Siga-nos

10+

Os melhores pilotos da F1 2021

O GRANDE PREMIUM separa os dez pilotos que mais brilharam na temporada 2021 da Fórmula 1, buscando encontrar um ranking definitivo em um ano tão parelho da categoria

A F1 2021 foi maravilhosa (Foto: Peter Fox/Getty Images/Redbull Content Pool)

Rankings são polêmicos, sempre foram. Nunca é fácil agradar em um exercício que busca determinar quem foram os melhores em determinado tema. Na Fórmula 1 2021, a presença de rankings se faz mais do que necessária, bem como entender que, de forma alguma, todo mundo vai ficar satisfeito com o resultado final.

Assim sendo, o GRANDE PREMIUM parte para a produção de uma lista com os dez melhores pilotos da temporada 2021 da Fórmula 1. Mas não pense você que é apenas o gosto pessoal do autor da matéria que ditará os rumos da escolha: trata-se de um compilado dos votos de toda a redação do GRANDE PRÊMIO na escolha dos finalistas dos Melhores do Ano.

Então, o ranking aqui é um somatório geral dos votos dados pelos jornalistas do GP, pegando os 10 pilotos que foram mais vezes lembrados e os posicionando na lista. Desde já, o spoiler reforçado: você, leitor, certamente irá discordar de alguma – ou algumas – posições.

Sergio Pérez comemora o pódio com a torcida no México (Foto: Red Bull Content Pool/Getty Images)

10- SERGIO PÉREZ

Não foi a temporada mais brilhante da carreira de Pérez, muito menos a que o mexicano mais pontuou em relação ao carro que teve, afinal, ficou em quarto em um campeonato em que o companheiro de equipe foi campeão. Mesmo assim, acabou sendo fundamental na conquista de Max Verstappen, sempre muito combativo nos duelos de pista contra Lewis Hamilton, rival direto do holandês. Por mais que tenha deixado a desejar em consistência e, claro, na pontuação, fez muito bem o papel de escudeiro. Ganha pontos aí.

9- GEORGE RUSSELL

O período entre Hungria e Rússia ali foi nível top-5 da temporada, viu? Mas o resto foi só um pouco acima da média, sempre com classificações competentes, mas sofrendo em ritmo de corrida. Não é fácil se colocar entre os melhores com um carro tão fraco. Fato é que Russell merecia mesmo a subida para a Mercedes, bem como merece aparecer no nosso ranking. Só não fica mais bem posicionado porque é realmente difícil medir o nível do cara ali no pelotão de trás. Mas foi um bom ano, sim, com direito ao ‘não-pódio’ na Bélgica.

A vitória de Esteban Ocon na Hungria ficou para a história (Foto: Alpine)

8- ESTEBAN OCON

Esteban Ocon está de volta! Promessa gigantesca na base, o francês teve até um início bem promissor na Fórmula 1, mas ficou sem lugar no grid pelo dinheiro da família Stroll. Quando voltou, meio sem ritmo, fez um 2020 bem mais ou menos na então Renault. Em 2021, finalmente, a reação. Com a confiança mais em dia, Esteban até corrida venceu, em atuação espetacular no GP da Hungria. Mais até do que isso, terminou o ano coladinho em Fernando Alonso, uma tarefa que é complicadíssima para qualquer piloto no mundo. É ótimo e tem muito futuro.

7- FERNANDO ALONSO

Se falamos que Ocon e Alonso ficaram próximos, é claro que em sétimo deveria estar Fernando, né? Depois de um início de campeonato bem mediano, o espanhol pegou no tranco a partir da relargada do GP do Azerbaijão, quando, em pouquíssimas voltas, empilhou ultrapassagens arrojadas para chegar em sexto. Ele mesmo admite que recuperou a confiança ali, meio que viu que ainda é capaz de fazer tudo que fez a vida toda. Foi um dos grandes do pelotão intermediário.

