Siga-nos

Box

Como foi o GP da Itália por quem fez a corrida

Templo de Monza se dividiu entre a paixão pela velocidade, claro, e pelo futebol: Ruud Gullit, Kaká e Sérgio Agüero estiveram no autódromo. No final, ‘rugido do leão’ Lewis Hamilton foi mais forte que o de Sebastian Vettel mesmo na casa da Ferrari

 

    google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
    google_ad_slot = “2258117790”;
    google_ad_width = 300;
    google_ad_height = 600;

O GP da Itália também é uma oportunidade para reforçar grandes amores dos tifosi. No último domingo (2), não foi diferente. A paixão pela velocidade, claro, ainda domina os corações no Circuito de Monza, mas o futebol também tem seu espaço. Os ex-jogadores Ruud Gullit e Kaká, ambos de muito sucesso no Milan, e Sérgio Agüero, hoje no Manchester City, estiveram presentes no templo da F1. No final das contas, o ‘rugido do leão’ Lewis Hamilton foi mais forte que o de Sebastian Vettel apesar do apoio dos torcedores, na casa da Ferrari.

A Ferrari, aliás, fosse com Vettel ou o próprio Kimi Räikkönen era ampla favorita à vitória. Hamilton tirou a diferença do braço e, como classificou a Mercedes, rugiu alto e tomou a vitória apesar da torcida contrária. O #44 fez uma prova perfeita, com duas ultrapassagens brilhantes e viu os principais rivais se perderem ao defender a posição e sofrerem com pneus desgastados na parte final da corrida. Valtteri Bottas completou o pódio.

Confira a seguir como foi a corrida pelos olhos de quem fez a corrida. O GRANDE PREMIUM reuniu os melhores tweets de equipes e da F1 para ajudar a contar o que de melhor aconteceu no GP da Itália.

Veja também: Alonso: o que deveria ter sido e o que foi

(Reprodução/Mercedes)

ANTES DA CORRIDA

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect