Siga-nos

10+

Radio check

As mensagens de rádio durante as transmissões da Fórmula 1 completaram 15 anos em 2019. O 10+ relembrou alguns dos momentos mais cômicos, dramáticos, curiosos e marcantes dessa marca registrada da categoria

O dia 12 de maio de 2002 ficará eternamente marcado como um dos dias mais vexatórios e escandalosos da história da Fórmula 1. Com Rubens Barrichello entregando a vitória para o companheiro de equipe Michael Schumacher na linha de chegada, a categoria tomou decisões para o futuro, como o banimento das ordens de equipe e a introdução das mensagens de rádio nas transmissões oficiais, em 2004.

Nestes 15 anos, o rádio se popularizou, aproximando os fãs das personalidades dos pilotos. Não tem como esquecer alguns momentos rabugentos de Kimi Räikkönen e Fernando Alonso, além de outros dez momentos marcantes das mensagens na Fórmula 1, que serão lembradas no texto de hoje, em ordem cronológica.

“Acabou. Hamilton é sétimo. Pelos meus cálculos, ganhamos o campeonato por um ponto”, Chris Dyer (Kimi Räikkönen)

A mensagem pode não ser das mais engraçadas ou curiosas, mas representa um dos títulos mais improváveis da F1 recente. O engenheiro Chris Dyer comunicou Kimi Räikkönen que com o sétimo lugar de Lewis Hamilton no GP do Brasil, o finlandês era campeão mundial de 2007, recuperando uma desvantagem de 17 pontos após o GP da China.

“Fernando é mais rápido que você. Pode confirmar que entendeu esta mensagem?”, Rob Smedley (Felipe Massa e Fernando Alonso)

Oito anos após o ocorrido da Áustria, a Ferrari novamente protagonizou ordens de equipe, e agora de forma muito mais clara para os fãs por conta da presença do rádio. Felipe Massa liderava o GP da Alemanha de 2010 desde a excelente largada que fez, mas recebeu ordem do engenheiro Rob Smedley, de forma indireta, para dar passagem ao companheiro de equipe Fernando Alonso, que brigava pelo título. A manipulação do resultado rendeu uma multa para a equipe de Maranello.

“Me deixe sozinho, eu sei o que estou fazendo”, Kimi Räikkönen (Kimi Räikkönen)

Kimi Räikkönen se encontrou na liderança do GP de Abu Dhabi de 2012 ao ver Lewis Hamilton abandonar com problemas no carro. Foi a primeira vitória do finlandês desde o seu retorno à F1, que ficou marcada pela resposta dada ao engenheiro Simon Rennie, que informou o piloto sobre a vantagem para o segundo colocado Fernando Alonso. O folclórico Räikkönen também disse “Tá bem, tá bem. Você não precisa me lembrar disso de 10 em 10 segundos” quando recebeu instruções para aquecer os pneus.

“Multi 21”, Guillaume Rocquelin (Mark Webber e Sebastian Vettel)

As ordens de equipe foram pivô da mensagem emitida pelo engenheiro Guillaume Rocquelin, o ‘Rocky’, mas agora pelo fato de ter sido desrespeitada por um dos pilotos. Mark Webber liderava o GP da Malásia de 2013 com Sebastian Vettel em segundo. Os dois pilotos tinham folga para o terceiro colocado. Rocky comunicou Vettel para manter as posições (O carro 2, de Webber, na frente do 1) em uma linguagem diferente, mas o então tricampeão mundial partiu para o ataque e venceu. Na sala pré-pódio, Webber cobrou o companheiro por ignorar o pedido da equipe.

Anos mais tarde, o chefe Christian Horner revelou que a atitude de Vettel foi um troco em Webber após ser espremido na largada do GP do Brasil de 2012.

“Motor de GP2. Motor de GP2”, Fernando Alonso (Fernando Alonso e Max Verstappen)

É claro que Fernando Alonso não poderia se ausentar desta lista. No GP do Japão de 2015, o bicampeão do mundo foi ultrapassado por Max Verstappen por fora na entrada da curva 1. O espanhol reclamou abertamente do motor Honda, comparando aos utilizados na GP2. O rádio pegou bastante mal com a montadora, que estava em sua ‘corrida em casa’, em Suzuka.

“Se eu não saio da frente, ele vai direto no meu carro. Honestamente, o que estamos fazendo aqui? Correndo ou jogando ping-pong?”, Sebastian Vettel (Sebastian Vettel e Daniel Ricciardo)

2016 foi um ano que mostrou Sebastian Vettel bastante irritado em diversas situações, e uma delas aconteceu no GP da Espanha. O alemão era terceiro colocado quando viu Daniel Ricciardo mergulhar por dentro na curva 1. Os dois se tocaram, e o australiano saiu no prejuízo, com um pneu furado. Vettel não gostou da postura do piloto da Red Bull, e perguntou se estavam em uma partida de ping-pong.

“Quer saber? Aqui tem uma mensagem para o Charlie: vai tomar no cu”, Sebastian Vettel (Sebastian Vettel e Daniel Ricciardo)

E tem mais Vettel! No GP do México de 2016, o alemão brigava com Max Verstappen pelo terceiro lugar nas voltas finais. O holandês da Red Bull cortou a chicane na curva 1, e sabendo que seria punido, começou a segurar a Ferrari para a aproximação do companheiro Daniel Ricciardo, o que causou a ira do tetracampeão. Quando o engenheiro Ricciardo Adami informou que o caso foi entregue para Charlie Whiting, Vettel se revoltou de vez com o diretor de provas.

Maurizio Arrivabene, chefe de equipe na época, entrou no rádio para acalmar o piloto, que levou uma punição por bloquear a passagem de Ricciardo e posteriormente se desculpou com Whiting, com quem tinha uma grande relação.

“Cinco segundos é uma piada. Uma piada. Que piada, os cinco segundos” e “Karma”, Fernando Alonso (Fernando Alonso e Jolyon Palmer)

Fernando Alonso foi a estrela do GP da Itália de 2017, pelo menos nas conversas com a equipe. O piloto reclamou bastante da punição que Jolyon Palmer ganhou por cortar a chicane na disputa entre os dois. Alonso achou muito branda, e classificou os cinco segundos adicionados ao tempo como piada.

Posteriormente, o espanhol perguntou ao engenheiro sobre a posição de Palmer na pista, e citou o karma ao descobrir que o inglês da Renault abandonou.

“Dentro, dentro, dentro”, Peter Bonnington (Lewis Hamilton)

O GP da Alemanha de 2018 será eternamente lembrado como uma das grandes vitórias de Lewis Hamilton, mas a polêmica também apareceu. Durante o período de safety-car, o engenheiro Peter Bonnington pediu para Hamilton entrar nos boxes. O pedido foi acatado, mas ao perceber que o líder Kimi Räikkonen permaneceria na pista, o inglês cortou a entrada do pit-lane pela grama e retornou para a pista, o que rendeu um pedido desesperado do engenheiro, que entendeu rapidamente que a decisão foi acertada.

“Valtteri, aqui é James”, James Allison (Lewis Hamilton e Valtteri Bottas)

Um dos memes mais recorrentes entre os fãs de Fórmula é o “Valtteri, it’s James”. A origem da mensagem é no GP da Alemanha de 2018, quando o engenheiro James Allison pediu para que o finlandês não atacasse o companheiro de equipe Lewis Hamilton, mas a popularização veio meses depois, na Rússia. Bottas precisou entregar o primeiro lugar ao parceiro, e quando questionou, ouviu James afirmar que Sebastian Vettel ameaçava a posição do #44, e por isso a decisão foi tomada.

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect