Vai deixar saudades (ou não)

O GP da Espanha deve abandonar o calendário da F1 a partir de 2020, e o 10+ desta semana relembra grandes momentos da etapa espanhola desde 1986

Gabriel Carvalho, de Campinas

O modorrento GP da Espanha de 2019 pode ter sido o último por um bom tempo. O contrato da organização da prova espanhola com o Liberty Media, grupo proprietário da Fórmula 1, não está próximo de ser renovado, e a corrida deve ser substituída pela etapa da Holanda a partir do próximo ano.

No 10+ desta semana, o GRANDE PREMIUM reuniu dez momentos marcantes da corrida espanhola desde 1986, quando retornou ao calendário da Fórmula 1. A prova não deve deixar muitas saudades entre os fãs, principalmente por conta das corridas com pouca ação nos últimos anos.

1986

A primeira edição do GP da Espanha em seu retorno ao calendário, em 1986, trouxe uma das chegadas mais apertadas da história da Fórmula 1. Ayrton Senna, então na Lotus, fez a pole-position e mostrou uma de suas melhores pilotagens defensivas de todos os tempos contra Nigel Mansell, da Williams, o segurando por várias voltas. Mansell conseguiu ultrapassar Senna depois da linha de chegada. O brasileiro venceu a prova com 0.014s de vantagem, tirando pontos valiosos do inglês na briga pelo título. Jerez de la Frontera foi o palco da épica batalha. 

1991 

Anos depois, Ayrton Senna e Nigel Mansell novamente protagonizaram uma duelo e com uma das imagens mais icônicas da história da Fórmula 1. Na época, na estreia do circuito de Barcelona, Mansell e Senna ficaram lado a lado na longa reta dos boxes, com o inglês levando vantagem e, posteriormente, vencendo a corrida, adiando a decisão do campeonato para o Japão, onde o brasileiro faturou seu terceiro título mundial.

1993

A corrida de 1993 marcou o pódio mais vitorioso da história da Fórmula 1. A prova, em si, não teve tanta graça. As Williams dominaram, Alain Prost venceu com o pé nas costas, enquanto Damon Hill acabou abandonando. Ayrton Senna foi o segundo colocado e Michael Schumacher foi o terceiro.

Foi a primeira e única vez em que os três pilotos, que juntos somam 14 títulos mundiais, ocuparam as três primeiras colocações em uma corrida.

1994

Líder da F1, Michael Schumacher foi pole e tudo apontava para mais uma vitória tranquila. Só que o alemão sofreu com problemas de câmbio e ficou preso na quinta marcha, mas heroicamente terminou em segundo. Quem se aproveitou foi Damon Hill. O inglês venceu sua primeira corrida naquela temporada, levando os membros da Williams ao choro, já que o triunfo veio apenas 28 dias depois da trágica morte de Ayrton Senna.

1996

Barcelona também foi o palco da primeira vitória de Michael Schumacher pela Ferrari. Com dificuldades em 1996, o alemão alinhou atrás de Damon Hill e Jacques Villeneuve no grid, mas em uma de suas melhores atuações da carreira, se beneficiou da chuva para ultrapassar os adversários e vencer com 45s de vantagem para Jean Alesi, que fechou em segundo.

2000

O cenário de 2000 tinha um início dominante de Michael Schumacher na Ferrari, mas a McLaren começou a desenhar uma recuperação, especialmente na etapa da Espanha, vencida por David Coulthard e com Mika Häkkinen em segundo. O momento de destaque da corrida foi a bela ultrapassagem dupla de Rubens Barrichello sobre os irmãos Ralf e Michael Schumacher.

O brasileiro foi ao pódio naquele dia, e foi sua primeira corrida na Ferrari em que teve superioridade ao companheiro de equipe.

2001

No ano seguinte, a Fórmula 1 testemunhou uma de suas maiores injustiças. Mika Häkkinen não fazia grande campeonato e viu Michael Schumacher abrir grande vantagem logo no começo. O finlandês teve um grande domingo, e abriu a última volta com uma liderança de mais de 40 segundos sobre o alemão. Porém, um problema no acelerador junto de um estouro de motor forçou o abandono do bicampeão mundial, que viu Schumacher, praticamente se arrastando, vencer mais uma vez.

2012

É difícil explicar o que aconteceu no GP da Espanha de 2012. O venezuelano Pastor Maldonado, com a Williams, anotou a pole-position, foi superado na largada por Fernando Alonso, mas acertou na estratégia de pit-stop e venceu sua única corrida na Fórmula 1, naquela que foi a última vitória do time de Grove na categoria até então. O momento de Maldonado é um dos mais inexplicáveis da história do automobilismo, mas há de se admitir que foi um dos acontecimentos mais legais dos últimos tempos.

2016

Fechando a lista, temos uma rivalidade chegando em seu ápice e o nascimento de uma futura estrela. O clima não era nada bom entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg na Mercedes, e ficou ainda pior por conta do acidente que forçou a saída dos dois pilotos ainda na primeira volta do GP da Espanha de 2016. Quem se aproveitou da situação foi Max Verstappen. O holandês, que tinha 18 anos, estreava pela Red Bull e superou Sebastian Vettel para se tornar o mais novo vencedor de um Grande Prêmio na história da Fórmula 1.