Dois gênios

Lewis Hamilton e Marc Márquez seguem tendo atuações primorosas em 2018. E com mais uma vitória para cada na F1 e na MotoGP, respectivamente, a dupla está muito perto do quinto título mundial

Equipe Grande Premium, de Curitiba

 

 

 

 

 

 

 


Lewis Hamilton andou como quis em Suzuka. De novo, foi veloz e preciso, para garantir um novo triunfo na F1. O domínio apresentado no GP do Japão o coloca 67 pontos à frente do rival Sebastian Vettel - que viveu um fim de semana dramático, marcado por equívocos da Ferrari e de si próprio, o que tornou a vida do inglês um pouco fácil.

Hamilton agora só precisa somar oito pontos a mais que alemão, no GP dos EUA, para celebrar o pentacampeão. E é natural que, com essa performance, seus números só aumentem, então vamos a eles!

 

 

 

 

É 8 e 80

Tudo começou no sábado: com uma volta em 1min27s760, Lewis Hamilton conquistou sua oitava pole-position da temporada 2018. A posição de honra também foi a 80ª de sua trajetória na F1. Ninguém tem mais poles que o rapaz de Stevenage na história.

 

 

 

 


Nove peças de oito


O triunfo de ponta a ponta em Suzuka também foi o de número 71 da carreira de Hamilton. O inglês segue atrás somente de Michael Schumacher (91).

O piloto do carro #44 subiu ao alto do pódio pela 50ª vez defendendo a Mercedes. O único com mais vitórias por uma mesma equipe é Schumacher: o alemão venceu 72 vezes com a Ferrari.
 

 

 

 

 

 


Foi a 14ª vez na carreira que Lewis venceu uma corrida de ponta a ponta.

Só que Hamilton ainda continua atrás de Ayrton Senna (19) e Vettel (15).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Ainda sobre a Mercedes, a esquadra cravou outra dobradinha no pódio, com Hamilton à frente de Valtteri Bottas: é o 1-2 de número 44 do time prata na maior das categorias.

E o pódio do segundo lugar foi o 30º da carreira de Bottas na F1.
 

 

 

E Fernando Alonso está neste Stats de novo: além de ser o único piloto do grid a bater o companheiro de equipe em TODOS os treinos classificatórios de 2018, o espanhol também alcançou o número de 16.651 voltas completadas na F1 e agora é o segundo nesta lista.

O recordista é Schumacher com 16.825. Rubens Barrichello percorreu 16.631 passagens e aparece em terceiro. 

 

 

Es-pe-ta-cu-lar


A MotoGP fez sua estreia na Tailândia e entregou uma corrida sensacional e decidida apenas na curva final da última volta. Em mais um duelo entre Ducati e Honda, Marc Márquez soube superar o rival Andrea Dovizioso, mas o atual líder do campeonato precisou andar mais que sua moto para surpreender o italiano e vencer de novo. Assim como Lewis Hamilton na F1, o #93 também está perto de alcançar o pentacampeonato.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marc Márquez conquistou na Tailândia sua 50ª pole na MotoGP ― 78ª no Mundial de Motovelocidade.

Assim, o #93 foi somente o terceiro piloto da história a superar a marca de 50 poles, atrás apenas do australiano Mick Doohan (58) e do italiano Valentino Rossi (55).

Márquez foi o primeiro piloto a passar pelo Q1 e conquistar a pole na MotoGP
Michelin

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Desde a introdução do atual formato de classificação, em 2013, Márquez é apenas o terceiro piloto a vencer depois de ter passado pelo Q1. Antes dele, Jack Miller (Assen – 2016) e Cal Crutchlow (Phillip Island – 2016) tinham conseguido tal feito.

Com a vitória em Buriram, o espanhol superou Mike Hailwood e se consolidou como o quarto piloto com mais vitórias pela Honda. À frente do #93, apenas Mick Doohan e Dani Pedrosa, que estão empatados com 54 triunfos, e Jim Redman, com 45.
 

 


O triunfo em Chang marcou a 68ª vitória de Marc Márquez no Mundial de Motovelocidade ― 42 na MotoGP, 16 na Moto2 e dez nas 125cc ―, igualando, assim, o número de triunfos de Jorge Lorenzo. Os dois só são superados por Giacomo Agostini (122), Valentino Rossi (115), Ángel Nieto (90) e Mike Hailwood (76).
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Buriram foi o 37º circuito diferente por onde Valentino Rossi passou no Mundial, e o 28º apenas na classe rainha.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A vitória de Francesco Bagnaia na Moto2 foi a 800ª da Itália no Mundial de Motovelocidade. O país mais próximo na lista de vencedores é a Espanha, com 596. Grã-Bretanha (383), Alemanha (191), Austrália (180), Japão (174), Estados Unidos (173), França (87), Suíça (77) e Rodésia (70) completam o top-10. O Brasil soma oito vitórias no Mundial.

 

Reportagem: Evelyn Guimarães e Juliana Tesser.

Fotos: AFP, McLaren, Mercedes, Michelin, VR46 e Repsol.