O dia de glória do maior vencedor do grid atual

Lewis Hamilton e a Mercedes voltaram a dominar a F1. E o desempenho categórico no GP da Espanha serviu para ampliar os números da brilhante carreira do inglês e também da tetracampeã. A Indy também fez história com a corrida no misto de Indianápolis

Equipe Grande Premium, de Curitiba

 

 

OS RECORDES


Segundo maior vencedor da história da F1 e dono do maior número de triunfos do grid atual, Lewis Hamilton alcançou no GP da Espanha, disputado no último domingo, a conquista de número 64 da carreira - e apenas a segunda da temporada 2018.

O Circuito da Catalunha também testemunhou a 41ª vitória de Hamilton largando da pole-position, marca que supera agora o desempenho do heptacampeão Michael Schumacher, que havia vencido 40 vezes saindo da primeira colocação do grid. Mais um recorde para o livro do britânico. 

 

 


Falando na colocação de destaque, o inglês largou na pole pela 74ª vez em sua trajetória no Mundial, sendo o recordista-mor neste quesito. Ainda, foi a 90ª posição de honra da equipe alemã na maior das categorias.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi também a primeira vez que a esquadra da estrela de pontas estabeleceu a dobradinha na primeira fila e também na corrida no mesmo fim de semana em 2018. E o 1-2 da Mercedes na prova espanhola foi o de número 41 de sua jornada na F1. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Valtteri Bottas obteve seu 25º pódio da carreira.
Xavi Bonilla/Grande Prêmio

 

 

Ainda sobre o top-3, há o seguinte: a Red Bull também atingiu uma marca de se orgulhar: com o terceiro lugar de Max Verstappen se converteu no 150º pódio da Red Bull na F1. Também foi o primeiro pódio do jovem holandês desde que venceu o GP do México, em outubro passado. Neste intervalo, a F1 realizou sete corridas. 

 

Ainda na garagem dos austríacos: Daniel Ricciardo cravou a melhor volta da corrida pela terceira vez em cinco etapas disputadas até aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sebastian Vettel ficou fora do pódio pela segunda vez consecutiva na temporada 2018 da F1. E foi a sexta vez seguida que o tetracampeão terminou o GP da Espanha no top-4, mas nenhum dos resultados anteriores no circuito catalão foi uma vitória.
 

 

 

 

 

 

Sexto colocado no GP da Espanha, Kevin Magnussen igualou nas últimas quatro corridas o mesmo número de top-6 que tinha na carreira: dois. A etapa espanhola também marcou seu 65º GP de F1.
 

Carlos Sainz já disputou quatro edições do GP da Espanha em sua jovem carreira na F1 e sempre terminou as corridas em nono ou melhor. Neste domingo, o piloto da Renault foi o sétimo
Renault

Fernando Alonso completou cinco anos inteiros sem vencer na F1. Mas o piloto da McLaren está, junto com Lewis Hamilton e Sebastian Vettel, entre os únicos a somar pontos em todas as provas até aqui. 

 

 

O número dos pilotos da casa: 4


Carlos Sainz e Fernando Alonso correram juntos quatro vezes o GP da Espanha. E nessas quatro oportunidades, o piloto da Renault obteve um resultado melhor do que o compatriota bicampeão. Neste último domingo, Sainz terminou em sétimo, enquanto Alonso foi o oitavo.
 

 

 

 

 

 

 

 

Com décimo lugar em Barcelona, o novato Charles Leclerc ajudou a Sauber a pontuar em duas corridas seguidas pela primeira vez desde 2015 ― sexto lugar de Felipe Nasr na Rússia e nono lugar do brasileiro nos EUA.
 

 

 

 

 

Antes das 500 Milhas, a Indy disputou a etapa no traçado misto do mítico IMS
Indycar

 

 

A Penske chegou ao impressionante número de 200 vitórias na Indy com o triunfo de Will Power no GP de Indianápolis. Para se ter uma ideia de quão significativo isso é, a Ganassi, maior rival da Penske, tem 103 vitórias na categoria.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E Power venceu pela 33ª vez uma corrida na Indy, a 30ª com a Penske. Ou seja: apesar de apenas um título com o time, o australiano é responsável por quase que um terço das vitórias de toda a história da equipe de Roger Penske na categoria.

Power ainda manteve um domínio impressionante no misto de Indianápolis: só o australiano (3) e Simon Pagenaud (2) venceram edições da corrida. E só os dois - Power três vezes - e Sebastián Saavedra cravaram poles.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi também a quarta vitória da Penske em cinco edições da corrida. Só a Schmidt Peterson conseguiu furar o domínio com Pagenaud em 2014 - ou seja, são quatro vitórias seguidas da Penske.

Também foi a quarta vez em que o pole venceu o GP de Indianápolis, algo que não é tão comum assim na Indy.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sexto colocado em Indianápolis, Helio Castroneves manteve a escrita de ser o único piloto a ter feito top-10 em todas as provas no misto do IMS.
Indycar

Reportagem produzida por Evelyn Guimarães, Gabriel Curty, Juliana Tesser e Victor Martins. Fotos: Beto Issa, Xavi Bonilla, Mercedes, Ferrari, McLaren, Renault, Haas, Sauber e Indycar.