Equipes e pilotos LMP1

Equipes e pilotos LMP1

Rodrigo Berton, de São Paulo &
Rodrigo Mattar, do Rio de Janeiro
.
.

REBELLION RACING

Sede: Farnborough, Inglaterra
Carro: Rebellion R13
Motor: Gibson GL458 4,5 litros V8
Em 2017: campeã da classe LMP2
Vitórias: 12 na LMP1 (protótipos não-híbridos) e 4 na LMP2

Campeã mundial da classe LMP2 ano passado no Mundial de Endurance, a Rebellion Racing está de volta à divisão principal de Protótipos com uma adaptação do chassi Oreca 07 ao regulamento LMP1 e com uma tripulação de pilotos de respeito. Além de reunir três campeões do WEC num só carro, a equipe anglo-suíça aposta na velocidade dos talentosos Gustavo Menezes e Thomas Laurent. A meta é conquistar muitos pódios e, quem sabe, beliscar aqui e ali uma vitória quando falharem os carros da Toyota.

Pilotos do carro #1

 

ANDRE LOTTERER

19 de novembro de 1981 (36 anos), Duisburg, Alemanha
Graduação: Platina

51 provas
10 vitórias
32 pódios
Melhor resultado: campeão da LMP1 em 2012
Em 2017: 4º colocado no Mundial de Pilotos (129 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 9
Melhor resultado: vencedor em 2011, 2012 e 2014

Um dos únicos a disputar todas as corridas do WEC desde 2012, Andre Lotterer segue na LMP1 para defender sua terceira equipe após guiar para as alemãs Audi e Porsche. Foi ao pódio sete vezes na última temporada, mas não venceu. Quebrou em Le Mans justamente quando liderava a corrida. Rápido e muito experiente – principalmente com Protótipos, é o piloto principal de sua nova escuderia. Abandonou o automobilismo japonês para se dedicar mais às provas longas e à Fórmula E, onde defende a Techeetah. Em nove participações nas 24 Horas, ganhou em três oportunidades, sempre pela Audi.

 

NEEL JANI

8 de dezembro de 1983 (34 anos), Rorschach, Suíça
Graduação: Platina

46 provas
4 vitórias
21 pódios
Melhor resultado: campeão da LMP1 em 2016
Em 2017: 4º colocado no Mundial de Pilotos (129 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 9
Melhor resultado: vencedor em 2016

Um dos pilotos a fazer parte da primeira vitória da Porsche no projeto recém-encerrado no WEC (em Interlagos, no ano de 2014), Jani regressa à antiga casa pela qual esteve até 2013. Tem no currículo o triunfo nas 24h de Le Mans de 2016, naquela ocasião em que a Toyota perdeu a vitória nos últimos minutos. Ao volante de um 919 Hybrid modificado, o suíço quebrou o recorde do circuito de Spa-Francorchamps, mostrando o nível que um Protótipo LMP1 poderia chegar, não fossem as restrições impostas pela FIA.

 

BRUNO SENNA

15 de outubro de 1983 (34 anos), São Paulo, Brasil
Graduação: Platina

29 provas
9 vitórias
20 pódios
Melhor resultado: campeão da LMP2 em 2017
Em 2017: 8º colocado no Mundial de Pilotos (76 pontos) e campeão da LMP2 (186 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado: 15º lugar em 2016

Sobrinho do tricampeão mundial de Fórmula 1 Ayrton Senna, Bruno Senna tem feito uma bonita carreira no Endurance. Após colaborar com a Aston Martin, o piloto de 34 anos disputou os dois últimos campeonatos com protótipos LMP2, conquistando o vice-campeonato em 2016 e o título na temporada passada, numa segunda metade de campeonato sensacional. Foi o primeiro campeonato conquistado por Bruno em 14 anos de carreira. Como prêmio, guiará o carro #1, só com campeões do WEC. Será a sexta aparição do piloto de 34 anos em Le Mans, ainda buscando o primeiro pódio.

 

Pilotos do carro #3

 

THOMAS LAURENT

4 de maio de 1988 (19 anos), La Roche-sur-Yon, França
Graduação: Ouro

10 provas
3 vitórias
6 pódios
Melhor resultado: vice-campeão da LMP2 em 2017
Em 2017: 7º colocado no Mundial de Pilotos (82,5 pontos) e vice-campeão da LMP2 (175 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado: 2º lugar em 2017

Com apenas 20 anos, Thomas Laurent foi a grande revelação do WEC em 2017. Foi do Kart direto para os Esporte-Protótipos, primeiro na série Road To Le Mans, passando aos LMP3 e depois aos LMP2, via Jackie Chan DC Racing. Em sua primeira temporada, mostrou categoria de veterano. Suas performances chamaram a atenção da antiga rival, a Rebellion, que o traz agora para a LMP1. Na prova de estreia em Sarthe, de cara, conquistou o vice-campeonato geral e a vitória entre os protótipos de sua categoria.

