Siga-nos

Análise

Deixaram Verstappen e Hamilton correr no GP de São Paulo

O holandês pode não ter feito o movimento mais limpo do mundo, na defesa de posição contra o inglês, vencedor em Interlagos. Ainda assim, a coisa foi resolvida na pista, em mais um capítulo da emocionante briga pelo título

Max Verstappen, Lewis Hamilton, GP de São Paulo 2021,
Verstappen e Hamilton lutaram pela vitória (Foto: Reprodução/Twitter/@F1)

Muito do “a Fórmula 1 está chata” dos últimos anos veio de um excesso de punições aos pilotos durante as corridas. As penalidades incompreensíveis davam a impressão de criar a antidesportividade ao invés de puni-la. Max Verstappen, que terminou em segundo, pode não ter sido o mais limpo possível contra o vencedor Lewis Hamilton neste domingo (14), no GP de São Paulo, mas a coisa foi resolvida sob o espírito do “deixem Verstappen e Hamilton correr”. 

Lewis (318,5 pontos) e Max (332,5 pontos) protagonizaram a corrida mais emocionante da temporada. Enquanto o inglês recuperou posições largando do décimo posto, o holandês tomou a ponta logo no S do Senna. A briga entre os dois teve um pouco de tudo: estratégias diferentes, marcação ao pitstop adversário, ataque, defesa e muita, mas muita briga na pista, como sempre deve acontecer para o delírio de quem ama velocidade e não necessariamente está torcendo para um ou para o outro.

Na manobra derradeira, na volta 48, Hamilton conseguiu uma aproximação sem igual ao carro de Verstappen na reta oposta e preparou a ultrapassagem para a curva do lago. Ainda que os comissários tenham julgado a manobra como um movimento natural, o #33 talvez tenha deixado o carro escapar um pouco mais que o devido e saiu da pista, empurrando também o #44. Reclamações à parte, a coisa seguiu. 

Os pneus duros começaram a se deteriorar, mas o piloto da Mercedes foi para cima dez voltas depois. Antes, teve de enfrentar o verdadeiro zigue e pague do carro da Red Bull, esse movimento sim advertido com uma bandeira preta e branca. Na volta 59, no entanto, não teve o que fazer e Hamilton ultrapassou o rival para não perder mais a primeira posição. 

Max Verstappen, Lewis Hamilton, GP de São Paulo 2021,
Verstappen e Hamilton resolveram suas diferenças na pista (Foto: Reprodução/Twitter/@F1)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Em situações semelhantes, em corridas até neste ano mesmo, cinco segundos de punição ao piloto seria natural naquela situação. Os integrantes da equipe alemã, aliás, pediram justamente tal penalidade. Prevaleceu aos comissários o senso de “let them race” (deixe-os correr, em inglês) para justamente não prejudicar o espetáculo. Por mais que os mais legalistas não gostem, os protagonistas foram os pilotos.

Hamilton pouco mencionou a polêmica manobra (tudo bem que a história poderia ser diferente se tivesse ficado na segunda posição) e fez questão de ressaltar o seu espetacular fim de semana. Primeiro, para a corrida sprint, ele punido com 20 posições por uma irregularidade na asa traseira. Depois, na corrida regular, teve de pagar cinco posições no grid por trocas no motor.

Max Verstappen, Lewis Hamilton, GP de São Paulo 2021,
Hamilton superou um zigue e zague de Verstappen na reta oposta (Foto: Reprodução/Twitter/@F1)

“Sou muito grato pela torcida incrível que tive neste fim de semana. Não tive tanto apoio como este desde Silverstone”, disse Lewis, que pegou a bandeira brasileira após cruzar a linha de chegada e levou até o alto do pódio. “Foi o fim de semana de corrida mais difícil que já tive.”

Para não ir muito longe na comparação com outras categorias pelo mundo, no GP dos Estados Unidos, a curva 20, a que leva para a reta oposta foi colocado um limitador de pista. Se o piloto colocasse as quatro rodas na zebra naquele determinado local, teria a volta deletada ou receberia uma advertência. Em categorias do automobilismo americano, em que prevalece justamente um espírito mais purista, essa mesma curva era contornada pela área de escape.

Não se trata evidentemente de não punir exageros. O japonês Yuki Tsunoda, o único piloto a não gostar de Interlagos, errou a freada na volta 6 e acertou em cheio Lance Stroll. Como não poderia deixar de ser, foi penalizado com 10 segundos.

O novo capítulo da emocionante briga entre Verstappen e Hamilton está reservado já para o próximo fim de semana. O GP do Qatar, a antepenúltima corrida da temporada, acontece em 21 deste mês. Depois da corrida no circuito de Losail, faltarão apenas os GPs da Arábia Saudita e de Abu Dhabi.

Leia mais:

Boa disputa em Interlagos desvirtua a corrida sprint

2021 virou o maior desafio da carreira de Hamilton

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect