A oportunidade de ouro

Vitor Baptista tinha o foco de chegar à F1. Contudo, sem espaço nos monopostos, viu sua carreira mudar drasticamente. Ao seguir para as categorias de turismo, encontrou a oportunidade perfeita de seguir seu sonho de correr na Europa

Nathalia De Vivo, de São Paulo

No automobilismo, algumas vezes além de talento, é essencial estar no lugar certo e na hora certa. Sabendo aproveitar as oportunidades, o piloto vai crescendo de pouco em pouco até atingir o patamar de profissional que se sustenta de sua paixão. E Vitor Baptista bem sabe disso.

O jovem competidor de 19 anos pode ter pouca idade, mas seu currículo já é recheado de grandes números, passagens por categorias internacionais e até mesmo títulos. No entanto, nem sempre teve a vida fácil no esporte a motor, e o desânimo chegou a bater algumas vezes na porta. 

“Três vezes pensei que a carreira tinha acabado. As oportunidades aparecem nas 'piores horas', quando se está com a cabeça confusa, se questionando, e aparecem as oportunidades nessas horas para reerguer a cabeça e acreditar que ainda há um sonho, que posso viver disso”, disse ao GRANDE PREMIUM.

Com início no kart, Vitor logo foi acumulando resultados que o lançaram para o brilhantismo no esporte a motor. Em 2014 ingressou na F3 Brasil Light, categoria que ele apontou como uma das essenciais em seu crescimento como piloto. “Não só a F3 Brasil me ajudou, mas como todos os carros que eu andei desde o kart. Mas a F3 foi, com certeza, a principal, por ter sido o primeiro contato com um carro de corrida de verdade”, afirmou.

 

Quer ler esta matéria na íntegra?