 

MATHIAS BECHE

28 de junho de 1986 (31 anos), Genebra, Suíça
Graduação: Platina

35 provas
Nenhuma vitória
6 pódios
Melhor resultado: 5º colocado da LMP1 em 2013
Em 2017: 16º colocado no Mundial de Pilotos (27,5 pontos) e 8º colocado da LMP2 (85 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado: 4º lugar em 2014

“Não falava nada com medo de perder o emprego”. Assim definiu Nelsinho Piquet o antigo companheiro de Rebellion, Mathias Beche. Quieto em seu canto, o suíço de 31 anos realmente manteve o lugar para voltar à LMP1 na Super Season. Será a sexta temporada dele pela escuderia anglo-suíça, com participações esporádicas por Manor e ADR-Delta. Seu melhor resultado ano passado, junto a Piquet e David Heinemeier-Hänsson foi o 2º lugar em Austin na classe LMP2. Vai para a sétima presença em Le Mans, tendo como melhor desempenho o quarto lugar em 2014 – embora tenha feito parte do trio desclassificado ano passado após terminar em terceiro.

 

GUSTAVO MENEZES

19 de setembro de 1994 (23 anos), Los Angeles, EUA
Graduação: Ouro

19 provas
5 vitórias
13 pódios
Melhor resultado: campeão da LMP2 em 2016
Em 2017: 11º colocado no Mundial de Pilotos (62,5 pontos) e 4º colocado da LMP2 (151 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 5º lugar em 2016

Filho de brasileiros radicados há anos nos EUA (seu pai chegou a ser jogador do Internacional de Porto Alegre), Gustavo Menezes disputará seu terceiro campeonato no Mundial de Endurance. Correu na Star Mazda, Fórmula Renault e F3 alemã e europeia antes de ingressar no WEC pela equipe Signatech-Alpine, que defendeu nas duas primeiras temporadas. Em 2016, venceu as 24h de Le Mans em sua categoria.

.
.

BYKOLLES RACING

Sede: Greding, Áustria
Carro: ENSO CLM P1/01
Motor: Nismo VRX30A 3 litros Biturbo
Em 2017: 3ª colocada na classe LMP1
Vitórias: 3 na LMP1 (protótipos não-híbridos)

A equipe austríaca foi uma das que mais treinou para a Super Season 2018/19. Abandonaram a última temporada para se dedicar a um programa de muitos testes, para evoluir o chassis, a parte aerodinâmica e o propulsor Nissan Biturbo – o mesmo do protótipo da marca japonesa que fracassou com o conceito de motor dianteiro. E os resultados foram até bastante positivos, considerando o histórico pregresso da escuderia. Agora sob o comando de Manfredi Ravetto, o time de Colin Kolles tem planos ambiciosos para a temporada, que incluem a participação de um segundo carro. Vários pilotos serão avaliados até agosto.

Pilotos do carro #4

 

OLIVER JAMES WEBB

20 de março de 1990 (28 anos), Manchester, Inglaterra
Graduação: Ouro

20 provas
1 vitória
7 pódios
Melhor resultado: 7º colocado da LMP2 em 2015
Em 2017: 30º colocado no Mundial de Pilotos (8,5 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 4
Melhor resultado: 7º lugar em 2014

Terceiro colocado na Fórmula Renault e F3 britânica em 2009 e 2010, Oliver Webb perambulou sem sucesso pela extinta World Series V8 e até pela Indy Lights antes de ingressar nas provas de Endurance. Ajudou a Signatech-Alpine a levar o título do ELMS em 2014, além de conquistar um pódio na LMP2 em sua estreia em Le Mans. No WEC, estreou no ano seguinte pela equipe Morand. Vai para seu terceiro campeonato defendendo a ByKolles Racing.


