Equipes e pilotos LMP2

A segunda classe dos protótipos no Mundial de Endurance reúne o maior número de carros nas 24 Horas de Le Mans, 20. Em La Sarthe, André Negrão chega com chances de faturar o título do WEC na classe

Rodrigo Mattar, do Rio de Janeiro &
Fernando Silva, de Sumaré

HIGH CLASS RACING
 

Sede: Aalborg, Dinamarca
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018: 16ª colocada na LMP2 (ELMS)

A High Class Racing nasceu de uma ideia do pai do piloto Anders Fjørdbach, que fundou o time em 1989 e chegou a fechar as portas em 2004.  Após perambular por várias equipes e categorias, Anders e Dennis Andersen voltaram com a estrutura há três anos, para disputar o European Le Mans Series, além do extinto campeonato Renault Sport Trophy. Surpreenderam há dois anos com o 6º lugar, a bordo do chassi Dallara P217, mas já não foram tão bem na última temporada.

Para este ano, mudaram em busca de resultados para o modelo Oreca 07, mas se viram – assim como em 2018 – na lista de espera, aguardando por desistências para estrear nas 24h de Le Mans. O ACO decidiu construir mais duas garagens extras, expandindo o total de carros para 62 e dando aos nórdicos a chance de uma estreia. Certamente usarão a participação nas 24h de Le Mans como aprendizado.

Pilotos do carro #20

 

DENNIS ANDERSEN

21 de junho de 1974 (44 anos), Vejle, Dinamarca
Graduação: Bronze

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Antes de vir para o ELMS e formar dupla com Anders Fjørdbach na High Class Racing nos últimos anos, o pouco que se sabia de Dennis Andersen é que este dinamarquês nascido em Vejle foi 3º colocado no Ferrari Challenge Europe – Coppa Shell, isso em 2011, ano em que tardiamente iniciou sua carreira de piloto de competição.

Como graduado bronze, o nórdico tem como única pretensão aprender as manhas da pilotagem em La Sarthe, principalmente no período noturno, para não comprometer a performance da equipe e assim deixar escapar a chance de um resultado digno.

 

ANDERS FJØRDBACH

4 de novembro de 1990 (28 anos), Aalborg, Dinamarca
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Anders Fjørdbach tem razoável experiência em provas longas: começou nelas ao disputar o certame 24h Series, com títulos na classe 991 (Porsche Cup), além de vitórias em subclasses nas 24h de Nürburgring e Dubai. Esteve também no Renault Sport Trophy e há três temporadas pilota os protótipos LMP2 da High Class Racing. Competiu no último campeonato bienal do Asian Le Mans Series e agora está pronto para estrear nas 24h de Le Mans.

 

MATHIAS BECHE

28 de junho de 1986 (32 anos), Genebra, Suíça
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: 7
Melhor resultado: 3º lugar em 2018

Mathias Beche estava até há bem poucas corridas na Rebellion Racing: o suíço de 32 anos acabou afastado da equipe anglo-helvética antes do término da Super Season, dando lugar a Nathanaël Berthon. Sua experiência pregressa de sete aparições nas 24h de Le Mans, com o terceiro lugar na última edição, ano passado, não podia ser desprezada.

E foi pensando nisso que a High Class Racing o colocou para completar a trinca do carro #20 na prova de estreia dos nórdicos em La Sarthe. Como a Rebellion faz uso de uma versão mais, digamos, “encorpada” do modelo construído no ateliê de Hughes de Chaunac, a opção por seus serviços é bastante crível.

.
.

UNITED AUTOSPORTS
 

Sede: Garforth, Inglaterra
Carro: Ligier JS P217
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018: Campeã do Asian Le Mans Series (temporada 2018/19); 4ª colocada na LMP2 e 3ª colocada na LMP3 (ELMS)

Comandada por Richard Dean e Zak Brown (ele mesmo, o CEO da McLaren), a United Autosports é uma organização anglo-britânica que mostrou muito crescimento no Endurance internacional nos últimos anos.

Os bons resultados mostram isso. Em sua estreia nas 24h de Le Mans, há dois anos, alcançaram um ótimo resultado – quarto na categoria LMP2 e quinto na geral, alcançando ainda a terceira posição na classe em 2018. Talvez o modelo Ligier JS P217 usado pelo time seja um dos pontos fracos, embora tenham demonstrado sólidas performances nas suas aparições em outras provas de longa duração e de outros campeonatos, tal como o Asian Le Mans Series, o que rendeu à equipe uma vaga direta para a corrida deste ano.

As expectativas maiores estão nos pilotos mais experientes, como o português Filipe Albuquerque e nos britânicos Paul Di Resta e Alex Brundle.

Pilotos do carro #22

 

FILIPE ALBUQUERQUE

13 de junho de 1985 (34 anos), Coimbra, Portugal
Graduação: Platina

Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado: 5º lugar em 2017

O português Filipe Albuquerque é hoje um dos ídolos do “desporto motorizado” em seu país. Natural de Coimbra, o piloto que está também na IMSA dividindo um Cadillac DPi com o compatriota João Barbosa, defende a United Autosports há três temporadas no ELMS, com a chance de migrar para o WEC na temporada 2019/20 e voltar ao Mundial de Endurance. Em Le Mans, fez cinco provas e o 5º posto na edição de 2017 é seu melhor resultado até hoje.

 

PHIL HANSON

5 de julho de 1999 (19 anos), Berkshire, Inglaterra
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 11º lugar em 2017

Com apenas 19 anos de idade, o britânico Phil Hanson foi um dos mais jovens pilotos de sempre a conduzir um carro de competição em La Sarthe, no ano retrasado. E não comprometeu em sua estreia, já que terminou num mais do que razoável 11º lugar em 2017, defendendo a defunta Tockwith Motorsports.

Desde o ano passado, integra o plantel da United Autosports, tendo sido campeão do Asian Le Mans Series e conquistado duas vitórias junto a Albuquerque no ELMS ano passado. Será a terceira participação do britânico na clássica prova francesa.

 

PAUL DI RESTA

16 de abril de 1986 (33 anos), Uphall, Escócia
Graduação: Platina

Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado: não terminou em 2018

Primo de Dario e Marino Franchitti, Paul Di Resta teve como pontos altos na carreira, iniciada em 2003 na Fórmula Renault britânica, títulos do Europeu e do Masters de Fórmula 3 em 2006 e do DTM em 2010, defendendo a Mercedes-Benz.

Por influência da montadora alemã, chegou à Fórmula 1 via Force India, disputando 58 GPs com um 12º posto no Mundial de Pilotos como melhor resultado. Em paralelo ao trabalho de analista das transmissões de televisão da categoria máxima, voltou ao DTM, fez uma aparição-relâmpago no GP da Hungria em 2017, como substituto de Felipe Massa e nos últimos anos fez a temporada completa do Asian Le Mans Series (onde foi campeão), além de disputar as 24h de Daytona e de Le Mans. Ano passado, bateu em sua estreia na prova francesa.

 

Pilotos do carro #32


WILL OWEN

23 de março de 1995 (24 anos), Castle Rock, EUA
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 5º lugar em 2017

O estadunidense Will Owen veio de categorias menores (USF2000 e Pro Mazda Series), direto para as provas de longa duração. Além de participar regularmente do ELMS, fez boas aparições na IMSA com protótipos LMP2 e também com o Cadillac DPi da Juncos Racing. Fez parte da tripulação que estreou com o time em Le Mans em 2017, conseguindo bons resultados em ambas as participações. Na última participação, foi 3º colocado em sua categoria e quinto na geral.

 

ALEX BRUNDLE

7 de agosto de 1990 (28 anos), King’s Lynn, Inglaterra
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado: 3º lugar em 2017

Filho do antigo piloto de Fórmula 1 Martin Brundle, Alex vem de uma carreira sem muitos resultados de vulto em monopostos, direto para as provas de Endurance, se especializando nelas desde 2012. Disputou 28 provas do WEC e tem três vitórias na classe LMP2. Foi campeão da LMP3 no European Le Mans Series em 2016 e acabou escalado para integrar uma das tripulações da United Autosports na categoria este ano. Em cinco presenças em La Sarthe, foi 3º geral em 2017 e segundo na LMP2, defendendo a Jackie Chan DC Racing.

 

RYAN CULLEN

25 de março de 1991 (28 anos), Sommerset, Irlanda (tem nacionalidade cipriota)
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

O irlandês Ryan Cullen, de 28 anos de idade, é um piloto de resultados medianos na carreira. Após passagens por Fórmula Ford e Fórmula Renault no Reino Unido, nunca conseguiu performances de destaque na GP3 Series – seu melhor resultado foi um 13º lugar, duas vezes. Sua sorte não mudou muito na Porsche Supercup e muito menos no ELMS, terminando o campeonato do ano passado em 12º lugar. Estará nas 24h de Le Mans pela primeira vez.

.
.

PANIS-BARTHEZ COMPETITION
 

Sede: Rouffiac-Tolosan, França
Carro: Ligier JS P217
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018: 6ª colocada na LMP2 (ELMS)

Em parceria com a Tech1 de Simon e Sarah Abadie, o antigo piloto de Fórmula 1 Olivier Panis e o carequinha Fabién Barthez, aquele mesmo que foi campeão mundial de futebol em 1998 e europeu em 2000 como goleiro da seleção francesa, comandam uma estrutura que se tornou participante regular do ELMS e das 24h de Le Mans. Ano passado, a equipe esteve muito próxima de um grande resultado na LMP2, mas problemas técnicos impediram um possível pódio.

Pilotos do carro #23

 

WILL STEVENS

28 de junho de 1991 (27 anos), Rochford, Inglaterra
Graduação: Platina

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado: 6º lugar em 2016

O britânico Will Stevens disputou 18 provas de Fórmula 1 nas temporadas 2014/15 defendendo Manor e Caterham. E não deixou saudades. Sem espaço algum na categoria máxima, migrou para as provas de longa duração, em busca de mais oportunidades. Fez algumas provas no WEC pelas equipes Manor, G-Drive e Jackie Chan DC Racing, e ganhou em La Sarthe na classe LMGTE-AM em 2017, defendendo a JMW Motorsport. Vai para sua 4ª aparição em Sarthe, tendo a sexta posição na estreia como melhor resultado.

 

JULIEN CANAL

15 de julho de 1982 (36 anos), Le Mans, França
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: 9
Melhor resultado: 11º lugar em 2015

'Local' de Le Mans, Julien Canal é dono de três restaurantes do McDonald’s em sua cidade natal. Por isso, estampa o patrocínio da popular cadeia de fast-food onde quer que esteja. E, mais uma vez, ele defende a Panis-Barthez Competition, após uma aparição pela Larbre na abertura da Super Season do WEC, já que tinha o compromisso assumido com a escuderia no ELMS.

O atual campeão mundial de pilotos de LMP2 (junto com Bruno Senna) vai para sua décima participação em La Sarthe, com três vitórias em subclasses e quatro pódios, além de um 11º posto geral como melhor resultado, quando defendeu a G-Drive Racing.

 

RENÉ BINDER

1º de janeiro de 1992 (27 anos), Innsbruck, Áustria
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Sobrinho do antigo piloto Hans Binder, de curta passagem pela Fórmula 1, René Binder perambulou sem muito alarde por diversas categorias de acesso, entre as quais a F3 alemã e a extinta World Series V8, onde foi colega de equipe de Pietro Fittipaldi. Chegou a experimentar um jejum de cinco anos sem triunfos na carreira.

Aos 27 anos, o austríaco fez uma aparição na Super Season pela ByKolles em Silverstone, defendeu a Juncos Racing nas 24h de Daytona e agora está na Panis-Barthez Competition, para disputar o campeonato completo do ELMS e debutar nas 24h de Le Mans deste ano.

.
.

ALGARVE PRO RACING
 

Sede: Albufeira, Portugal
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018: 18ª colocada na LMP2 (ELMS)

Mesmo com a pior campanha – mais uma vez - entre todas as equipes LMP2 do ELMS, a Algarve Pro Racing teve direito ao convite automático para a disputa das 24h de Le Mans de 2018. Com sede na região portuguesa do Faro, a escuderia tem sangue inglês, já que é chefiada por Stewart e Samantha Cox. De última hora, tiveram que trocar de piloto: Mark Patterson sofreu um acidente num treino em Monza, fraturando a pélvis. A vinda de Andrea Pizzitola de volta à escuderia é um considerável reforço em termos de competitividade e qualidade.

Pilotos do carro #25

 

ANDREA PIZZITOLA

19 de junho de 1992 (26 anos), Montpellier, França
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 17º lugar em 2016

Andrea Pizzitola foi um dos jovens pilotos franceses da geração recente de pilotos do país que nunca primou por grandes resultados em monoposto. O máximo que alcançou foi o vice-campeonato da F4 francesa, antes de passar primeiro às competições do Renault Sport Trophy e depois para as provas de Endurance, disputando o ELMS e o Asian Le Mans Series, sendo decisivo na conquista do título de 2016/17 pela Algarve Pro Racing e garantindo ao time anglo-uma vaga nas 24h de Le Mans há dois anos.

Ano passado, sagrou-se campeão de pilotos no ELMS defendendo a G-Drive Racing e perdeu a vitória em Le Mans, por conta da desclassificação da G-Drive Racing por irregularidades no sistema de reabastecimento do protótipo da equipe de bandeira russa. Vai para a clássica prova francesa pela terceira vez.

