Legião estrangeira

São muitos os estrangeiros com grandes histórias nas 500 Milhas de Indianápolis. Os forasteiros vencedores, ao contrário do que muita gente pensa, começaram a marcar presença no longínquo ano de 1913

Gabriel Curty, de São Paulo
A Indy 500 é o sonho de consumo de praticamente todos os pilotos norte-americanos. Isso, porém, não quer dizer que estrangeiros não tenham vez na principal prova do automobilismo dos EUA. Muito pelo contrário: das 99 edições, 26 foram vencidas por forasteiros, um número bem considerável.
 
O sucesso dos estrangeiros se iniciou quase que quando a Indy 500 começou a ser disputada. Logo na terceira edição, no longínquo ano de 1913, o francês Jules Goux levou a melhor em uma prova que durou inacreditáveis 6 horas e 35 minutos. 
 
No ano seguinte, foi a vez de seu compatriota René Thomas despachar os donos da casa e vencer com o chassi Delage, em prova marcada pelo primeiro pódio totalmente de estrangeiros, com o belga Arthur Duray em segundo e o também francês Albert Guyot em terceiro.
Quer ler esta matéria na íntegra?