O Max Verstappen de 2020

Em franca evolução do carro, a Red Bull e a Honda parecem preparar o terreno para a temporada do ano que vem. Com mais confiabilidade e potência no conjunto, holandês dará trabalho para Mercedes e Ferrari

André Avelar, São Paulo

O campeonato deste ano certamente está perdido, mas imagine o que Max Verstappen pode fazer a partir da temporada 2020, com a evolução da Red Bull. O holandês deu show neste sábado (3), logo no treino de classificação para o GP da Hungria, conseguiu a sua primeira pole-poísition da carreira e, de quebra, se tornou o centésimo piloto a sair na frente na história da Fórmula 1. A tendência é que isso se torne corriqueiro e aí os concorrentes terão muito trabalho pela frente.

A largada para a 12ª das 21 etapas da temporada acontece às 10h10 (de Brasília), com tempo real do GRANDE PRÊMIO.

Verstappen mais uma vez deu mostras do seu talento incrível e cravou a pole com 1min14s572. Valtteri Bottas (+0s018) e Lewis Hamilton (+0s197), já bastante acostumados com a P1, ficaram um pouco atrás. Já Charles Leclerc (+0s471) e Sebastian Vettel (+0s499) não apareceram para a briga de fato no Q3. Como resultado, Max, depois de 92 corridas, enfim garantiu a pole que vinha se desenhando.

A projeção agora é simples. Verstappen já faz o que faz na corrida longe da pole-position, um melhor desempenho na classificação então deixaria tudo ainda mais fácil para o holandês. Dentro da equipe chefiada por Christian Horner, há a certeza da franca evolução (e confiabilidade) do motor Honda ainda um tanto abaixo de Mercedes e Ferrari. Para o ano que vem, no segundo ano da parceria, a expectativa é de um desempenho melhor. E aí o #33 estará na briga por vitórias e quem sabe o título.

“Isso é muito bom. Isso é verdadeiramente muito bom”, disse Verstappen ainda no rádio, após a confirmação da posição de honra do grid. “Estou muito feliz pelo o que conseguimos hoje [sábado], mas ainda tem muito o que fazer para amanhã”, completou o piloto mais tarde.

 

“Todos os créditos para a Honda", afirmou Horner, em reconhecimento pela evolução do motor. "Sem eles, não alcançaríamos essa pole. É fruto do esforço de toda uma equipe. Todos os créditos para nosso pessoal em Milton Keynes e para os da Honda em Sakura.”

O holandês, que já arrasta as suas multidões para os autódromos — principalmente, agora na fase europeia da F1 — liderou todo o Q1 e só por aí já havia confirmado o bom final de semana do carro. Até mesmo o francês Pierre Gasly havia andado na frente em uma das sessões de treinos livres e também se mostrado à vontade com o travado circuito húngaro em mais uma prova da evolução do carro.

Na dita nova rivalidade da F1, ou por enquanto futura nova rivalidade da F1, Verstappen levou a melhor sobre o também badalado e talentoso Leclerc. O holandês, no entanto, está mais pronto para assumir o protagonismo no ano que vem.

LEIA MAIS:

+ Quem vai sobrar no que sobrar da Haas?

++ Os campeonatos de equipe da Fe

ASSISTA AGORA AO PRANCHETA GP