DOMINIK KRAIHAMER

29 de novembro de 1989 (28 anos), Oberndorf, Áustria
Graduação: Ouro

44 provas
12 vitórias
16 pódios
Melhor resultado: campeão da LMP1 não-oficial em 2016
Em 2017: 30º colocado no Mundial de Pilotos (8,5 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 7
Melhor resultado: 18º lugar em 2015

O austríaco Dominik “Dodo” Kraihamer já é um dos mais frequentes participantes do WEC. Defendeu a Rebellion Racing e por ela foi campeão entre os pilotos que disputaram a temporada 2016 com protótipos não-oficiais da classe LMP1. Mas nem esse bom desempenho assegurou o piloto de 28 anos na equipe e ele foi para a ByKolles, pela qual disputou apenas três provas no ano passado. Fez parte do time de pilotos que desenvolveu o equipamento do time de Greding na pré-temporada e acabou mantido para ser titular na Super Season.Chega neste ano à sua oitava participação em Le Mans.


TOM DILLMANN

6 de abril de 1989 (29 anos), Mulhouse, França
Graduação: Ouro

4 provas
1 vitória
1 pódio
Melhor resultado: 13º colocado da LMP2 em 2015
Em 2017: Não pontuou no Blancpain GT Series

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Tom Dillmann finalmente vai disputar sua primeira temporada completa no Mundial de Endurance: o piloto francês de 28 anos tem aparições esporádicas na competição – três ao todo – defendendo Signatech-Alpine e Extreme Speed Motorsports, com direito a um triunfo na estreia, em Xangai, no ano de 2015. No já vasto currículo de uma carreira iniciada aos 15 anos de idade, em 2004, constam o título da F-3 alemã e a conquista da World Series V8, há dois anos. Na temporada passada, foi “coach” do brasileiro Sérgio Sette Câmara na Fórmula 2 e fez aparições esporádicas nas séries Blancpain pela GRT Grässer – sem qualquer resultado expressivo. Agora, faz sua estreia nas 24h de Le Mans.

 

.
.

CEFC TRSM RACING

Sede: Silverstone, Inglaterra
Carro: Ginetta G60-LT-P1
Motor: Mecachrome V634P1 3,4 litros Turbo
Em 2017: 5ª colocada na classe LMP2
Vitórias: Nenhuma

Com a expertise da Manor, a CEFC TRSM Racing disputará seu primeiro ano na LMP1 com o novo projeto Ginetta, desenvolvido por nomes de peso como Ewan Baldry, Paolo Catone e Adrian Reynard. O verdadeiro potencial do carro e da equipe ainda é desconhecido. Pelo menos os dirigentes John Booth e Graeme Lowdon são rodados o bastante para não se deixarem levar por pressões. Nos dois anos em que se envolveu na LMP2, a Manor teve altos e baixos. A equipe não disputou as 6h de Spa-Francorchamps em decorrência de problemas legais, mas está garantida em Le Mans – pelo menos.

Pilotos do carro #5


CHARLIE ROBERTSON

1º de janeiro de 1997 (21 anos), Surrey, Inglaterra
Graduação: Prata

Estreante no WEC
Em 2017: 13º colocado no British GT Championship

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Campeão da primeira temporada da classe LMP3 em 2015 ao lado da lenda do ciclismo Chris Hoy, Charlie Robertson começou a carreira como piloto no Ginetta Junior Championship, passando à Fórmula 4 como um dos rivais do brasileiro Pietro Fittipaldi. Piloto da marca britânica que fornece seus chassis à CEFC TRSM Racing, Robertson teve uma temporada de poucos resultados no British GT Championship ano passado.


LÉO ROUSSEL

31 de agosto de 1995 (22 anos), Marcoussis, França
Graduação: Ouro

2 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
Melhor resultado: 24º colocado da LMP2 em 2017
Em 2017: Campeão do European Le Mans Series (LMP2)

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado: 18º lugar em 2014

O jovem Léo Roussel já tem considerável experiência em provas de longa duração, com três participações nas 24h de Le Mans e o título do European Le Mans Series no ano passado. Também competiu na Fórmula Renault de seu país e no VdeV Endurance Challenge antes de ingressar em 2014 na Pegasus Racing. Fez um par de provas pela G-Drive Racing no fim do calendário do WEC e vai para sua primeira temporada completa na categoria, agora com um protótipo LMP1.
 

MARK SIMPSON

9 de dezembro de 1983 (34 anos), Beverly, Inglaterra
Graduação: Prata

Estreante no WEC
Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Mark Simpson é um dos pilotos de fábrica da Ginetta – e isso talvez explique a opção em detrimento de Dean Stoneman, piloto anunciado para a Super Season do WEC e que perdeu seu lugar para as 24h de Le Mans. O britânico estreante de 34 anos tem experiência em provas de longa duração pelo Asian Le Mans Series e VdeV Endurance Challenge, além do British GT. Neste ano, chegou em 2º em sua categoria na disputa das 12h de Bathurst, na Austrália


DEAN STONEMAN

24 de julho de 1990 (27 anos), Croydon, Inglaterra
Graduação: Ouro

Estreante no WEC
Em 2017: Não pontuou no Blancpain Endurance Series

A história de Dean Stoneman no automobilismo é daquelas que emocionam, por todos os obstáculos enfrentados. Campeão da Fórmula 2 criada por Jonathan Palmer e Patrick Head em 2010, estava com tudo acertado para ingressar na World Series Fórmula V8 até ser diagnosticado com um câncer nos testículos. Curado, o inglês voltou às pistas em 2013, foi vice-campeão da GP3 Series com cinco vitórias, chegou à World Series enfim, passou pela GP2 e teve um período na Indy Lights defendendo a Andretti. Nas pistas americanas, triunfou tanto no misto quanto no oval de Indianápolis, terminando o campeonato em 5º lugar. Após uma passagem pouco brilhante no Blancpain Endurance Series, chegou a vez de Dean fazer sua história no WEC.

Pilotos do carro #6


OLIVER ROWLAND

10 de agosto de 1992 (25 anos), Sheffield, Inglaterra
Graduação: Ouro

Estreante no WEC
Em 2017: 3º colocado na Fórmula 2

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Nomeado neste ano como piloto júnior da Williams (aos 25 anos, é bom lembrar), Oliver Rowland tem ótimo currículo nos campeonatos de base. Foi campeão da Fórmula Renault britânica em 2011 e da hoje extinta World Series V8 em 2015. Ano passado, terminou em 3º lugar na temporada da Fórmula 2 defendendo a DAMS, pela qual conquistou duas vitórias – em Mônaco e na Hungria – além de 10 pódios.


ALEX BRUNDLE

7 de agosto de 1990 (27 anos), King’s Lynn, Inglaterra
Graduação: Ouro

23 provas
3 vitórias
11 pódios
Melhor resultado: Vice-campeão da LMP2 em 2013
Em 2017: 13º colocado no Mundial de Pilotos (37 pontos); 11º colocado na LMP2 (77 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado: 3º lugar em 2017

Filho de Martin Brundle, antigo rival de Ayrton Senna na F3 inglesa nos anos 1980, Alex Brundle vai disputar sua primeira temporada no WEC com um protótipo LMP1, após passagens por OAK Racing, G-Drive e Jackie Chan DC Racing, com direito ao vice-campeonato de pilotos na LMP2 em 2013. Ano passado, ele e seus companheiros de equipe não tiveram uma temporada de grandes resultados. Salvou-se apenas o pódio da categoria em Le Mans, o que não foi suficiente para mantê-lo a bordo no time. Acabou acertando com a Manor dias antes do início do Prólogo em Paul Ricard. E como a equipe não apresentou-se em Spa, a corrida que marca sua sétima aparição em Sarthe será finalmente sua estreia pela nova equipe.


OLIVER TURVEY

1º de abril de 1987 (31 anos), Penrith, Inglaterra
Graduação: Platina

Estreante no WEC
Em 2017: 12º colocado da Fórmula E

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado: 5º lugar em 2014

Oliver Turvey fechou o sexteto de pilotos da Manor para a Super Season. Aos 31 anos, o piloto britânico fez carreira nos monopostos até 2009, a partir daí migrando para os Esporte-Protótipos e Grã-Turismo. Fez duas temporadas no Super GT japonês e conquistou o título das 24h de Le Mans na classe LMP2 em 2014, além do vice na mesma categoria no ano seguinte. Foi companheiro de Nelsinho Piquet na Fórmula E pela equipe NEXTEV, hoje NIO – que ainda defende no certame dos carros elétricos. É veloz e confiável.

.
.

TOYOTA GAZOO RACING

Sede: Colônia, Alemanha
Carro: Toyota TS050 Hybrid
Motor: Toyota 2,4 litros V6 Turbo
Em 2017: vice-campeã na classe LMP1
Vitórias: 16

Única fabricante oficial a sobreviver na classe LMP1 para a Super Season, a Toyota sabe que o favoritismo pode pesar contra suas aspirações de vencer um campeonato tido por muitos como ganho antes mesmo da temporada começar. Principalmente porque há um calcanhar de aquiles para os japoneses: as 24h de Le Mans. 

Numa temporada em que serão disputadas duas provas do maior evento de Endurance do planeta, o proverbial azar dos japoneses na clássica prova francesa pode ser fatal. Mas não dá para negar que, a princípio, não deverão ter muita oposição ao longo do ano. 

O grande destaque da Toyota para 2018/19 foi a contratação do espanhol Fernando Alonso. O bicampeão mundial de Fórmula 1 é, sem qualquer sombra de dúvida, a grande atração do WEC. O que certamente vai gerar mais pressão não só no piloto, como na equipe também...

Pilotos do carro #7


MIKE CONWAY

19 de agosto de 1983 (34 anos), Bromley, Inglaterra
Graduação: Platina

38 provas
6 vitórias
15 pódios
Melhor resultado: 3º colocado da LMP2 em 2013 e da LMP1 em 2016
Em 2017: 5º colocado no Mundial de Pilotos (103,5 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 4
Melhor resultado: 2º lugar em 2016

Campeão inglês de Fórmula 3 – derrotando Bruno Senna – e vencedor do GP de Macau em 2006, Mike Conway chegou ao Endurance após uma participação irregular na Fórmula Indy, onde conquistou quatro vitórias pelas equipes Andretti, Dale Coyne e ECR, além de ficar marcado por dois acidentes gravíssimos nas 500 Milhas de Indianápolis. No WEC, onde corre desde 2013, teve resultados mais expressivos na LMP2 do que na classe principal. Defende a Toyota desde 2014, com apenas duas vitórias pela marca. Vai para sua quinta participação em Le Mans, onde fez parte da tripulação que chegou em 2º lugar, na dolorosa derrota da Toyota em 2016 para a Porsche.


KAMUI KOBAYASHI

13 de setembro de 1986 (31 anos), Amagasaki, Japão
Graduação: Platina

27 provas
1 vitória
14 pódios
Melhor resultado: 3º colocado da LMP1 em 2016
Em 2017: 5º colocado no Mundial de Pilotos (103,5 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 4
Melhor resultado: 2º lugar em 2016

O “mito” Kamui Kobayashi vai para seu terceiro campeonato como piloto da Toyota no WEC após passar pela competição em 2013 pela AF Corse com uma Ferrari LMGTE-PRO. O japonês mais querido pelos fãs da velocidade disputou 75 GPs de Fórmula 1 por Toyota, Sauber e Caterham, conquistando um 3º lugar em casa, no ano de 2012, como melhor resultado. Chegou até a fazer vaquinha para continuar a competir, mas quando voltou, pegou uma equipe que não lhe deu condições de fazer um bom trabalho. Hoje, “Koba San” divide seu tempo entre WEC, Super GT e Super Fórmula. No ano passado, fez a pole para as 24h de Le Mans, quebrando um recorde que durou por 32 anos.


JOSÉ MARÍA LÓPEZ

26 de abril de 1983 (34 anos), Rio Tercero, Argentina
Graduação: Platina

9 provas
Nenhuma vitória
3 pódios
Melhor resultado: 8º colocado da LMP1 em 2017
Em 2017: 8º colocado no Mundial de Pilotos (64,5 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado: abandono em 2017

Participante da primeira temporada da história da GP2 Series (hoje Fórmula 2) em 2005, José María López não conseguiu chegar à Fórmula 1, por conta do malogro do projeto USF1, que nunca saiu do papel. O jeito foi dar sequência na carreira nas competições de Turismo, vencendo no TC2000 em seu país e se consagrando tricampeão mundial do WTCC com 29 vitórias naquela categoria. Em seu primeiro ano no Endurance, errou bastante e só conquistou dois pódios, em Fuji e em Nürburgring.

Pilotos do carro #8


FERNANDO ALONSO

29 de julho de 1981 (36 anos), Oviedo, Espanha
Graduação: Platina

Estreante no WEC
1 prova
1 vitória
1 pódio
Em 2017: 15º colocado no Mundial de Fórmula 1; 24º colocado na Indy 500

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Bicampeão mundial de Fórmula 1 pela Renault em 2005/06, o espanhol Fernando Alonso segue o mesmo caminho que muitos pilotos da categoria máxima faziam no passado por conta da possibilidade de disputar mais provas ao longo de um mesmo ano. O piloto da McLaren sondou o terreno com uma participação estrondosa nas 500 Milhas de Indianápolis. Depois, fez um teste pela Toyota no circuito do Bahrein e disputou a primeira prova de Endurance em janeiro último, as 24h de Daytona – inclusive com direito à liderança ocasional da corrida, antes de abandonar. Na mesma semana, foi anunciado como piloto da Toyota não só para as 24h de Le Mans, como também para toda a Super Season do WEC. Todos os olhos estão voltados para o asturiano...
 

