Siga-nos

Lado a Lado

Max Verstappen 2021 x Sebastian Vettel 2010

Únicos campeões mundiais de Fórmula 1 pela Red Bull, Sebastian Vettel e Max Verstappen precisaram esperar pela última corrida da temporada para soltar o grito de campeão. O GRANDE PREMIUM compara os números das conquistas, inéditas nas carreiras de ambos os pilotos

Max Verstappen enfim conquistou o título mundial da Fórmula 1 em 2021 (Foto: Red Bull Content Pool/Getty Images)

Max Verstappen assegurou o título mundial da Fórmula 1 em 2021, ao vencer Lewis Hamilton em uma corrida histórica em Abu Dhabi no último domingo (12). Restando cinco voltas para o final, era esperada uma vitória do dominante heptacampeão, mas um safety-car mudou a história. Foi apenas o segundo piloto a ser campeão pela Red Bull, após Sebastian Vettel, e o GRANDE PREMIUM aproveita para debater um pouco mais a trajetória de ambos em seus anos de conquista.

Vettel — hoje, piloto da Aston Martin — levantou a taça da Fórmula 1 pela primeira vez em 2010, feito que conseguiu repetir nos três anos seguintes. Verstappen, por sua vez, alcançou a glória em 2021, primeiro ano em que efetivamente pôde brigar pela conquista. São os dois únicos pilotos da Red Bull a assegurarem títulos mundiais na F1.

Em comum entre ambos, a corrida final: dois títulos assegurados em Abu Dhabi, em uma pista considerada monótona pelos fãs da categoria, mas que nessas duas edições proporcionou uma verdadeira montanha-russa de emoções no Circuito de Yas Marina. Abaixo, um detalhamento das duas temporadas feitas pelos campeões.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Verstappen se enrolou na bandeira da Holanda para comemorar primeiro título mundial dele e de seu país (Foto: Red Bull Content Pool/Getty Images)

Max Verstappen — 2021

Vitórias: 10 (Emília-Romanha, Mônaco, França, Estíria, Áustria, Bélgica, Holanda, EUA, México e Abu Dhabi)
Pódios: 18
Poles: 10
Pontos: 395.5
Posição: Campeão

Apesar de toda a polêmica que rondou principalmente as voltas finais do GP de Abu Dhabi — em que, de fato, o título poderia ir para qualquer um dos lados —, a conquista de Verstappen em 2021 é inquestionável. O holandês subiu a 18 pódios em 22 corridas, um dado que se torna ainda mais espetacular se considerarmos que das quatro em que não terminou entre os três primeiros, abandonou em três: Azerbaijão, Inglaterra e Itália. Apenas na Hungria, quando foi abalroado por Valtteri Bottas na primeira curva, o agora campeão não terminou no top-3.

Dá para melhorar: Verstappen não chegou em terceiro em nenhuma corrida da temporada 2021. Ou seja, todas as vezes em que subiu ao pódio nessas 18 corridas, foi com a vitória ou o segundo lugar. Desta forma, fica difícil dizer que o título do holandês não foi merecido — independentemente de qualquer polêmica.

Max batalhou com um dos maiores pilotos de todos os tempos — se não o maior — e venceu. Trouxe problemas a Hamilton que o heptacampeão do mundo não estava mais acostumado, pelo menos desde a derrota para Nico Rosberg em 2016. A verdade é que se não fosse pelo furo de pneu do holandês no Azerbaijão (quando liderava) e o abandono na Inglaterra com direito a vitória de Lewis, é possível que o título já estivesse assegurado com algumas etapas de antecedência.

Não que Hamilton tenha feito uma temporada ruim. Para se manter no páreo pelo título até o final em uma temporada que Verstappen foi tão dominante, Lewis precisou pilotar muito em 2021 e apresentou uma subida de produção na reta final do ano que quase lhe valeu o octa: venceu três seguidas, em Brasil, Catar e Arábia Saudita, e o triunfo na quarta, em Abu Dhabi, lhe daria a taça. Não deu.

Vale destacar que Verstappen possui 13 poles em toda sua trajetória na Fórmula 1, ou seja, havia conquistado apenas três antes das dez de 2021. Max demonstrou arrojo, velocidade e principalmente, gana de vencer. Passou do ponto em alguns momentos dentro da pista, indiscutivelmente, e poderia ter colocado tudo a perder arriscando uma punição grave. Mas não foi o que aconteceu, e o título da Fórmula 1 em 2021 acabou terminando em boas mãos: com o melhor piloto da temporada.

Sebastian Vettel comemora seu primeiro título mundial, aos 23 anos de idade (Foto: Red Bull Content Pool/Getty Images)

Sebastian Vettel — 2010

Vitórias: 5 (Malásia, Europa, Japão, Brasil e Abu Dhabi)
Pódios: 10
Poles: 10
Pontos: 256
Posição: Campeão

O primeiro título de Sebastian Vettel na Fórmula 1, em 2010 — viriam outros três em 2011, 2012 e 2013 —, veio com metade das vitórias de Verstappen, mas é necessário levar em consideração alguns fatores. Primeiramente, o campeonato teve 19 etapas, três a menos do que as 22 de 2021. Além disso, a concorrência pelo título era completamente diferente antes da entrada da Era Híbrida, em 2014. Para se ter uma ideia, quatro pilotos chegaram à última etapa em condições de alcançarem a taça: Vettel, Fernando Alonso, Lewis Hamilton e Mark Webber.

Vettel foi pressionado por Hamilton na largada em 2010, mas conseguiu manter a primeira posição (Foto: Reprodução)

Decididamente não foi uma temporada dominante para o alemão, que precisou encarar as fortes concorrências de Ferrari e McLaren ao longo do ano. Até a 15ª etapa do campeonato, em Singapura, Vettel tinha vencido apenas duas corridas. Triunfou três vezes nas quatro etapas finais — poderiam ser quatro vitórias se o motor não abrisse o bico na Coréia do Sul —, e assim conseguiu ultrapassar Alonso pela liderança. E a saga do espanhol em Yas Marina merece um parágrafo à parte.

Apesar de sair na pole-position em Abu Dhabi, Vettel não dependia apenas de si para ser campeão. Quem possuía essa vantagem era Alonso, que largava em terceiro e poderia até mesmo chegar em quarto em caso de vitória do alemão. O problema é que a Ferrari mirou seu foco em outro competidor, Mark Webber, e decidiu “marcar” o australiano em sua estratégia. Assim, a escuderia italiana chamou Alonso aos boxes com o objetivo de não perder contato com o piloto da Red Bull.

A estratégia deu completamente errado, e Alonso ficou preso atrás da Renault de Vitaly Petrov, que já havia parado e feito sua troca de pneus sob regime de safety-car. Em 11º e sem conseguir passar o russo, Fernando teve uma corrida decepcionante em Abu Dhabi. Até conseguiu subir para o sétimo posto com as paradas dos outros competidores, mas não passou disso.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Alonso ficou preso atrás de Petrov e não conseguiu passar o russo até a bandeirada, perdendo o título (Foto: Reprodução)

Vettel, que não tinha nada a ver com isso, rumou para uma tranquila vitória de ponta a ponta, com Hamilton em segundo e Jenson Button em terceiro. Pela primeira vez desde 2007, com Kimi Räikkönen, o piloto que chegava em terceiro à última etapa do ano saía com o título. Além disso, a corrida que selou a conquista do alemão em Abu Dhabi foi a última sem o advento da asa móvel na Fórmula 1, que veio justamente para evitar situações como a de Alonso, preso atrás de um carro mais lento.

Vettel quebrou alguns recordes com o título de 2010. Se tornou o mais jovem a levantar a taça da Fórmula 1, aos 23 anos e 134 dias, marca que perdura até os dias atuais. O alemão também foi o primeiro piloto da história da categoria a ser campeão sem ter liderado uma rodada sequer do campeonato — Sebastian conseguiu assumir a liderança apenas uma única vez, justamente após a vitória em Abu Dhabi.

Leia mais:

VERSTAPPEN CAMPEÃO SOBRE HAMILTON: TUDO SOBRE A F1 2021 | Paddock GP #272

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect