Vitória na casa do inimigo

Sebastian Vettel obteve uma importante vitória na briga pelo campeonato de 2018 e, mais que isso, levou o triunfo na casa do rival Lewis Hamilton, que não foi capaz de dar sequência ao desempenho dominante que tem em Silverstone desde 2014. A Indy em Iowa também trouxe números interessantes

Equipe Grande Premium, de Leipzig

 

 

 

 

 


No último sábado, Lewis Hamilton levantou as arquibancadas lotadas do circuito de Silverstone ao cravar uma pole-position depois do cronômetro zerado, superando em apenas 0s044 seu maior rival da temporada. O domingo, entretanto, teve um sabor agridoce para o inglês. Largando mal, perdeu a liderança e ainda foi tocada na primeira curva, caindo para último. Ainda conseguiu se recuperar para alcançar o pódio. Enquanto isso, Sebastian Vettel saltou bem da segunda posição e correu para vitória – e uma muito importante: são oito pontos agora de diferença para Hamilton na ponta da tabela. Com o triunfo na casa do adversário, o alemão comprovou, uma vez mais, a força da Ferrari na briga pelo título. E acumulou números importantes. Vamos a eles.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Sebastian Vettel alcançou no GP da Inglaterra sua 51ª vitória na F1. O número de triunfos agora é o mesmo de outro tetracampeão. Ao longo de sua trajetória, o francês somou 51 conquistas. Seb e Prost estão atrás apenas de Michael Schumacher (91) e Lewis Hamilton (65)
 

Também foi a quarta vitória de Vettel na temporada. E mais impressionante, o ferrarista é o único piloto do grid a ter completado 100% das voltas. São 610 giros até aqui.

A Ferrari também lidera essa marca. Com seus dois carros, a equipe italiana concluiu 94,8% dos giros da atual temporada até aqui - ou 1.157 passagens. A Mercedes é a segunda colocada com 1.150 voltas - 94,3% do total.

 
EQUIPE VOLTAS %
FERRARI 1.157 94.8%
MERCEDES 1.150 94.3%
McLAREN 1.128 92.5%
SAUBER 1.092 89.5%
RED BULL 1.062 87%
FORCE INDIA 1.054 86.4%
HAAS 1.052 86.2%
RENAULT 1.033 84.7%
WILLIAMS 1.025 84%
TORO ROSSO 900 73.8%

 

Além de ser o único do grid a ter batido o companheiro de equipe em todas as classificações até aqui, Fernando Alonso alcançou um número importante: chegou a 200 corridas nos pontos. E a marca se torna ainda mais incrível quando se vê que o espanhol já passou de 300 GPs
McLaren

 

 

 

 

 


A Indy foi a Iowa no último fim de semana e testemunhou um novo vencedor em 2018: James Hinchcliffe. Em grande exibição, o canadense bateu Josef Newgarden no fim e encerrou um jejum de mais de ano sem vitória. Newgarden, em quarto, embolou o campeonato totalmente, mas poderia ter sido segundo, se a Penske não tivesse o parado antes da bandeira quadriculada sob safety-car  Aos números, então.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


James Hinchcliffe venceu pela sexta vez na Indy, segunda em oval. Curiosamente, segunda vez em Iowa. Também marcou a primeira vitória da história da Schmidt Peterson em um oval.

A equipe tinha apenas seis triunfos anteriores divididos entre Hinchcliffe e Simon Pagenaud em circuitos de rua e mistos na Indy.

O pódio em Iowa foi bastante surpreendente. Para se ter uma ideia, apenas Hinch (1) já tinha ficado no top-3 em outra corrida de 2018. Spencer Pigot e Takuma Sato foram estreantes

 

Spencer Pigot, inclusive, foi estreante em pódio na vida. Em 2º na primeira corrida que fez em Iowa, o americano manteve a boa fase e rompeu com estilo o melhor resultado da carreira até então - 7º em Mid-Ohio em 2016. 

Graham Rahal, em sétimo, conquistou o décimo top-10 em 11 corridas. Com o 12º lugar de Scott Dixon, o americano se isolou como rei da regularidade na temporada 2018.

O oposto de Rahal é Josef Newgarden. Muito regular no ano do primeiro título, o americano vive uma montanha-russa em 2018 e o 4º lugar de Iowa foi seu primeiro top-5 que não foi vitória
Indycar

 


A edição 2018 de Iowa derrubou várias marcas: Ryan Hunter-Reay tinha ido ao pódio em cinco das últimas seis edições, Newgarden em três das últimas quatro e Tony Kanaan em cinco das últimas oito.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Reportagem produzida por Evelyn Guimarães, Gabriel Curty e Fernando Silva. 

Fotos: AFP, Ferrari, McLaren e Indycar.