SEBASTIÉN BUEMI

31 de outubro de 1988 (28 anos), Äigle, Suíça
Graduação: Platina

44 provas
11 vitórias
20 pódios
Melhor resultado: campeão da LMP1 em 2014
Em 2017: vice-campeão no Mundial de Pilotos (183 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado: 2º lugar em 2013

Sebastién Buemi é hoje um dos mais experientes pilotos do WEC. Um dos únicos remanescentes da equipe Toyota desde o início do projeto em 2012, foi campeão mundial em 2014 e vice ano passado. Curiosamente, em 2017 venceu mais corridas (cinco) do que quando levantou o caneco do Mundial de Endurance. Também tem sido muito bem-sucedido na Fórmula E, conquistando o título da segunda temporada (2015-16). Na Fórmula 1, disputou 55 GPs pela Toro Rosso e marcou 29 pontos na carreira. Vai para sua sétima aparição em Le Mans, com dois pódios apenas e um vice-campeonato em 2013 como melhor resultado.


KAZUKI NAKAJIMA

11 de janeiro de 1985 (33 anos), Okazaki, Japão
Graduação: Platina

38 provas
8 vitórias
17 pódios
Melhor resultado: vice-campeão da LMP1 em 2017
Em 2017: vice-campeão no Mundial de Pilotos (183 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado: 4º lugar em 2013

Filho mais velho de Satoru Nakajima, lenda viva do esporte a motor do Japão, Kazuki é um verdadeiro ‘fominha’ das pistas. Desde que deixou a Fórmula 1 após duas temporadas completas, 36 GPs disputados pela Williams e somente nove pontos somados, divide seu tempo entre Super Fórmula (campeão em 2012 e 2014), Super GT e WEC, sempre ligado à Toyota. De suas sete vitórias no Mundial de Endurance, três foram no circuito de Fuji. Ano passado, fez sua melhor temporada na categoria e ficou com o vice-campeonato. Jamais subiu ao pódio em Sarthe nas seis participações anteriores na prova francesa.

.
.

DRAGONSPEED 

Sede: Signes, França e Delray Beach, EUA
Carro: BR Engineering BR1
Motor: Gibson GL458 4,5 litros V8
Em 2017: 8ª colocada no ELMS
Vitórias: 1 no ELMS

Única equipe do WEC a fazer um programa de LMP1 e LMP2, a DragonSpeed estreia na divisão principal com o novo protótipo BR Engineering, desenvolvido em conjunto com a Dallara, na Itália, a mando do milionário russo Boris Rotemberg. Sob o comando de Elton Julian, a escuderia quer fazer uma boa primeira temporada na turma de cima. Contudo, o acidente grave sofrido por Pietro Fittipaldi nos treinos das 6h de Spa-Francorchamps pôs uma nuvem negra acerca das questões de segurança do carro da equipe que tem sede na França e nos EUA.

Pilotos do carro #10


BEN HANLEY 

22 de janeiro de 1985 (33 anos), Manchester, Inglaterra
Graduação: Ouro

6 provas
Nenhuma vitória
1 pódio
Melhor resultado: 17º colocado da LMP2 em 2017
Em 2017: 27º colocado no Mundial de Pilotos (12 pontos) e 17º colocado na LMP2 (53 pontos); 11º colocado no ELMS (LMP2)

Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado: 14º lugar em 2017

Excelente kartista, com títulos mundiais no currículo, o britânico Ben Hanley vai para sua primeira temporada completa no WEC, pela mesma equipe que já defende desde 2016 no ELMS. Ano passado, o piloto de 33 anos fez suas primeiras provas no Mundial defendendo três equipes diferentes – TDS Racing, G-Drive e Manor, conquistando um pódio em seis provas. Estreou em Le Mans ano passado com o 14º lugar na classificação geral.


