Siga-nos

10+

Os favoritos nas 500 Milhas de Indianápolis

O GRANDE PREMIUM apresenta os dez pilotos que parecem em melhores condições para vencer a corrida mais importante do automobilismo americano, as 500 Milhas de Indianápolis

A Indy 500 promete (Foto: IndyCar)

O mês de maio chegou e, assim, todos os holofotes da Indy se movem para as 500 Milhas de Indianápolis. Ainda que a rodada dupla do Texas tenha aberto o mês e que o GP de Indianápolis 1 também ocorra no próximo fim de semana, o que realmente importa é a corrida suprassumo do calendário da categoria, marcada para o dia 30.

Sendo assim, o GRANDE PREMIUM aproveita o 10+ de hoje para fazer um exercício: quais são os dez pilotos que parecem ter as melhores chances de vitória na Indy 500? Quais os principais favoritos ao anel da prova mais esperada do ano?

Para a definição da lista foram utilizados alguns critérios como: equipe, retrospecto, desempenho no outro oval (Texas), momento e por aí vai. Assim, nomes que podem aprontar como Colton Herta, Álex Palou, Scott McLaughlin e Juan Pablo Montoya acabaram de fora, bem como Ryan Hunter-Reay, outrora vencedor no IMS.

O GP* vai se arriscar, então, ao apontar apenas dez candidatos ao triunfo, sem muita ordem definida. Mas não se espante: qualquer piloto que esteja entre os inscritos pode levar a honraria, afinal, a lenda diz que é Indianápolis quem escolhe seus vencedores.

A Indy 500 2021 tem uma série de favoritos (Foto: IndyCar)

SCOTT DIXON

Nenhuma lista de respeito poderia começar sem Scott Dixon, né? Nem que fosse uma prova em oval de terra, sei lá. O histórico do neozelandês em Indianápolis não é lá grandes coisas, é verdade, mas é alguém que venceu por lá em 2008 e acumula outros sete top-5 na principal corrida do calendário. Fora isso, como ignorar o fato de que Dixon é o grande piloto da geração da Indy? Multicampeão, levou o troféu para a casa em 2020, lidera o campeonato em 2021 e ainda venceu uma das corridas no Texas, outro oval que existe de parâmetro na temporada atual. Chega pesado na disputa!

JOSEF NEWGARDEN

Se Dixon não chega a ser um especialista nas 500 Milhas de Indianápolis, Josef Newgarden é menos ainda. O americano só tem três top-5 na prova e nunca foi além do terceiro lugar, conquistado em 2016, quando ainda corria pela Carpenter. Mas Newgarden é o grande rival de Dixon e isso não pode ser ignorado. Bem como o fato de que o americano tem, sim, um bom histórico em outros ovais como Texas, Iowa e Gateway. Ainda, um fator crucial: é o grande nome da Penske, a principal equipe do grid. É bicampeão da Indy, atual vice e vem em quarto em 2021.

Josef Newgarden tem título, mas ainda não tem Indy 500 (Foto: IndyCar)

PATO O’WARD

Muito mais novo e inexperiente que os dois primeiros da lista, Pato O’Ward aparece aqui por já ter feito tanto em tão pouco tempo. Aos 22 anos, já se mostrou capaz de vencer corridas, de fazer jogo duro nos ovais, enfim, de desafiar os melhores da Indy. Sexto colocado em sua estreia na Indy 500 em 2020, já que havia sido bumpado em 2019, o mexicano só não foi além porque a Chevrolet não permitiu. Agora, com a marca americana aparentemente tendo evoluído bem, Pato está no jogo. E vem de vitória no oval texano.

TAKUMA SATO

É bem verdade que o começo de temporada de Takuma Sato é bem qualquer coisa, mas aqui entra muito o retrospecto. E nem é um simples histórico, vamos combinar: é um passado bem do recente no templo sagrado do esporte a motor. Nos últimos quatro anos, Takuma venceu duas vezes a Indy 500 e ainda teve um terceiro lugar, ou seja, é um fortíssimo candidato mesmo que não esteja em grande fase. Ainda, tem o impulso da RLL, que teve um grande carro no GP do Texas.

Takuma Sato venceu duas vezes as 500 Milhas de Indianápolis (Foto: IndyCar)

GRAHAM RAHAL

Por incrível que pareça, Rahal não chega a ser um grande especialista em Indianápolis. Até aqui, apenas três top-5, poucas chances reais de vitória e algumas exibições até apáticas. Só que a RLL parece melhor em 2021, Graham brilhou no Texas e faz um começo de temporada muito interessante. Será que finalmente chegou a vez do filho de Bobby atingir o patamar que tanto vem merecendo?

TONY KANAAN

Tony não vem fazendo a temporada completa e isso pode atrapalhar um pouco, mas o brasileiro é um dos grandes da Indy e de Indianápolis. Não apenas isso: Kanaan volta a guiar pela Ganassi, ou seja, finalmente tem uma chance real de brigar na Indy 500, algo que faltou nos anos de Foyt, quando, mesmo assim, conseguiu ser bem competitivo. Talvez a grande oportunidade do brasileiro levar o segundo anel para casa.

Tony Kanaan vem com tudo pela Ganassi nas 500 Milhas de Indianápolis (Foto: IndyCar)

WILL POWER

Em Indianápolis, assim como na Indy em geral, a trajetória de Will Power é uma verdadeira montanha-russa. O australiano já tem vitória, mas também soma participações discretas, abandonos. Considerando o grau de imprevisibilidade da prova e do próprio piloto, a chance está ali, ainda mais se considerarmos o fator Penske, sempre uma força muito grande na categoria. Vem a segunda vitória no oval do IMS?

SIMON PAGENAUD

Um top-10 em nove participações. Sim, isso mesmo, só um top-10 em nove tentativas. Só que foi justamente a vitória, em 2019. Pagenaud não é um especialista em Indianápolis, mas já venceu e, no comparativo com Ryan Hunter-Reay, por exemplo, deve ter mais carro na edição de 2021, além de viver um momento melhor que o do americano. Precisa dar motivos para seguir na Penske. Está aí a maneira perfeita para tal.

Simon Pagenaud venceu em Indianápolis em 2019 (Foto: IndyCar)

ALEXANDER ROSSI

Não foi fácil decidir entre Rossi e Herta. Colton é o cara do momento na Andretti, um dos melhores pilotos da Indy na atualidade, mas aqui pesou muito o retrospecto em Indianápolis e nos ovais. Se Herta ainda procura a afirmação no tipo de pista, Alex já achou faz tempo e só precisa de um brilho ali para retomar o rumo dos bons resultados. São quatro top-7 em cinco participações no oval do IMS, uma vitória, um segundo lugar no detalhe. Enfim, Rossi merece muitas atenções mesmo em má fase.

HELIO CASTRONEVES

A Meyer Shank não está nem perto de ser uma das favoritas em Indianápolis, mas Helio Castroneves sempre deve constar na lista dos candidatos ao triunfo. Três vezes vencedor no oval do IMS, o brasileiro é o cara da Indy 500 dentre os pilotos em atividade. De casa nova, tenta uma missão mais difícil do que pela Penske, mas não é carta fora do baralho. Bem longe disso.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect