Poles seguidas: Leclerc 2019 x Vettel 2011

As quatro poles seguidas de Charles Leclerc marcam a primeira vez desde 2011 em que um piloto fora da Mercedes consegue enfileirar uma sequência como essa. O responsável pela marca anterior: o hoje companheiro de Leclerc, Sebastian Vettel

Pedro Henrique Marum, do Rio de Janeiro

Charles Leclerc está numa espetacular sequência. Afinal, não é todo dia que alguém consegue empilhar quatro pole-positions de forma seguida na Fórmula 1, seja quais forem as consequências. Sobretudo, neste momento histórico, se você não for um piloto da Mercedes. Nos últimos anos, todos eles com amplo domínio da equipe alemã, campeã nos últimos cinco anos e perto do sexto título de Construtores, Lewis Hamilton e Nico Rosberg conseguiram sequências de poles também, mas é necessário buscar além disso e fora do casebre prateado.

Durante o segundo ano dele na Fórmula 1 - e primeiro na Ferrari -, Leclerc encara um desafio considerável: Sebastian Vettel. O tetracampeão mundial está, desde o fim do ano passado, no pior momento na carreira e, com isso, permitiu a Leclerc marcar mais pontos nestas primeiras 15 corridas do ano. 

É apenas um dos duelos entre os dois. São muitas as reclamações captadas pelo rádio, sobretudo do monegasco. Leclerc impressiona em 2019, mas vive em contínuo estado de certeza sobre a perseguição que a Ferrari tem contra ele em favor de Vettel. Há quem goste e há quem deteste, mas fato é que o clima na Ferrari, após anos de boa praça com Vettel e Kimi Räikkönen, já não é das mais agradáveis. 

De volta à sequência: Leclerc é o primeiro piloto fora da Mercedes e engatar quatro poles seguidas desde 2011. E o responsável pela série oito anos atrás? Sebastian Vettel, então na Red Bull.

Leclerc e Vettel
Divulgação/Ferrari

Há semelhanças e diferenças claras entre as situações de Vettel e Leclerc. Há mais óbvia está no lastro conquistado por resultados. Vettel já era campeão mundial e caminha para o bi, além de ter sido vice antes disso e estava na quarta temporada completa no grid. Tinha 24 anos contra os quase 22 de Charles em 2019. 

O que tem de semelhanças? Podemos começar pelo fato de ser um jovem do qual muito se espera. E seguir com a questão do companheiro. Vettel encarava na Red Bull um veterano, Mark Webber, bom piloto e rival que não prezava exatamente por manter um ambiente amistoso. Leclerc encara algo semelhante. Vettel não é tão afeito aos jogos mentais quanto era Webber, mas Leclerc é como ele mesmo era oito anos atrás: está mais perto de agradecer a briga que de evitá-la. Entre os dois, a equipe tem de intervir.

O GRANDE PREMIUM destaca a sequência e o destino de Vettel naquelas quatro poles de forte Red Bull em 2011 na comparação com as quatro de Leclerc.

Vettel na pole da Bélgica
Red Bull Content Pool/Getty Images

2011 - Sebastian Vettel

Equipe: Red Bull
Idade: 24 anos
Poles seguidas: cinco
GPs: Hungria, Bélgica, Itália, Singapura e Japão
Datas: de 30 de julho até 8 de outubro
Quantas viraram vitórias: três (Bélgica, Itália e Singapura)
E nas outras: segundo na Hungria e terceiro no Japão - ambas vencidas por Button
Quantas poles tinha até o começo da série: sete
Com quantas poles terminou o ano: 15
Posição ao fim do campeonato: campeão

O campeonato foi todo dele. Vettel já começara a temporada com uma sequência de quatro poles e havia enfileirado outra de três, sempre quebradas por Webber. Apenas uma vez naquele ano - exatamente com Lewis Hamilton, então na McLaren - a Red Bull ficou fora da pole. Vettel tinha o melhor carro do grid e dominou  Webber como ainda não tinha feito. Um ano antes, o título veio na última corrida do campeonato e com somente dez tentos de vantagem para o australiano - e quatro para o ferrarista Fernando Alonso.

Em 2011, porém, o campeonato esteve no papo o tempo todo. E foi durante o fim de semana desta sequência, no Japão, que Vettel confirmou o título com o terceiro posto, após Jenson Button buscar a vitória. Quando Hamilton quebrou a série, na Coreia do Sul, o campeonato estava decidido. Mesmo assim, Seb ainda seria o pole na Índia, em Abu Dhabi e no Brasil. 

2019 - Charles Leclerc

Equipe: Ferrari
Idade: 21 anos
Poles seguidas: quatro
GPs: Bélgica, Itália, Singapura e Rússia
Datas: de 1 de setembro até 29 de setembro
Quantas viraram vitórias: duas (Bélgica, Itália)
E nas outras: segundo em Singapura (Vettel) e terceiro na Rússia (Hamilton)
Quantas poles tinha até o começo da série: duas
Com quantas poles está: seis e ainda há mais cinco etapas
Posição no campeonato: terceiro colocado - 107 pontos atrás de Hamilton e 34 de Bottas

Num ano em que a Ferrari só acordou para vida justamente nestas quatro etapas, Leclerc é o piloto que mais anotou pole-positions. Marcou a posição de honra na Áustria e no Bahrein, além, claro, da sequência atual. Hamilton e Bottas contam com quatro poles, ao passo que Vettel e Verstappen anotaram uma cada. É algo impressionante, embora não mostre pontos. O monegasco é rápido.

Quanto a transformar as poles em vitórias, Leclerc conseguiu nos tradicionais GPs disputados em Spa e Monza, enquanto tinha tudo engatilhado em Sakhir, quando acabou traído por um problema de motor que tirou potência e forçaria abandono da prova tivesse acontecido na metade da corrida. Como foi no fim, Charles segurou o terceiro lugar. Respectivamente na Áustria e Singapura, foi batido justamente por Verstappen e Vettel, respectivamente, e foi segundo em ambas. No último fim de semana, na Rússia, era o segundo colocado novamente atrás de Vettel, mas uma série de eventos colocou as duas Mercedes à frente e fez com que Leclerc fechasse em terceiro. 

Fato é que Leclerc é uma sensação, daquelas figuras que chama a atenção não importa o que pensem dele. E é rápido.