HENRIK HEDMAN

5 de janeiro de 1968 (50 anos), Suécia
Graduação: Bronze

Estreante no WEC
Em 2017: 11º colocado no ELMS (LMP2)

Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado: 14º lugar em 2017

Radicado nos EUA, o sueco Henrik Hedman vai contar com o beneplácito da FIA, que abrirá um precedente para que o piloto de 50 anos, com graduação bronze, possa disputar o WEC na classe LMP1. Há um forte motivo: a DragonSpeed depende do dinheiro do gentleman driver para poder investir num programa inédito no Mundial de Endurance com dois carros. Hedman é oriundo do Pirelli World Challenge e vem disputando provas do ELMS nos dois últimos anos. Não é um piloto rápido e pode prejudicar a equipe na maioria das corridas do Mundial.


RENGER VAN DER ZANDE

16 de fevereiro de 1986 (32 anos), Dodewaard, Holanda
Graduação: Ouro

Estreante no WEC
Em 2017: 7º colocado no IMSA Weathertech SportsCar Championship (Prototype)

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

O holandês Renger Van der Zande foi o terceiro piloto escolhido pela DragonSpeed para a disputa do WEC na Super Season. Mas, por conta de compromissos já assumidos com sua nova equipe nos EUA, a Wayne Taylor Racing, ele não disputará pelo menos duas das provas do calendário em 2018, em Spa-Francorchamps e Fuji. O piloto de 32 anos nunca foi grande coisa nos monopostos, mas na IMSA conquistou bons resultados, como o título da extinta classe Prototype Challenge em 2016. Venceu uma corrida ano passado em Laguna Seca e fez a pole para as 24h de Daytona deste ano.


PIETRO FITTIPALDI

25 de junho de 1996 (21 anos), Miami, EUA (naturalizado brasileiro)
Graduação: Ouro

Estreante no WEC
Em 2017: campeão da World Series Fórmula V8

Não participa das 24h de Le Mans

Pietro Fittipaldi segue em busca do sonho da Fórmula 1, num ano decisivo para a sua carreira. Campeão da extinta World Series Fórmula V8, o piloto de 21 anos – e neto do bicampeão mundial de Fórmula 1 e das 500 Milhas de Indianápolis, Emerson Fittipaldi – assume os riscos de se dividir em três frentes em 2018. Além da Fórmula Indy, em temporada parcial pela Dale Coyne e também na Super Formula japonesa, pelo Team LeMans, o garoto está inscrito como o ‘regra três’ de Van der Zande pelo menos em duas etapas (Spa-Francorchamps e Fuji). No teste de novatos do WEC, ano passado, andou com o Porsche 919 Hybrid e deixou muito boa impressão.

.
.

SMP RACING

Sede: Le Luc, França e Moscou, Rússia
Carro: BR Engineering BR1
Motor: AER P60 V6 2,4 litros Biturbo
Em 2017: 4ª colocada no ELMS
Vitórias: 1 na LMP2 e 3 na LMGTE-AM

A SMP Racing faz seu debute na LMP1 com projeto próprio, uma boa dose de ambição e algum potencial. Em parceria com a ART Grand Prix, que cuida da estrutura e empresta mão de obra de primeiríssima qualidade, a organização russa tem condições de lutar de saída contra a Rebellion pelo posto de melhor equipe não-oficial da divisão principal de Protótipos. E como prova dos reais objetivos da equipe, ninguém menos que Jenson Button pode reforçar o carro #11 nas 24 Horas de Le Mans, fazendo assim sua estreia no WEC.

Pilotos do carro #11


MIKHAIL ALESHIN

22 de maio de 1987 (30 anos), Moscou, Rússia
Graduação: Platina

5 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
Melhor resultado: 16º colocado da LMP2 em 2016
Em 2017: 19º colocado na Fórmula Indy; 16º colocado nas 24h de Le Mans

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado: 11º lugar em 2016

Mikhail Aleshin volta ao FIA WEC na Super Season após aparições esporádicas pela SMP Racing há dois anos. O russo de 30 anos praticamente foi expulso da Fórmula Indy por conta dos prejuízos que deu à equipe que defendia, a Schmidt-Peterson. Tanto que sua temporada foi encerrada antes do previsto no ano passado. Aleshin busca mais uma etapa de reconstrução de uma carreira que chegou a ser dada como perdida após ganhar a World Series Fórmula V8 em 2010. Disputa as 24h de Le Mans pela quarta vez na carreira.


