O equilíbrio da F1 está no trio HRV

Com a vitória em Mônaco, Daniel Ricciardo se juntou a Lewis Hamilton e Sebastian Vettel em número de vitórias – cada um tem duas até aqui. Mais que isso, ao analisar esse início de temporada é possível dizer que a F1 poderia estar ainda mais equilibrada

Evelyn Guimarães, de Curitiba

 

 

Em um passado não muito distante, o mundo se rendia ao trio MSN do Barcelona. Lionel Messi, Neymar Jr. e Luis Alberto Suárez encantavam e levantavam a torcida no Camp Nou com jogadas rápidas e quase sempre letais, ampliando recordes e emprestando um toque de magia aos gramados da Europa. A formação, é bem verdade, não durou tanto, mas pode ser usada para um paralelo interessante daquilo que a F1 vê em sua tabela de classificação em 2018.

Assim como o clube da Catalunha, o grid da maior das categorias também tem seu trio de ouro que vem brilhante forte neste início de temporada. Com a dominante vitória em Mônaco, há pouco mais de uma semana, Daniel Ricciardo se juntou a Lewis Hamilton e a Sebastian Vettel no quesito número de vitórias: agora, cada um tem dois triunfos cada e estão separados por 38 pontos. A pontuação, no entanto, diz pouco sobre a atuação de cada um ao longo destas primeiras seis etapas do Mundial. Mais que isso, mascara um ano que está mais equilibrado do que a folha de pontuação mostra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quer ler esta matéria na íntegra?