O futuro é Massa

Felipe Massa confirmou a chegada como piloto da Fórmula E a partir da próxima temporada. Com a Venturi, Massa será o capitão de um novo projeto e será o garoto-propaganda da categoria, que salivava por ele há algum tempo

Pedro Henrique Marum, do Rio de Janeiro

Um dos segredos menos guardados do mundo do automobilismo nos últimos quase dois anos foi, enfim, confirmado no fim da manhã desta terça-feira (15): Felipe Massa será piloto da Fórmula E a partir da temporada 2018/19. A empreitada será tomada no volante da Venturi, equipe de fábrica voltada para carros elétricos desde sua criação há quase 20 anos. 

Massa flertava com a FE há tempos. Desde 2016, quando anunciou a aposentadoria, o vice-campeão mundial de 2008 na F1 falava com carinho sobre a possibilidade de ajustar seu futuro ao futuro do esporte. A ser o primeiro piloto ex-F1 de grande porte a dar o passo adiante para uma nova e adocicada opção que se abriu desde 2014 no automobilismo. 

Tudo parecia certo para Felipe ingressar na FE o mais rápido possível, provavelmente na terceira temporada da categoria - a última, que terminou em julho do ano passado. Sair da F1 com aquela despedida inflamada e emocionante e se virar para um novo desafio. Caso quisesse tirar um período sabático de, digamos, um ano, tinha a quarta temporada em dezembro de 2017. Mas não deu tempo de pensar muito nisso, porque Nico Rosberg resolveu se aposentar e, com isso, deu a popular bica no castelo de cartas da F1. A Mercedes recorreu a Valtteri Bottas e desfalcou a Williams, que precisava de alguém experiente e chamou Massa novamente. O retorno do que não foi, a história vocês conhecem. 

Mesmo assim, Massa testou o carro da Jaguar em fevereiro de 2017. Um teste privado na Itália, completamente secreto e avaliado pelo piloto como "uma experiência totalmente diferente". “A diferença de potência, dos freios, dos pneus e de downforce exige um estilo diferente de pilotagem. Estou feliz com a experiência e com o que eu aprendi. No geral, foi um dia divertido”, comentou à época.

E Massa tinha uma vida a seguir. Voltou para a F1, mas não foi esquecido. Alejandro Agag chegou a falar que a FE "era uma alternativa real" e que amaria ver Massa em um dos cockpits. Depois, em julho do ano passado, Felipe falou pelo Twitter que a FE estava "crescendo muito" - oportunista, a conta oficial da categoria questionou: "Quando você vem ficar com a gente?". Não havia dúvida de que Massa estava curioso com a FE e que a categoria babava para tê-lo.

Quer ler esta matéria na íntegra?