Charles Leclerc teve chance de ouro em Baku (Foto: Ferrari)

6- CHARLES LECLERC

Longe, longe de ter sido uma temporada ruim de Leclerc. Mas foi um pouco na linha do “e se…”, sabe? É que o monegasco foi bem consistente, ajudou muito a Ferrari na briga com a McLaren e, em geral, teve classificações melhores que as de Carlos Sainz. Só que, mesmo assim, também perdeu chances boas, de pódios e até de vitórias, que poderiam tê-lo jogado mais para cima no nosso ranking. Acabou atrás no Mundial de Pilotos de um companheiro que acabou de chegar no time, isso pesa, não tem jeito.

5- LANDO NORRIS

Admita: você chegou a colocar Lando Norris no seu top-2 de pilotos da temporada ou, no mínimo, no top-3, né? Nós também. Acontece que, da quase vitória no GP da Rússia para frente, o jovem inglês foi murchando, perdeu fôlego e, para se ter ideia, nunca mais terminou no top-6 corrida alguma. Teve bastante azar no caminho, é verdade, mas o baque foi tamanho que, da briga pelo terceiro lugar no Mundial de Pilotos, Norris foi parar em sexto, atrás até de Sainz e só 1 ponto na frente de Leclerc. Ainda assim, teve momentos de altíssimo nível em 2021.

Carlos Sainz foi ao pódio em 4 corridas em 2021 (Foto: Ferrari)

4- CARLOS SAINZ JR.

A forma como Sainz se adaptou ao novo time é coisa de louco. Guiando a Ferrari como se lá já estivesse a vida toda, o espanhol foi exemplo de consistência o ano todo e foi ao pódio quatro vezes, três a mais do que o ótimo companheiro Leclerc. Fechou o ano como melhor da ‘F1 B’ na tabela de pontos e, na reta final de 2021, adicionou mais uma arma ao seu arsenal: começou a classificar na frente de Charles. Difícil ser melhor do que isso, já caiu nas graças da exigente torcida italiana.

3- PIERRE GASLY

Não é fácil decidir entre Norris, Sainz e Gasly, mas o francês foi o mais votado por aqui. Pesa a favor dele o fato de que o carro era, indiscutivelmente, mais fraco que os dos rivais. Sempre no Q3 e nos pontos, Pierre incomodou McLaren e Ferrari sozinho, além de ter levado até o fim uma disputa quase que irreal contra a Alpine, numa espécie de dois contra um. Fechou o ano na frente de Alonso e de Ocon, pertinho de Daniel Ricciardo e se firmando como um dos nomes mais cobiçados no mercado para os próximos anos.

O cumprimento de Hamilton e Verstappen após a decisão espetacular em 2021 (Foto: Lars Baron/Getty Images/Red Bull Content Pool)

2- LEWIS HAMILTON

O início de temporada foi determinante para que Hamilton ficasse em segundo – e fosse vice-campeão do mundo, inclusive. O erro na Emília-Romanha, o botão equivocado em Baku, a apatia em Mônaco, tudo isso pesou para que Lewis ficasse um pouquinho para trás. Mesmo assim, de São Paulo até o fim, Hamilton beirou a perfeição, quase conquistando uma virada improvável e tendo alguns de seus melhores momentos nos últimos tempos. Talvez na carreira. Segue como candidatíssimo ao caneco de 2022, o tempo não passa para ele.

1- MAX VERSTAPPEN

Muito difícil não colocar no topo do ranking aquele que superou um rival que parecia imbatível. Hamilton é, talvez, o melhor da história. Em 2021, Verstappen conseguiu superá-lo. Com uma pilotagem agressiva o tempo todo, mas com resultados igualmente consistentes, Max foi basicamente primeiro ou segundo o ano todo. Mesmo com um azar danado em Baku e na Hungria, mesmo abandonando na Inglaterra em acidente com Hamilton – que venceria a corrida, o holandês foi campeão. O asterisco fica pela reta final, em que cruzou o limite algumas vezes, especialmente no brake test da Arábia Saudita. Ainda assim, título muito merecido e ano quase perfeito.

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect