A emocionante corrida da F1 A

Vitória de Vettel no GP da Inglaterra foi conquistada com muita disputa na pista, mas também escancarou a diferença das três grandes equipes para o resto do pelotão e a dependência do safety-car para termos boas corridas

Renan Martins Frade, de São Paulo



Talvez um roteirista não conseguisse pensar em um desenrolar tão perfeito para o GP da Inglaterra, que aconteceu neste domingo (8). Lewis Hamilton, da Mercedes, era o pole, mas a falta de tração na largada o fez perder várias posições. Depois, teve um toque com Kimi Räikkönen, da Ferrari, que jogou o tetracampeão na última posição. Esse foi apenas o começo.

A outra Ferrari, de Sebastian Vettel, terminou a primeira volta em primeiro e partiu em direção ao lugar mais alto do pódio, mas essa não foi uma vitória fácil. O calor e os pneus equilibraram a disputa em Silverstone, que vinha sendo dominada pela Flechas de Prata nos anos recentes. Porém, o alemão não chegou a disparar na frente em nenhum momento. Isso sem falar nas dores no pescoço, que chegaram a tirar o tetracampeão do terceiro treino livre. 

Quer ler esta matéria na íntegra?