Hora de aventura

Marcos Gomes, aos 33 anos, achou que era hora de se aventurar nos EUA. E aceitou começar 'quieto' na K&N Pro East, quarta divisão da Nascar. Comparamos suas expectativas do começo do ano com os resultados agora, no meio de 2018. E sucesso resume

Felipe Noronha, de São Paulo

Cinco corridas. Três top-10, um top-5, 11ª posição no campeonato. E isso tudo em uma nova categoria, com um novo carro, em meio a uma maratona entre Estados Unidos e Brasil.

O começo de Marcos Gomes na K&N Pro Series East, algo como a “quarta divisão” da Nascar, é promissor. E até nada esperada em termos racionais — mas totalmente possível quando se fala em talento.

Gomes, aos 33 anos, campeão da Stock Car em 2015, resolveu que era hora de se aventurar em outros locais. E se encontrou na Nascar, se permitindo sonhar em alcançar as categorias principais do campeonato tão querido pelos americanos.

Mas a questão é: por que agora? Antes mesmo da empreitada começar, quando Gomes havia feito apenas um teste em Bristol — e quebrando recorde da pista  —, o GRANDE PREMIUM questionou o piloto sobre esta opção. E conta agora, para comparar as então expectativas do titular da Cimed na Stock Car com o que ele vem conquistando fora do Brasil. Seu melhor resultado neste começo foi em South Boston, com a quarta colocação pela NextGen Motorsports.

Quer ler esta matéria na íntegra?