Siga-nos

Lado a Lado

Desempenho em Paul Ricard: Prost x Hamilton

Com Hamilton a uma vitória de igualar a maior sequência de triunfos em Paul Ricard, que pertence a Alain Prost, o GRANDE PREMIUM comparou as participações de ambos na pista francesa

Uma das vitórias de Lewis Hamilton em Paul Ricard, em 2019 (Foto: LAT Images/Mercedes)

O circuito que é sede dessa nova fase do GP da França, revivido em 2018 após mais de uma década de ausência, recebeu a Fórmula 1 16 vezes na história, quase sempre em séries curtas. O maior vencedor na pista localizada em Le Castellet, nas cercanias de Marselha, conta com o ídolo da casa, Alain Prost como o maior vencedor. O GRANDE PREMIUM aproveita para trazer a holofote os números de Prost na pista e compara aos de Lewis Hamilton, que estão apenas no princípio, mas são dominantes.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!
10+ Do grid da F1 para o Victory Lane da Indy

É claro que o leitor talvez estranhe. Que comparação mais descabida, podem pensar alguns, Hamilton só andou duas vezes na carreira em Paul Ricard. É verdade. A comparação aqui não serve para mostrar quem é o maior nesta pista francesa, mas para destacar que Hamilton já pode ter a maior sequência de vitórias da história da pista na Fórmula 1, ainda que esteja apenas dando os primeiros passos por lá. Além, evidentemente, de contar um pouco mais da história de um dos grandes pilotos de sua geração.

Paul Ricard entrou na baila do calendário da F1 sediando o GP da França de 1971, vencido por Jackie Stewart. Ao longo dos anos seguintes, os vencedores de cada passagem por lá seriam diferentes. Ronnie Peterson ganhou em 1973, enquanto Niki Lauda e James Hunt, respectivamente, levaram a melhor nos anos de 1975 e 1976. Mario Andretti venceu em 1978, antes da primeira corrida que contou com um novato Prost, em 1980. Esta ficou com Alan Jones. Alain largou em sétimo, mas teve problemas no câmbio e abandonou.

A primeira vitória de Prost em Paul Ricard (Foto: Reddit)

Prost venceu o primeiro de seus seis GPs da França no ano seguinte, mas em Dijon – a última vitória, em 1993, já seria em Magny-Cours. Já pela Renault, em 1982, Prost largou e terminou em segundo, atrás do companheiro de equipe e compatriota René Arnoux, mas o troco viria no ano seguinte. Arnoux defendia a Ferrari e nem sequer passou perto de um Prost que aplicou 2s3 na pole e venceu a corrida de maneira dominante, perdendo a ponta somente durante breves momentos na janela de pit-stop.

Fora em 1984, a F1 voltaria para a maior sequência que já teve em Paul Ricard: seis anos. Nelson Piquet e duas vezes Nigel Mansell receberam a quadriculada na frente entre 1985 e 1987, mas sempre com o francês. Nos três anos seguintes, porém, só deu ele. Em 1988, largou na pole e, após sofrer o undercut de Senna, ganhou uma batalha na pista na qual contou com os retardatários como trunfo para recuperar a dianteira.

No ano seguinte, mais uma batalha próxima. Prost fez a pole com 0s025 para Senna, mas o brasileiro tomou a dianteira na largada. Após uma falha no diferencial de Ayrton, contudo, Prost retomou a ponta e venceu com 44s de vantagem para o segundo colocado. A última vitória viria pela Ferrari, em 1990, mesmo após largar em quarto e no que foi uma corrida movimentada onde as duas Leyton House, de Ivan Capelli e Maurício Gugelmin tiveram chances de brilhar em dados momentos. Foi a 100ª vitória da Ferrari na F1.

Em 1988, Prost brigou com Senna, levou a melhor e venceu na França (Foto: Reddit)
Paddockast 106: Os maiores feitos de pilotos brasileiros

Após 1991, o GP da França partiu para Magny-Cours e por lá ficou até 2008. Velhos conhecidos da pista de Castellet, Prost, em 1993, e Mansell, em 1991 e 1992, voltaram a levar a melhor. Mas era a hora de uma nova geração: nesta pista, no centro da França, Michael Schumacher venceu oito vezes. A França ficou fora da F1 entre 2009 e 2017, até voltar em 2018.

O retorno foi bem no território Mercedes. Hamilton fez a pole naquele primeiro ano e contou com seus dois principais adversários, o ferrarista Sebastian Vettel e o companheiro Valtteri Bottas, colidiram logo no começo e abriram caminho para uma vitória tranquila. Em 2019, ainda mais fácil: uma pole com 0s3 de frente e dobradinha da Mercedes daquelas menos vibrantes, com Bottas distantes 18s atrás.

Ninguém sequer se aproximou de superar Hamilton desde o retorno de Paul Ricard à F1. A vitória no próximo fim de semana significaria a terceira seguida, superando as duas vitórias de Mansell e igualando a sequência de Prost entre 1988-1990 e ficando uma atrás do número total de vitórias do tetracampeão na pista próxima a Marselha. Será?

O GP da França de 1990 representou a 100ª vitória da Ferrari na F1 (Foto: Ferrari)

Alain Prost

Corridas em Paul Ricard: nove (1980, 1982-1983 e 1985-1990)
Vitórias: quatro (1983 e 1988-90)
Outros resultados: abandonou em 1980, 2º em 1982, 3º em 1985, 2º em 1986 e 3º em 1987
Equipe que defendia nas vitórias: Renault (1983), McLaren (1988-89) e Ferrari (1990)
Poles: nas vitórias de 1983, 1988 e 1989
Outras posições de largada: 7º em 1980, 2º em 1982, 4º em 1985, 5º em 1986, 2º em 1987 e 4º na vitória de 1990
Volta mais rápida: 1983 e 1988

Não teve para ninguém neste retorno de Paul Ricard à F1: só deu Hamilton (Foto: LAT Images/Mercedes)

Lewis Hamilton

Corridas em Paul Ricard: duas (2019-2020)
Vitórias consecutivas: duas (2018-19 e contando)
Outros resultados: A F1 ficou fora de Paul Ricard entre 1990 e 2018, além do evento cancelado em 2020
Equipe que defendia nas vitórias: Mercedes
Poles: nas vitórias de 2018 e 2019
Outras posições de largada:
Volta mais rápida: 2018

GP às 10: Bottas na Alfa Romeo? Fãs podem estranhar, mas seria vitória da equipe

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect