Já não mais novato, Nasr enfrenta campeonato de tudo ou nada para garantir futuro na F1

Felipe Nasr passou boa impressão na temporada 2015 da F1, mas vai precisar de ainda mais em 2016 se quiser progredir e ter um longo futuro na categoria. O problema: uma Sauber que vai frequentar o fundo do grid

Gabriel Curty, de São Paulo

Felipe Nasr tem uma missão bastante ingrata para a temporada 2016 da F1. Em seu segundo ano na principal categoria do automobilismo mundial, o brasileiro precisa de resultados e rendimento melhores que os de 2015 caso queira estender sua passagem pelo campeonato.

Em um primeiro momento, fazer mais de 27 pontos e terminar acima do 13º lugar na classificação final parece ser uma tarefa tranquila. Mas não é bem assim. Em um ano em que todos os times mostram sinais de evolução, a Sauber aparenta ter parado no tempo.

Quer ler esta matéria na íntegra?