VITALY PETROV

8 de setembro de 1984 (33 anos), Vyborg, Rússia
Graduação: Platina

19 provas
Nenhuma vitória
1 pódio
Melhor resultado: 9º colocado da LMP2 em 2016 
Em 2017: 32º colocado no Mundial de Pilotos (7 pontos) e 18º colocado da LMP2 (46 pontos)

Vitaly Petrov está assegurado para uma terceira temporada no WEC, a segunda pela SMP Racing e primeira na LMP1, após também defender a Manor. O ex-piloto de Fórmula 1 da Renault e Caterham, que disputou 57 provas com um pódio na categoria máxima, voltará a dividir pistas com o bicampeão de F1 Fernando Alonso, que não o conseguiu superar em Abu Dhabi na disputa pelo título em 2010, que acabou nas mãos de Sebastian Vettel. A exemplo de Aleshin, vai para a quarta aparição em Le Mans, onde já alcançou um 7º posto como melhor desempenho.
 

JENSON BUTTON

19 de janeiro de 1980 (38 anos), Frome, Grã-Bretanha
Graduação: Platina

Estreante no WEC
Em 2017: disputou o GP de Mônaco de Fórmula 1 (McLaren) e os 1000 km de Suzuka (Honda)

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

A experiência de quem tem mais de 300 GPs no currículo, um total de 15 vitórias e 50 pódios, resultando no título mundial de Fórmula 1 em 2009 com a Brawn GP, jamais pode ser desprezada. É nisso que a SMP Racing confia ao planejar promover a estreia de Jenson Button em Sarthe. As tratativas com o hoje piloto da Honda no Super GT foram reveladas pelos franceses da Auto Hebdo e podem dar samba – em que pese os problemas diplomáticos envolvendo os governos de Rússia e Inglaterra. Apesar das horas de voo, Button tem poucas provas de Endurance no currículo. Mas é inegável que o britânico pode agregar muito à equipe em termos de performance.

Pilotos do carro #17


STÉPHANE SARRAZIN

2 de novembro de 1975 (42 anos), Barjac, França
Graduação: Platina

45 provas
5 vitórias
22 pódios
Melhor resultado: 3º colocado da LMP1 em 2013 e 2016 
Em 2017: 17º colocado no Mundial de Pilotos (26 pontos)

Participações nas 24h de Le Mans: 16
Melhor resultado: 2º lugar em 2007, 2009, 2013 e 2016

O experiente e versátil Stéphane Sarrazin emprestará seu talento e conhecimento à equipe russa SMP Racing na Super Season. O francês de 42 anos se viu sem chances na Toyota com a contratação de Fernando Alonso e o caminho foi buscar uma nova equipe – para sua sorte, os russos vão trabalhar em colaboração com a ART Grand Prix, que é francesa. O “Mister Pole” dos últimos anos nas 24h de Le Mans também serviu à Peugeot e conquistou dois títulos no ELMS em 2007 e 2010 como melhores resultados no Endurance.


EGOR ORUDZHEV 

16 de outubro de 1995 (22 anos), São Petersburgo, Rússia
Graduação: Ouro

Estreante no WEC
1 prova
Em 2017: 6º colocado no ELMS (LMP2); 6º colocado na World Series Fórmula V8

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Egor Orudzhev é um dos jovens pilotos apadrinhados pelo grupo SMP Bank, que financia a equipe russa no WEC. O garoto de 22 anos tem um currículo bastante razoável em provas de monoposto, tendo conquistado sete triunfos na World Series Fórmula V8 em três temporadas. Ano passado, também surpreendeu ao lado de Matevos Isaakyan no ELMS, pois os dois não disputaram a temporada completa e ainda conquistaram três pódios consecutivos, com direito a um triunfo em Paul Ricard. Estreia este ano em Le Mans.


MATEVOS ISAAKYAN

17 de abril de 1998 (20 anos), Moscou, Rússia
Graduação: Ouro

Estreante no WEC
1 prova
Em 2017: vice-campeão na World Series Fórmula V8; 6º colocado no ELMS (LMP2)

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Dois anos mais jovem que seu compatriota Orudzhev, Matevos Isaakyan nunca foi um piloto de grande destaque nas categorias de base, exceto por uma 3ª colocação na Fórmula Renault Alps em 2014. Em duas temporadas na World Series Fórmula V8, conquistou três vitórias e no último ano faturou o vice-campeonato. Formou uma dupla bem entrosada com Orudzhev no ELMS e os dois mostraram muita velocidade com o Dallara LMP2 da equipe russa. Terá muito a evoluir na parceria com Sarrazin. Em Spa, sobreviveu a uma capotagem cinematográfica na subida do complexo Eau Rouge-Raidillon. Disputa sua primeira 24h de Le Mans.