Siga-nos

Análise

Os erros capitais da Ferrari

No GP da Inglaterra, Ferrari e Vettel mais uma vez facilitaram o trabalho de Lewis Hamilton e da Mercedes

Vitória de Lewis Hamilton no GP da Inglaterra, em Silverstone. Foi relativamente fácil para o pentacampeão, ao menos falando aqui de fora. Favorecido pelo safety-car causado pela Alfa Romeo de Antonio Giovinazzi, o inglês fez apenas um pit stop, assumiu a liderança e, a partir daí, bateu recorde atrás de recorde nos tempos de volta. O primeiro lugar no pódio estava garantido. 

Acontece que essa história poderia ter sido diferente.

Não me refiro ao companheiro de equipe dele, Valtteri Bottas. O finlandês, que lagou na pole, já tinha feito o pit stop antes do safety-car e se viu obrigado a trocar pneus mais uma vez no trecho final da prova, tirando qualquer chance de vitória. Mas, mesmo em condições iguais, era difícil imaginar o #77 à frente do #44 ao final da corrida.

A questão é a Ferrari.

Os italianos erram dentro e fora da pista, tirando qualquer chance de ao menos sonhar com a disputa pela liderança.

Hamilton comemorou muito – agora, ele é o recordista em vitórias na Inglaterra

No quesito velocidade, a Ferrari havia mostrado que, em Silverstone, estava próxima das Flechas de Prata – Charles Leclerc colocou o carro #16 apenas 0,026s atrás da pole. Esperar por algo melhor no GP não era apenas um sonho.

Só que vieram dois erros importantes. O primeiro foi justamente no safety-car, quando chamaram Sebastian Vettel para trocar pneus no melhor momento possível, quando os carros estão lentos por conta da bandeira amarela, mas ainda não estão próximos. Foi o que a Mercedes fez com Hamilton, também. Só que os italianos deixaram Leclerc mais uma volta na pista para, aí sim, trocar os calçados do monegasco. 

Perderam muito tempo e, na pista, o piloto ficou atrás de Verstappen.

A falha causou um efeito borboleta. Afinal, toda aquela situação colocou o holandês, já no trecho final da corrida, disputando a terceira posição com Vettel. Foi aí que o alemão errou, acertando o piloto da Red Bull na traseira e estragando a corrida de ambos. 

Um piloto que quer disputar o título, que é tetracampeão, não pode cometer esse erro na luta por um terceiro lugar.

O momento da batida de Vettel em Verstappen

No final, Hamilton foi para a galera, comemorar com o público, e é ainda mais líder do campeonato, com 39 pontos de diferença para Bottas. São apenas 10 etapas de 21, mas o hexacampeonato parece bem encaminhado. Mérito total do inglês. 

Por outro lado, Vettel está apenas em quarto no Mundial de Pilotos, exatos 100 pontos atrás do líder. Lewis teria que abandonar quatro GPs, com Sebastian vencendo essas quatro corridas, para eles chegarem ao empate. Praticamente impossível, como sabemos. 

A Mercedes é quase perfeita. Hamilton é perfeito. Quando se luta contra alguém assim, o erro precisa ser zero. Não é o que está acontecendo. 

O que é uma pena. Uma pena para a Fórmula 1 como um todo.

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect