Siga-nos

Análise

Treinos, entrevistas e até torta na cara: ‘Isso a Band mostra’

Emissora dedicou uma hora e meia da sua programação para mostrar muito mais que apenas o treino classificatório para o GP do Bahrein, que teve Verstappen na pole. F1 precisava ter seu produto valorizado na TV aberta

Felipe Giaffone, Reginaldo Leme, Sergio Mauricio, Band, F1 2021,
(Foto: Divulgação/Band)

Não basta transmitir automobilismo no fim de semana, é preciso falar de automobilismo durante a semana. A Band reestreou na Fórmula 1 pra valer neste sábado (27), com o classificatório para o GP do Bahrein, e a valorização de um produto que andava carente na TV aberta. Os profissionais da emissora inclusive entraram na brincadeira das redes sociais com uma certa provocação à Globo: “Isso a Band mostra”, em referência à extensa cobertura do canal.

A largada da primeira das 23 provas previstas para a temporada acontece neste domingo, às 12h (pelo horário de Brasília), com tempo real do GRANDE PRÊMIO. Mais rápido nos três treinos livres, Max Verstappen (Red Bull) confirmou o favoritismo e foi o pole-position, com Lewis Hamilton e Valtteri Bottas (ambos da Mercedes) logo atrás.

Max Verstappen, GP do Bahrein 2021,
Verstappen confirmou favoritismo dos treinos livres e cravou a pole no GP do Bahrein (Foto: Reprodução/Twitter/@redbullracingteam)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Acesse agora a página da F1 TV Pro

Sob o comando do narrador Sérgio Maurício, a transmissão em si não tem nada de superespecial. Alguém mais desavisado, pode até achar que os comentaristas Reginaldo Leme e Felipe Giaffone ainda estão na Globo já que o presente é o mesmo e apenas o embrulho é diferente. Mas há algo mais que isso a se notar. A correspondente Mariana Becker, junto do produtor e marido Jayme Brito, tem enorme espaço para as reportagens e aí mora o grande diferencial.

De segunda a sexta, absolutamente todos os programas da casa, dos de entretenimento aos telejornais, trouxeram reportagens e matérias especiais ou pelo menos de alguma forma falaram da categoria. A estratégia é clara, atende a um pedido de quem já acompanhava a categoria e ainda cria identificação com novos espectadores. Por isso, ligar a TV no fim de semana não é apenas um festival de carros coloridos correndo em um circuito qualquer pelo mundo. Quem não sabia, terá certeza de quem é o mocinho e o bandido do “isso a Globo não mostra”.

Com tamanho tempo na grade programação, houve oportunidade até para registrar a torta na cara que Verstappen deu em David Coulthard, ex-piloto que fazia as vezes de repórter oficial da transmissão e comemorava seu aniversário de 50 anos. Evidentemente que ninguém vai assistir à F1 na Band porque o canal mostra tortada na cara, mas momentos dos pilotos sem o capacete sempre humanizam e chamam a atenção do grande público. Ao todo foi uma hora e meia de transmissão só da classificação.

Depois de 40 anos, a Globo decidiu deixar de transmitir a categoria que ajudou a espalhar pelo mundo, com extrema qualidade e inovação técnica. Bem verdade que a emissora carioca se valeu da história de três brasileiros campeões mundiais (Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet e Ayrton Senna) além de tantos outros pilotos de sucesso para cativar ainda mais os corações dos fãs de velocidade. Até por isso, sem um brasileiro no grid e em plena era do streaming, o desafio agora da família Saad não é dos mais fáceis. A Band, em 1980, foi a primeira a transmitir ao vivo e na íntegra uma temporada completa.

Para fechar com a F1 — mais do que isso, com a transmissão da F2 também — até 2022, a Band aceitou pagar cifras na casa dos US$ 20 milhões (cerca de R$ 114 milhões na cotação atual). Depois de sinalizar com o dinheiro, foi preciso também superar a concorrência da TV Cultura e também de uma parceira do SBT com a Disney, que transmite o campeonato para a América Latina. Depois dos maus-tratos da Globo, que enxugava ao máximo a transmissão e não dava o mesmo prestígio aos treions, o Liberty Media fazia questão que o Mundial fosse transmitido em TV aberta.

‘Tá ligado?’

Sérgio Maurício se confunde e chama SporTV na transmissão do BandSports

Após quase três décadas no Grupo Globo, uma das referências do canal a cabo, Maurício foi traído pelo hábito e mandou um abraço para os “amigos do SporTV”, quando queria dizer, claro, aos “amigos do BandSports”, durante a transmissão do terceiro treino livre, na manhã deste sábado em Sakhir. Nada que não já não tenha acontecido com outros tantos profissionais que recentemente trocaram de casa. 

Com classe, ele disse em resposta a um tweet do GRANDE PRÊMIO que escapou e ainda brincou com o seu bordão: “tá ligado?”.

“Opssssssss BandSports… Sempre pelo esporte, tá ligado ou desligado? Depois de 29 anos saiu e eu nem senti”, escreveu o narrador na rede social.

LEIA MAIS:

+ F1 mira na economia e acerta no dinamismo com TLs mais curtos

++ Como Mercedes e PETRONAS se tornaram uma coisa só na F1

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect