria outras duas vezes naquele ano, mas não com tanta magnitude quanto esse. Mas foi o suficiente pra fazer história. Brawn e Wolf figuram no topo da lista por serem equipes independentes.
(Wolf, Canadá, 1997, Jody Scheckter)

3) Mercedes

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

GP da França de 1954
Pilotos: Juan Manuel Fangio e Karl Kling
Melhor grid: primeira fila com Fangio na frente
Melhor resultado: dobradinha com Fangio na frente

Quando se é montadora o desempenho bom já é esperado, mas a Mercedes fez questão de impressionar e poderia ter feito ainda melhor se Fangio não tivesse abandonado.
(Juan Manuel Fangio, Mercedes, 1954)

4) Alfa Romeo

 

GP de Mônaco de 1950
Pilotos: Juan Manuel Fangio, Nino Farina, Luigi Fagioli e Reg Parnell
Melhor Grid: quadra (Farina, 1º; Fagioli, 2º, Fangio, 3º, Parnell, 4º)
Melhor resultado: trinca (Farina, 1º; Fagioli, 2º, Parnell, 3º)

Tudo bem que esta foi a primeira corrida da história da F1, mas a Alfa pode e deve entrar nesta lista tamanha a qualidade de seu time.
(Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo, 1950)

5) Ferrari

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

GP de Mônaco de 1950
Pilotos: Luigi Villoresi e Alberto Ascari
Melhor grid: Villoresi, 6º
Melhor resultado: Ascari, 2º

Ao contrário do que muitos pensam, a Ferrari não esteve presente na primeira etapa do ano, mas estreou na segunda com estilo.
(Ferrari, 1950)

6) Gordini

 

GP da Suíça de 1952
Pilotos: Jean Behra e Robert Manzon
Melhor grid: Manzon, 3º
Melhor resultado: Berha, 3º 

A Gordini até que mandou bem em seu ano de estreia colocando Manzon em sexto no mundial, mas ela teve o azar de estrear com uma Ferrari já dominante (ela fez trinca no resultado final do campeonato de pilotos com Ascari, Farina e Taruffi).
(F1, Gordini, 1952 )

7) Red Bull

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

GP da Austrália de 2005
Pilotos: David Coulthard e Christian Klien
Melhor grid: Coulthard, 5º
Melhor resultado: Coulthard, 4º

Foi uma estreia bem decente, levando que a prova teve somente três abandonos. Com Klien chegando em quinto, foi o melhor resultado daquela temporada.
(Red Bull, Austrália, 2005, David Coulthard)

8) March (construtora e equipe)

 

GP da África do Sul de 1970
Pilotos: Jackie Stewart, J Servoz-Gavin, Mario Andretti, Chris Amon e Jo Siffert
Melhor grid: Stewart, 1º
Melhor resultado: Stewart, 3º

Aqui pode rolar uma confusão, pois a March tinha time próprio com Amon e Siffert, mas fornecia chassis para a Tyrrell de Stewart e Servoz-Gavin, além da STP de Andretti. De todos, só Stewart terminou, o resto teve problema de motor ou superaquecimento.
(March, Jackie Stewart, 1970)

9) Talbot

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

GP da Inglaterra de 1950
Pilotos: Y.G. Cabantous, Louis Rosier, P Etancelin, Eugene Martin e Jonny Claes
Melhor grid: Cabantous, 6º
Melhor resultado: Cabanos, 4º

De todas as marcas que disputaram a primeira prova da história, ela foi a que teve o menor percentual de quebra – um dos quatro carros não terminou – e colocou quatro carros entre os 11 melhores.
(Eugène Martin with his Talbot T26)

10) Haas

GP da Austrália de 2016
Pilotos: Romain Grosjean e Esteban Gutiérrez
Melhor grid: Grosjean, 19º
Melhor resultado, Grosjean, 6º

A Haas não teve o melhor resultado no grid — ficou só à frente da Manor —, mas conseguiu um feito histórico na corrida: andar no ritmo de Force India e Williams, chegando bem diante de Nico Hülkenberg e Valtteri Bottas.
(Romain Grosjean, Haas, Austrália, 2016)

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect