Os campeonatos de Equipes da Fórmula E

Com o passar dos anos na Fórmula E, que agora já viu o fim de sua quinta temporada, a briga pelo título foi ficando disputada. Após dois anos iniciais de vantagens esgarçadas, as coisas se embolara até que alguém pudesse estocar o clubinho de Renault e Audi

Pedro Henrique Marum, do Rio de Janeiro

Pela primeira vez na história da Fórmula E, alguma equipe conseguiu quebrar o domínio de Renault e Audi no Campeonato de Equipes da categoria. Nas quatro primeiras temporadas, somente as duas fábricas haviam conquistado e, ao menos em dois anos, com dobradinha. Com a ajuda da DS, a Techeetah ingressou no clubinho. Uma avaliação mais aprofundada dos números mostra ainda que o campeonato tem sido mais equilibrado com o passar dos anos.

Renault e Audi foram as primeiras gigantes do mercado automotivo internacional a abraçar o campeonato. A Renault, logo de cara, como equipe de fábrica; a Audi, nas primeiras três temporadas, como parceira-técnica da ABT Sportsline. Mas acreditaram na categoria e viram o resultado pago.

A marca francesa foi a campeã nos três primeiros anos e quinta colocada na temporada #4, antes de deixar a categoria e entregar o time nas mãos da coirmã Nissan; a Audi ficou em terceiro no ano de abertura, foi vice nas duas temporadas seguintes e campeã na sequência. Neste quinto ano, voltou a ser vice.

A Techeetah nasceu apenas na temporada 2016/17, após o grupo chinês comprar a japonesa Aguri. Com um carro rápido e de motor Renault no primeiro ano, mostrou velocidade e falta de confiabilidade. No ano seguinte, superou a Renault mesmo com o mesmo motor e faturou o título de Pilotos - o de equipes escapou na corrida derradeira. No ano que passou, agora como equipe oficial da DS, foi campeã. 

A DS, aliás, havia conseguido entrar duas vezes no top-3 das equipes nos tempos de parceria com a Virgin. Agora, com o time chinês, deu o passo à frente.

Em relação à briga pelo título, a disputa mais desigual foi exatamente aquela da temporada inicial. Apenas no campeonato original a diferença da campeã foi maior que aquele possível de alcançar em apenas uma corrida. O GRANDE PREMIUM avalia o clubinho dos campeões.

A conclusão inicial que dá para tirar é que a Renault parceira da categoria e interessada desde o começo, saiu bem na frente das outras em relação à sofisticação da tecnologia nos carros. Conforme o tempo passou, a diferença caiu - ao menos para quem tinha grana para investir. Nesta quinta temporada, com uma nova geração de carros e equipamentos, desenvolvidos com o mesmo tempo disponível para todas as equipes, a coisa se embolou ainda mais.

TEMPORADA 2014/15

Campeã: Renault e.dams
Vice: Dragon
3ª colocada: Audi Abt
Corridas: 11
Pontos da campeã: 232
Diferença para a vice: 61
Diferença para a 3ª: 67
Vitórias da campeã: 4
Vitórias da vice: 1
Vitórias da 3ª: 1
Pódio da campeã: 7
Pódio da vice: 5
Pódio da 3ª: 7

TEMPORADA 2015/16

Campeã: Renault e.dams
Vice: Audi ABT
3ª colocada: DS Virgin
Corridas: 10
Pontos da campeã: 270
Diferença para a vice: 49
Diferença para a 3ª: 126
Vitórias da campeã: 5
Vitórias da vice: 3
Vitórias da 3ª: 1
Pódio da campeã: 9
Pódio da vice: 10
Pódio da 3ª: 4

TEMPORADA 2016/17

Campeã: Renault e.dams
Vice: Audi ABT
3ª colocada: Mahindra
Corridas: 12
Pontos da campeã: 268
Diferença para a vice: 20
Diferença para a 3ª: 53
Vitórias da campeã: 6
Vitórias da vice: 2
Vitórias da 3ª: 1
Pódio da campeã: 6
Pódio da vice: 7
Pódio da 3ª: 10

TEMPORADA 2017/18

Campeã: Audi
Vice: Techeetah
3ª colocada: DS Virgin
Corridas: 12
Pontos da campeã: 264
Diferença para a vice: 2
Diferença para a 3ª: 96
Vitórias da campeã: 4
Vitórias da vice: 4
Vitórias da 3ª: 2
Pódio da campeã: 11
Pódio da vice: 7
Pódio da 3ª: 6

TEMPORADA 2018/19

Campeã: DS Techeetah
Vice: Audi
3ª colocada: Virgin
Corridas: 13
Pontos da campeã: 222
Diferença para a vice: 19
Diferença para a 3ª: 31
Vitórias da campeã: 3
Vitórias da vice: 2
Vitórias da 3ª: 3
Pódio da campeã: 7
Pódio da vice: 5
Pódio da 3ª: 6