 

JOHN FALB

13 de dezembro de 1971 (47 anos), Las Vegas, EUA
Graduação: Bronze

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

John Falb é um dos diversos novatos que sentirá o gostinho de acelerar nas 24h de Le Mans pela primeira vez. O piloto de 47 anos é também o CEO da College Loan Corporation, empresa que ajudou 900 mil famílias nos EUA a alcançar o objetivo estudantil para seus filhos.

No automobilismo, desenvolveu-se como piloto de protótipos LMP3, sendo ajudado por Sean Rayhall. Também disputou várias corridas da série IMSA e agora está no European Le Mans Series, via Algarve Pro Racing.

 

DAVID ZOLLINGER

23 de outubro de 1982 (36 anos), Pontarlier, França
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 12º lugar em 2017

Especialista em provas do VdeV Endurance Challenge, com quatro títulos conquistados, o francês David Zollinger é um egresso das provas de Fórmula Ford em seu país, onde alcançou relativo sucesso e títulos. Em provas internacionais, tem retrospecto apenas modesto e só estará pela terceira vez numa disputa das 24h de Le Mans porque um dos titulares, Mark Patterson, está se recuperando de um acidente.

Zollinger estreou em La Sarthe no ano de 2010 com um protótipo Norma e em sua segunda participação, há dois anos, conquistou o 12º lugar geral – décimo na LMP2 – defendendo a equipe local IDEC Sport Racing.

.
.

G-DRIVE RACING / TDS RACING
 

Sede: Saint-Aunès, França
Carro: Aurus 01 e Oreca 07
Motor: Gibson GK 428 4,2 litros V8
Em 2018/19: 7ª colocada na LMP2; campeã no ELMS (2018)
Vitórias: Nenhuma

A equipe francesa TDS Racing disputa sua segunda temporada no WEC após anos como protagonista no Europeu de Endurance. No campeonato anterior, o time chefiado por Xavier Combet acabou apenas em oitavo lugar na classificação. E mesmo com a vinda de Loïc Duval, rápido e experiente ex-piloto da Audi na classe LMP1, para o lugar do veterano Emmanuel Collard, as coisas não deram certo. Para a próxima temporada do FIA WEC (2019/20), já está acertada uma parceria com o Racing Team Nederland.

Nas 24h de Le Mans, a equipe dará também assistência ao protótipo Aurus 01 (que é um Oreca 07) inscrito sob o nome da russa G-Drive, ligada ao grupo Gazprom. É o mesmo carro que disputou as 6h de Spa-Francorchamps como convidado e foi 2º colocado, praticamente à frente de todos os LMP2 que disputam o WEC.

Pilotos do carro #26

 

ROMAN RUSINOV

21 de outubro de 1981 (37 anos), Moscou, Rússia
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: 9
Melhor resultado: 6º lugar em 2016

Um dos mais experientes nomes do grid da LMP2, Roman Rusinov é também o mais vitorioso na categoria nas provas do WEC, do qual abriu mão de disputar em 2018/19 para focar no ELMS, uma competição teoricamente mais barata e até mais competitiva.

Deu certo, tanto que ele e Andrea Pizzitola foram campeões de pilotos ano passado e a equipe levou o título entre as escuderias, conquistando uma vaga direta para as 24h de Le Mans. A ordem é apagar a fragorosa desclassificação sofrida por conta de uma irregularidade na chamada “dead man valve” de reabastecimento.

 

JEAN-ÉRIC VERGNE

25 de abril de 1990 (29 anos), Pontoise, França
Graduação: Platina

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 7º lugar em 2017

Praticamente um participante de primeira hora da Fórmula E, do qual foi campeão na temporada 2017/18, o francês Jean-Éric Vergne foi outro a buscar novos horizontes após ganhar oportunidades na Fórmula 1 e não mostrar serviço pela Toro Rosso em três temporadas, com 58 GPs disputados.

Além dos carros elétricos, migrou para o Endurance com relativo sucesso, conseguindo boas performances a bordo dos carros da Manor, antes de integrar a G-Drive Racing. Vai para sua terceira aparição nas 24h de Le Mans – na estreia, em 2017, foi sétimo colocado na geral e sexto na classe LMP2.

 

JOB VAN UITERT

10 de outubro de 1998 (20 anos), Dongen, Holanda
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Jovem, rápido e talentoso, Job Van Uitert apresentou suas credenciais no mundo do Endurance ao ser um dos principais nomes na conquista da RLR MSport do título da LMP3, que credenciou aquela equipe a competir nas 24h de Le Mans. Não obstante, o holandês teve igualmente boas performances em monoposto, na F4 alemã e italiana, antes de migrar para as provas longas.

Agora defende a G-Drive Racing, como substituto do francês Andrea Pizzitola, ajudando o time de bandeira russa a triunfar recentemente nas 4h de Monza. Pode ser uma das gratas surpresas do plantel em sua estreia na lendária pista de Le Mans.

 

Pilotos do carro #28

 

LOÏC DUVAL

12 de junho de 1982 (37 anos), Chartres, França
Graduação: Platina

41 provas
5 vitórias
18 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 8
Melhor resultado: vencedor em 2013

Campeão mundial de Endurance em 2013 junto aos hoje aposentados Allan McNish e Tom Kristensen, Loïc Duval chegou a se dividir entre WEC e Fórmula E (conquistou lá dois pódios), e vem de duas temporadas fracas no DTM defendendo a Audi – mesmo assim, continua naquele certame. Ausente em 2014 por acidente e em 2017 por falta de convite, o vencedor de Le Mans em 2013 disputa pela nona vez a corrida mais importante do Endurance mundial.

 

FRANÇOIS PERRODO

14 de fevereiro de 1977 (42 anos), Singapura (naturalizado francês)
Graduação: Bronze

42 provas
3 vitórias
18 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado: 26º lugar em 2015

Chairman da Perenco, companhia de óleo e gás com operações em 16 países diferentes, François Perrodo é de uma das 10 famílias mais ricas de seu país – com um capital de US$ 7,6 bilhões. Assumiu o comando dos negócios de seu pai Hubert (morto em 2006) após formar-se em Física no St. Peter’s College, em Oxford.

Quando jovem, foi capitão da equipe de Pólo na universidade e além do hobby com os cavalos, tem no automobilismo uma grande paixão. Pilota no WEC desde 2013 e foi campeão mundial da LMGTE-AM há três anos, junto a Rui Águas e Manu Collard. O piloto de 42 anos – que inclusive pretende voltar aos carros de Grã-Turismo na próxima temporada, disputará as 24h de Le Mans pela sétima vez na carreira.


MATTHIEU VAXIVIÈRE

3 de dezembro de 1994 (24 anos), Limoges, França
Graduação: Ouro

22 provas
Nenhuma vitória
2 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: não terminou em 2017

O jovem (24 anos) Matthieu Vaxivière está no WEC desde 2015 e, finalmente, conseguirá terminar uma temporada completa da Super Season, mesmo com a TDS Racing muito longe dos sucessos e desempenhos alcançados noutros anos e campeonatos. Faz sua terceira aparição nas 24h de Le Mans – ano passado, sua equipe foi excluída do resultado final por irregularidade técnica, perdendo a chance do melhor resultado na clássica prova francesa.

.
.

RACING TEAM NEDERLAND
 

Sede: Katwijk, Holanda
Carro: Dallara P217
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018/19: 5ª colocada na LMP2
Vitórias: Nenhuma

Estreante no Mundial de Endurance, a holandesa Racing Team Nederland tinha alguns desafios a cumprir. Conseguiu alguns com certo êxito: o primeiro, de terminar o máximo possível de corridas – completaram todas até agora, tanto no ELMS quanto no WEC. O outro, ganhar mais experiência para alçar outros voos. Tanto que na temporada 2019/20 do Mundial de Endurance, a equipe hoje associada à Davytec chefiada por Davy Lemmens, vai para o guarda-chuva da TDS Racing com um protótipo Oreca.

Na despedida do Dallara P217, o time fará uma homenagem a Giancarlo Minardi com uma decoração alusiva aos carros da equipe no período entre 1991 e 1992: Frits Van Eerd é o patrocinador da equipe, um dos pilotos e também fã da simpática equipe italiana que disputou 340 GPs de Fórmula 1 de 1985 a 2005, quando foi vendida para a Red Bull e transformada em Toro Rosso.

Pilotos do carro #29

 

GIEDO VAN DER GARDE

25 de abril de 1985 (34 anos), Rhenen, Holanda
Graduação: Platina

11 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 11º lugar em 2018

Giedo van der Garde regressou ao automobilismo via Racing Team Nederland, no primeiro ano de seus compatriotas no Mundial de Endurance. O piloto de 34 anos tem sido constantemente o principal nome da escuderia na Super Season 2018/19. Conseguiu liderar corridas e mostrar que a velocidade está no sangue, mesmo após ser defenestrado da Fórmula 1.

'Power Guido' participará das 24h de Le Mans pela terceira vez. Se não deu sorte quando estreou pelo Team Jota, ano passado terminou junto a seus colegas de escuderia em 11º na geral e sétimo na LMP2.

 

FRITS VAN EERD

25 de junho de 1967 (51 anos), Veghel, Holanda
Graduação: Bronze

7 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 11º lugar em 2017

Dono dos supermercados Jumbo, amigo pessoal de Jos Verstappen e patrocinador do piloto da Red Bull Max Verstappen, Frits van Eerd faz do automobilismo o seu principal hobby fora dos negócios nos escritórios. Desbravou por múltiplas oportunidades as trilhas do Rali Dakar, navegando ao lado de Jan Lammers, na categoria dos Caminhões – sem contar os inúmeros momentos de divertimento acelerando modelos antigos de Fórmula 1 no certame BOSS GP.

Em 2017, deu o ambicioso passo de formação da primeira equipe holandesa de Endurance desde o fim da Racing For Holland, que correu até 2007. A campanha no ELMS não foi boa, mas a equipe experimentou o salto para o WEC e não comprometeu. Van Eerd tem mostrado ligeira evolução, com um 13º lugar na estreia em Le Mans e o 11º posto no ano passado.


NYCK DE VRIES

6 de fevereiro de 1995 (24 anos), Sneek, Holanda
Graduação: Ouro

5 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
Participações nas 24h de Le Mans: estreante

O rápido e competente Nyck De Vries é um dos que vieram na esteira da 'Verstappenmania' para buscar um lugar ao sol no automobilismo. Mas, ao contrário do compatriota, o piloto de 24 anos ainda não conseguiu decolar após impressionantes performances em diversas categorias de base. Divide seu tempo entre a Fórmula 2 (na ART Grand Prix) e o WEC, após sair do programa de desenvolvimento de pilotos da McLaren – onde trabalhava nos simuladores. Após substituir o veterano Jan Lammers, faz sua estreia nas 24h de Le Mans.

.
.

DUQUEINE ENGINEERING
 

Sede: St. Martin de Valgagues, França
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018: 8ª colocada na LMP2 (ELMS)
Vitórias: Nenhuma

Sob chefia de Gilles Duqueine e Yann Belhomme, a escuderia sediada em St. Martin de Valgagues, na região francesa de Gard, tem mostrado potencial nas últimas temporadas em categorias como o ELMS, primeiro na classe LMP3 e mais recentemente com os protótipos LMP2. Estão no segundo ano do time com esses carros e após a 8ª posição no ano passado, acabaram primeiro na lista de espera das 24h de Le Mans deste ano.

Com o anunciado forfait de um competidor da LMGTE-AM, entraram direto na lista oficial que depois seria ampliada a 62 competidores. Contarão com a experiência valiosa de Romain Dumas para buscar um belo resultado na estreia da escuderia em La Sarthe.

Pilotos do carro #30

 

NICO JAMIN

5 de dezembro de 1995 (23 anos), Rouen, França
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Nico Jamin debuta nesta edição das 24h de Le Mans trazendo considerável bagagem das provas de monoposto, principalmente nos EUA. Por lá, competiu na US FF2000 (foi campeão em 2015), Pro Mazda e Indy Lights – sem contar o IMSA Prototype Challenge, antes de voltar ao automobilismo europeu e disputar o Blancpain GT Series com o Team AKKA-ASP e também o European Le Mans Series, via Duqueine Engineering.

 

PIERRE RAGUES

10 de janeiro de 1984 (35 anos), Caen, França
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: 11
Melhor resultado: 4º lugar em 2017

Experiente em Le Mans – vai para sua 12ª participação em La Sarthe – o francês Pierre Ragues é sempre requisitado por equipes para emprestar sua competência dentro do cockpit. Não é um piloto espetacular, mas não compromete. Na maioria de suas participações, esteve a bordo de protótipos LMP2 e foi a bordo de um deles, no ano retrasado, que conseguiu o seu melhor resultado, o quarto lugar geral, além do segundo pódio em categorias. No FIA WEC, esteve presente em 26 corridas na história da competição.

 

ROMAIN DUMAS

14 de dezembro de 1977 (41 anos), Alès, França
Graduação: Platina

Participações nas 24h de Le Mans: 18
Melhor resultado: Vencedor em 2010 e 2016

Sinônimo de experiência em La Sarthe: este é Romain Dumas, que aos 41 anos chegará à sua décima-nona participação consecutiva na maior prova de Endurance do mundo. O experiente piloto francês venceu na geral duas vezes com Audi e Porsche, sem contar a subclasse LMGTE-PRO no ano de 2013, além de conquistar outros quatro pódios. Um cartel que não pode ser desprezado.

No entanto, muitos consideram que mesmo com tantas horas de voo na carreira, o piloto que venceu ano passado a subida de montanha Pikes Peak com um protótipo elétrico da Volkswagen, além de registrar uma marca recorde para veículos elétricos no 'Nordschleiefe' de Nürburgring, vem errando muito mais do que de costume. Ano passado, abandonou a disputa de Le Mans a bordo de um Porsche 911 RSR.

.
.

DRAGONSPEED
 

Sede: Signes, França e Delray Beach, EUA
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018/19: 4ª colocada na LMP2
Vitórias: 1 no WEC e 2 no ELMS

A DragonSpeed aposta num programa duplo de LMP1 e LMP2 na sua estreia entre as equipes do WEC e confirmou as boas chances de fazer um papel mais interessante em termos de resultados no Mundial na classe LMP2, principalmente pela velocidade do venezuelano Pastor Maldonado e por contar também com Anthony Davidson. O mexicano Roberto González garantiu “la plata” para o time estadunidense com sede francesa na Europa.

Após alguns percalços, conquistaram bons resultados na Super Season e venceram na categoria em Spa-Francorchamps, deixando González e Maldonado com chances matemáticas de conquistar o título mundial de pilotos.

Pilotos do carro #31

 

ROBERTO GONZÁLEZ

31 de março de 1976 (43 anos), Cidade do México, México
Graduação: Prata

19 provas
1 vitória
4 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 9º lugar em 2018

O mexicano Roberto González está em sua segunda temporada consecutiva no WEC, após experiências não muito frutíferas em categorias como a extinta ChampCar. Irmão mais velho de Ricardo González, antigo parceiro do brasileiro Bruno Senna, defendeu primeiro a Manor e agora está na DragonSpeed, mostrando potencial e chegando a La Sarthe com chances de título, ainda que remotas. Disputará as 24h de Le Mans pela terceira vez na carreira: ano passado foi 9º colocado na geral e quinto na categoria.

 

PASTOR MALDONADO

9 de março de 1985 (34 anos), Maracay, Venezuela
Graduação: Platina

7 provas
1 vitória
4 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado: 9º lugar em 2018

Aos 34 anos, o venezuelano Pastor Maldonado buscou o recomeço na carreira após perder seu lugar na Fórmula 1, defendendo Williams – pela qual conquistou uma histórica e surpreendente vitória no GP da Espanha de 2012 – e também a Lotus. Na categoria máxima, foram 95 largadas e pelo menos mais de uma dezena de acidentes e carros destruídos.

Apesar da fama de batedor e destruidor de carros que sempre o acompanhou, fez corridas muito boas no WEC e deu show em condições dificílimas durante a última 6h de Spa-Francorchamps, sendo fundamental para a primeira vitória da DragonSpeed na categoria. Disputa também sua segunda edição de 24h de Le Mans, com um nono posto como melhor performance.

 

ANTHONY DAVIDSON

18 de abril de 1979 (40 anos), Hemel Hempstead, Inglaterra
Graduação: Platina

46 provas
11 vitórias
22 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 10
Melhor resultado: 2º lugar em 2013

Campeão mundial de Endurance em 2014, defendendo a Toyota, Anthony Davidson está de volta a La Sarthe após um ano ausente. Pegou o campeonato da Super Season 2018/19 pelo meio, defendendo a DragonSpeed a partir de Silverstone e conquistando três pódios nas últimas três etapas. Rápido e experiente, o britânico – hoje com 40 anos – teve ótimas passagens pelas categorias de base antes de chegar à Fórmula 1, onde disputou 24 GPs sem marcar nenhum ponto.

.
.

INTER EUROPOL COMPETITION
 

Sede: Polônia
Carro: Ligier JS P217
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018: Vice-campeã da LMP3 (ELMS); em 2018/19: Campeã da LMP3 (AsLMS)

Conhecida por seus carros pintados de verde e amarelo, a Inter Europol Competition iniciou sua trajetória no automobilismo em categorias de Fórmula como a BOSS GP, passando depois disto para os Esporte-Protótipos no VdeV Challenge, Ultimate Series, European Le Mans Series e, por fim, Asian Le Mans Series. Com o título conquistado na temporada bienal do certame asiático, ganharam uma vaga automática para as 24h de Le Mans e farão a estreia na lendária competição francesa com um Ligier JS P217 – o mesmo protótipo com que estão disputando o ELMS.

Pilotos do carro #34

 

KUBA SMIECHOWSKI

11 de outubro de 1991 (27 anos), Polônia
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Com carreira iniciada no esporte aos 14 anos em 2005, Kuba Smiechowski deu seus primeiros passos nos karts, passando aos monopostos na categoria Fórmula Renault 2.0 NEC, depois especializando-se nos protótipos, onde tem conquistado resultados bastante expressivos. Foi campeão do VdeV Endurance Challenge na classe LMP3/PFV nos anos de 2016 e 2017, vice-campeão de pilotos da classe LMP3 do European Le Mans Series e campeão nesta mesma divisão no Asian Le Mans Series 2018/19. Vamos ver como se sairá em seu debute em La Sarthe.


NIGEL MOORE

4 de janeiro de 1992 (27 anos), Tockwith, Inglaterra
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 11º lugar em 2017

Considerado um dos mais velozes pilotos de graduação prata nas provas de Endurance, o britânico Nigel Moore retorna via Inter Europol Competition para uma terceira participação em La Sarthe. O piloto britânico de 27 anos tem considerável expertise nas provas de Grã-Turismo e hoje vem mostrando qualidades a bordo dos carros LMP3 – primeiro pela extinta Tockwith Motorsports e agora pela equipe que passou a defender no ELMS após uma boa participação no Asian Le Mans Series com a Viper Niza Racing.

 

JAMES WINSLOW

16 de abril de 1981 (38 anos), Witham, Inglaterra
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado: 43º lugar em 2016 e 2017

O experiente James Winslow, de 38 anos, foi enfim o escolhido para substituir Léo Roussel na Inter Europol Competition para a disputa das 24h de Le Mans. A equipe chegou a anunciar Dani Clos para a vaga, mas veio a opção por um nome com mais horas de voo no circuito francês, embora os resultados não tenham sido entusiasmantes. Em três oportunidades, Winslow correu em La Sarthe, com um 43º lugar – duas vezes – como melhor resultado. Defendeu as equipes Greaves, Race Performance e, por último, a Graff Racing.

.
.

SIGNATECH-ALPINE MATMUT
 

Sede: Boulogne-Billancourt, França
Carro: Alpine A470 (Oreca 07)
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018/19: Líder na LMP2
Vitórias: 6

Campeã mundial da LMP2 em 2016, a Signatech-Alpine Matmut optou por privilegiar um único carro na Super Season, o que à primeira vista seria positivo para o time hoje sediado em Boulogne-Billancourt. A aposta maior do time francês está no brasileiro André Negrão, que junto a Nico Lapierre (possivelmente de saída do time para o próximo campeonato), pode ajudar o time a reconquistar o título. A dúvida está em Pierre Thiriet, o piloto que complementa o orçamento da equipe.

Pilotos do carro #36

 

NICO LAPIERRE

2 de abril de 1984 (35 anos), Thonon-les-Baines, França
Graduação: Platina

44 provas
13 vitórias
32 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 11
Melhor resultado: 3º lugar em 2014

Um dos mais talentosos, experientes e também temperamentais pilotos do lote de participantes do WEC, Nico Lapierre servirá à equipe de Philippe Sinault em sua terceira campanha na LMP2. Campeão da temporada 2016, ele também esteve na Toyota por um bom período e retornou ao time japonês ano passado. Em 2015, fez três provas pela KCMG.

No último campeonato, fez sete provas pela equipe sediada em Boulogne-Billancourt, conquistando cinco pódios e um triunfo em Austin, nos EUA. Em La Sarthe, esteve presente em 11 oportunidades, com um pódio na classificação geral em 2014 (seu melhor resultado na corrida), além de três vitórias na LMP2 – a última, ano passado.

 

ANDRÉ NEGRÃO

17 de junho de 1992 (26 anos), Campinas, Brasil
Graduação: Ouro

15 provas
2 vitórias
12 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 4º lugar em 2017

André Negrão ‘vestiu’ os carros de Endurance de uma forma que poucos imaginavam. Trocando os monopostos (passou por Fórmula Renault, GP2 Series, World Series Fórmula V8 e Indy Lights) pelos protótipos LMP2, o piloto nascido em Campinas fez uma grande temporada de estreia no WEC, somando cinco pódios em oito provas e a vitória em Austin como ponto alto de um campeonato com performances muito positivas.

Como efeito, renovou seu compromisso com a Signatech-Alpine para a Super Season, ganhando as 24h de Le Mans em sua categoria ano passado e chegando ao total de 12 pódios em 15 participações no WEC. Pode repetir Bruno Senna e se tornar o segundo brasileiro campeão mundial da classe LMP2.

 

PIERRE THIRIET

20 de abril de 1989 (30 anos), Épinal, França
Graduação: Prata

14 provas
2 vitórias
8 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 8
Melhor resultado: 5º lugar em 2018 (vencedor na LMP2)

Francês de 30 anos, vagamente parecido fisicamente com Bruno Senna, Pierre Thiriet é filho de um proprietário de uma empresa de comida congelada, que leva o sobrenome da família e ajuda com um “dindim” o orçamento da segunda equipe do piloto no WEC. Em 2017, Pierre disputou sete das nove provas pela G-Drive Racing e ajudou a equipe de bandeira russa a conquistar a vitória nas 6h de Spa-Francorchamps, na Bélgica.

Pela nova equipe, participou até aqui de todo o campeonato, subindo ao pódio em todas as corridas e fazendo parte da tripulação que venceria após um longo “tapetão” a prova do ano passado na classe LMP2. Assim, conquistou seu melhor resultado geral em La Sarthe, com a 5ª colocação geral.

.
.

JACKIE CHAN DC RACING
 

Sede: Frant, Inglaterra
Carros: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018/19: 2ª colocada na LMP2
Vitórias: 8

Com o suporte dos britânicos da Jota Sport, a Jackie Chan DC Racing vem se colocando como uma das forças emergentes do WEC na classe LMP2. Em 2017, quase ganharam na geral, venceram na categoria e só não levaram a taça do Mundial da LMP2 porque encontraram uma fortíssima oposição no trio do carro #31 da Rebellion, que levaria Julien Canal e Bruno Senna ao título.

Em relação ao ano passado, muitas mudanças: o trio de malaios que iniciou a temporada da Super Season já se despediu do cockpit do carro #37, com a equipe apostando em nomes como David Heinemeier-Hänsson e Jordan King para roubar pontos da Signatech-Alpine e proporcionar a Ho-Pin Tung, Gabriel Aubry e Stéphane Richelmi a possibilidade de levar o título.

Pilotos do carro #37

 

DAVID HEINEMEIER-HÄNSSON

15 de outubro de 1979 (39 anos), Copenhague, Dinamarca
Graduação: Prata

47 provas
7 vitórias
21 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 7
Melhor resultado: 8º lugar em 2013

Um dos mais ‘rodados’ entre os pilotos de graduação prata no Endurance internacional, o dinamarquês David Heinemeier-Hänsson fez muito sucesso fora das pistas como headhunter e programador de estruturas de desenvolvimento de web (um exemplo é o Ruby on Rails), que o deixaram milionário.

Como diletante, o nórdico de 39 anos não compromete, tanto que em 47 participações no Mundial de Endurance, venceu sete corridas em classes e foi campeão da divisão LMGTE-AM em 2014, com um Aston Martin. Fez parte da trinca da Rebellion Racing que terminaria em segundo lugar nas 24h de Le Mans em 2017 na classe LMP2 (3º lugar geral) e que acabaria desclassificada. Assim, o 8º lugar na edição de 2013 é o seu melhor resultado em sete participações anteriores em La Sarthe.

 

RICKY TAYLOR

3 de agosto de 1989 (28 anos), Surrey, Inglaterra (naturalizado estadunidense)
Graduação: Ouro

6 provas
Nenhuma vitória
1 pódio
Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado: 14º lugar em 2014

Um dos filhos do folclórico Wayne Taylor, Ricky Taylor parou de correr sob as asas do pai e foi para o Team Penske na IMSA. Com uma sólida reputação de piloto veloz e campeão da série ianque em 2017, o que o levou para a equipe de Roger Penske, o piloto nascido na Inglaterra e naturalizado estadunidense vai para a sua sexta participação nas 24h de Le Mans, a quarta com protótipos LMP2, após as experiências com o Morgan da Larbre Competition em 2014, passando pelo Riley do time de Ben Keating e por um dos Ligier alinhados pela Jackie Chan DC Racing. Deverá ser o piloto mais rápido da trinca em La Sarthe.

 

JORDAN KING

26 de fevereiro de 1994 (25 anos), Warwick, Inglaterra
Graduação: Ouro

2 provas
1 vitória
1 pódio
Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Campeão inglês de Fórmula 3 em 2013, Jordan King é um dos diversos pilotos britânicos que vêm surgindo nas últimas temporadas com algum destaque nas provas de monoposto. Neste ano, além de sua participação nas provas finais do WEC (com vitória na estreia em Sebring) e sua primeira oportunidade nas 24h de Le Mans, estará na Fórmula 2 pela MP Motorsport e também na Indy, onde já competiu ano passado em temporada parcial pela Ed Carpenter Racing, com um 22º lugar final no campeonato e o 24º lugar em sua estreia nas 500 Milhas de Indianápolis.

 

Pilotos do carro #38

 

HO-PIN TUNG

4 de dezembro de 1982 (36 anos), Velp, Holanda (naturalizado chinês)
Graduação: Ouro

25 provas
6 vitórias
11 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado: 2º lugar em 2017 (vencedor na LMP2)

O sino-holandês Ho-Pin Tung disputa na Super Season 2018/19 sua terceira temporada no Mundial de Endurance. Por incrível que possa parecer, o piloto de 36 anos jamais desempenhou nos monopostos as mesmas performances que com os protótipos, inclusive com a vitória nas 24h de Le Mans em sua classe em 2017 o 2º lugar geral na mítica prova francesa e o vice-campeonato de pilotos da LMP2. Nesta Super Season, é um dos pilotos mais experientes de sua escuderia. Será sua sétima participação em Le Mans.

 

GABRIEL AUBRY

3 de abril de 1998 (21 anos), Saint Germain-en-Laye, França
Graduação: Prata

7 provas
3 vitórias
5 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado: 10º lugar em 2018

Gabriel Aubry foi uma aposta movida pelo sucesso do compatriota Thomas Laurent, que fez grande campanha pela Jackie Chan DC Racing e partiu para a LMP1, pela Rebellion Racing. Com apenas 21 anos, teve uma rápida carreira começando na Fórmula 4 e passando pelo Europeu e pelo campeonato NEC da Fórmula Renault para desaguar no Asian Le Mans Series. Fez meia temporada naquela categoria e saiu-se bem pela Jackie Chan DC Racing. O mesmo não pôde ser dito de sua experiência na extinta GP3 Series. Tem se revezado entre o WEC e a IMSA neste ano, defendendo nos EUA a PR1/Mathiasen Motorsports.

 

STÉPHANE RICHELMI

17 de março de 1990 (29 anos), Monte-Carlo, Mônaco
Graduação: Ouro

16 provas
7 vitórias
12 pódios
Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 5º lugar em 2016 (vencedor na LMP2)

Filho de ex-piloto (o pai, Jean-Pierre Richelmi foi um especialista em provas de Rali), Stéphane Richelmi voltou ao WEC após conquistar o título para a Jackie Chan DC Racing no Asian Le Mans Series. Em 2016, defendendo a Signatech-Alpine, conduziu o time francês junto a Gustavo Menezes e Nico Lapierre ao título mundial da LMP2, com direito à vitória na classe em Sarthe na sua estreia nas 24 Horas. Nos monopostos, foi vice-campeão italiano de Fórmula 3 e teve uma passagem pela GP2 Series, com a 8ª posição como melhor resultado em 2013.

.
.

GRAFF RACING-SO24
 

Sede: Morangis, França
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018: 11ª colocada no ELMS (LMP2)

A tradicional organização francesa fundada por Jean-Philippe Grand ficou ausente das 24h de Le Mans por décadas, voltando sob o comando de Pascal Rauturier. Apesar de uma temporada apenas razoável do ELMS, contaram com a simpatia do ACO, cujo comitê de seleção lhes reservou uma vaga direta na classe LMP2. Mais uma vez, seu Oreca 07 será inscrito nas cores da SO24! (Societé Objectif 24 Heures du Mans).

Pilotos do carro #39

 

TRISTAN GOMMENDY

4 de janeiro de 1979 (40 anos), Le Chesnay, França
Graduação: Platina

Participações nas 24h de Le Mans: 9
Melhor resultado: 3º lugar em 2017

Experiente, o francês Tristan Gommendy junta-se à Graff para disputar sua décima 24 Horas de Le Mans na carreira. O melhor resultado em oito participações anteriores veio no ano passado – pódio na geral e 2º na LMP2 – insuficiente, porém, para mantê-lo na Jackie Chan DC Racing. Desde o início da temporada 2018, defende o time de Morangis no ELMS.

 

JONATHAN HIRSCHI

2 de fevereiro de 1986 (33 anos), Saint-Imier, Suíça
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado: 6º lugar em 2018

Versátil, pois anda tanto no asfalto quanto em provas de Rally, o suíço Jonathan Hirschi estará em sua sétima disputa nas 24h de Le Mans. O piloto de 33 anos acabou buscando abrigo na Graff para disputar o ELMS e a clássica prova de Sarthe, na qual obteve como melhor resultado geral o 6º posto, no ano passado.

 

VINCENT CAPILLAIRE

4 de fevereiro de 1976 (43 anos), Le Mans, França
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado: 6º lugar em 2018

Vincent Capillaire ficará para todo o sempre conhecido como o piloto que deu um nó na cabeça de Kamui Kobayashi na edição das 24h de Le Mans do ano retrasado – já que o piloto japonês o confundiu com um fiscal de pista -  e acabou provocando o abandono de um dos Toyota, quando a marca era líder absoluta da corrida. Os resultados do francês de 43 anos, que é lá mesmo de Le Mans, são até razoáveis, com direito ao 6º lugar conquistado na última edição, ajudando a Graff a alcançar o vice-campeonato entre os times da LMP2, com a desclassificação da G-Drive Racing. É através dele que chega o apoio da SO24!.

.
.

RLR MSPORT/TOWER EVENTS
 

Sede: Darwen, Inglaterra
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018: campeã do ELMS (LMP3)

Com apenas seis anos de operações no automobilismo, a RLR MSport/Tower Events debuta nas 24h de Le Mans após a conquista do título do European Le Mans Series na classe LMP3. Além da expansão das operações para a divisão LMP2 – com a contratação inclusive do brasileiro Bruno Senna, apenas para o certame europeu – seguem no LMP3 em busca de mais um título. Para a primeira aparição em La Sarthe, terão a bordo o gentleman driver canadense John Farano, o indiano Arjun Maini e o francês Norman Nato.

Pilotos do carro #43

 

JOHN FARANO

8 de dezembro de 1959 (59 anos), Toronto, Canadá
Graduação: Bronze

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Novato em La Sarthe e já na casa dos 60 anos, o canadense John Farano vem de categorias como a Nascar Pinty’s Series de seu pais e provas da IMSA e do Ferrari Challenge dos EUA, antes de sua estreia no ELMS pela RLR MSport, ano passado. Venceu o campeonato na classe LMP3 e se credenciou para subir aos protótipos LMP2, dividindo a pilotagem no certame europeu com Bruno Senna e Arjun Maini. Teve que se adaptar à pista no Journée Test e poderá ser o elo fraco da tripulação na prova deste ano.

 

ARJUN MAINI

10 de dezembro de 1997 (21 anos), Bangalore, Índia
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

O indiano Arjun Maini é mais um que chega ao Endurance depois de não alcançar resultados de vulto nas categorias de monoposto rumo à Fórmula 1. Fez um ano e meio de Fórmula 3 europeia e duas temporadas de GP3 Series, com direito a apenas uma vitória nesta categoria, recém-extinta. Na Fórmula 2, disputou o último campeonato pela Trident Racing e seu melhor desempenho foi em Mônaco, quando chegou nas duas provas daquela pista em 5º lugar. Adaptou-se bem ao Oreca 07 da equipe RLR MSport/Tower Events e mostrou velocidade. Fará sua estreia nas 24h de Le Mans.

 

NORMAN NATO

8 de julho de 1992 (26 anos), Cannes, França
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado: 14º lugar em 2018

O francês Norman Nato estará em sua segunda disputa nas 24h de Le Mans após terminar em décimo na LMP2 pela SMP Racing ano passado. Campeão da Fórmula 4 e Fórmula Renault no início de sua trajetória no automobilismo, teve temporadas apenas medianas na World Series V8, GP2 Series e Fórmula 2. Ano passado, completou em 3º lugar no ELMS defendendo a Racing Engineering, com direito a uma vitória na estreia da equipe em Paul Ricard. É o reserva imediato de Jean-Éric Vergne na G-Drive Racing, tendo vencido em Monza. No WEC, substituiu Loïc Duval e foi 4º nas 6h de Spa-Francorchamps na classe LMP2.

.
.

CETILAR RACING VILLORBA CORSE
 

Sede: Carità di Villorba, Itália
Carro: Dallara P217
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018: 17ª colocada no ELMS (LMP2)

Única equipe italiana de protótipos nas 24h de Le Mans, a Cetilar Racing Villorba Corse disputa neste ano a clássica prova francesa pela terceira vez. É um aperitivo para o que virá por aí: a partir de setembro, entram no FIA WEC para a temporada 2019/20 com o mesmo protótipo Dallara P217 que será assistido pela tradicional AF Corse. Ano passado, quem competiu na França pela equipe foi Felipe Nasr. Após várias dificuldades, incluindo um sério acidente durante os treinos de classificação, terminaram em 19º na geral. Neste ano, o brasileiro não defenderá o time dirigido por Raimondo Amadio: volta a bordo o veterano Andrea Belicchi.

Pilotos do carro #47

 

ANDREA BELICCHI

18 de setembro de 1976 (42 anos), Parma, Itália
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: 9
Melhor resultado: 9º lugar em 2017

Andrea Belicchi está recuperado de um problema de saúde e pronto para sua décima participação nas 24h de Le Mans: o italiano de 42 anos também participou do WEC em 22 oportunidades, sempre pela Rebellion Racing, de 2012 até 2014. Trocou por um curto período os Esporte-Protótipos pelos carros de turismo, competindo no TCR Itália, até regressar ao Endurance via Cetilar Villorba Corse.

 

GIORGIO SERNAGIOTTO

28 de julho de 1982 (36 anos), Asolo, Itália
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 9º lugar em 2017

Em suas primeiras temporadas a bordo dos protótipos LMP2, depois da passagem da Cetilar Villorba Corse para esta categoria, Giorgio Sernagiotto alternou altos e baixos, com bons resultados em 2017 e outros nem tanto no último ano. Vai para La Sarthe pela terceira vez e espera não passar por um susto parecido com o grande acidente que sofreu ano passado durante os treinos.

 

ROBERTO LACORTE

25 de junho de 1968 (50 anos), Pisa, Itália
Graduação: Bronze

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 9º lugar em 2017

Para um piloto de graduação bronze, até que Roberto Lacorte não faz feio. Inclusive, registrou 340 km/h de velocidade em ponta com o Dallara de sua equipe em 2017. Seu melhor resultado em Le Mans, onde estará também pela terceira vez em sua carreira de piloto de competição, foi o 9º lugar geral na estreia, há dois anos.

.
.

IDEC SPORT RACING
 

Sede: Fontenay Trésigny, França
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018: 3ª colocada no ELMS (LMP2)

O grupo IDEC, presidido por Patrice Lafargue, chega à disputa das 24h de Le Mans pela terceira vez. A equipe tem gente competente, boa estrutura e – finalmente – bons pilotos. A aposta em Paul-Loup Chatin e no mexicano Memo Rojas se pagou com o 3º posto no European Le Mans Series. Na prova mais difícil do ano, a escuderia sediada em Fontenay Trésigny só quer fazer bonito. Ano passado, um problema técnico impossibilitou que brigassem diretamente pela 2ª colocação na categoria, que seria convertida em vitória face a desclassificação da G-Drive Racing.

Pilotos do carro #48

 

PAUL-LOUP CHATIN

19 de outubro de 1991 (27 anos), Dourdan, França
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: 4
Melhor resultado: 7º lugar em 2014

Duas vezes campeão do ELMS nas classes LMPC em 2013 e da LMP2 em 2014, Paul-Loup Chatin faz neste ano sua quinta aparição nas 24h de Le Mans. Desde 2018, defende a IDEC Sport Racing e mudou de escuderia após trabalhar na Panis-Barthez Competition. Além de jovem (27 anos), é rápido e muito talentoso. Tem muito futuro no Endurance.

 

MEMO ROJAS JR.

18 de agosto de 1981 (37 anos), Cidade do México, México
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: 4
Melhor resultado: 10º lugar em 2016

Quatro vezes campeão da extinta Rolex SportsCar Series e três vezes vencedor das 24h de Daytona, Memo Rojas é um dos mais bem-sucedidos pilotos mexicanos em provas de longa duração desde o mito Pedro Rodriguez. Em 2017, conquistou o título do ELMS junto a Léo Roussel, defendendo a G-Drive Racing. Para 2019, renovou com a IDEC Sport para tentar chegar ao segundo troféu de campeão no ELMS e disputar as 24h de Le Mans pela quinta vez – e pela terceira equipe diferente. Na estreia, conseguiu um top 10 pela Greaves.

 

PAUL LAFARGUE

8 de julho de 1988 (30 anos), Bourgogne, França
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 12º lugar em 2017

Filho do chefão Patrice, Paul Lafargue está no plantel de inscritos das 24h de Le Mans pela terceira vez na carreira. O piloto de 30 anos defende a equipe paterna desde 2016, passando pelo VdeV Endurance Challenge, 24hSeries e ELMS, sendo o único remanescente da estreia do time em La Sarthe, em 2017.

.
.

ARC BRATISLAVA
 

Sede: Bratislava, Eslováquia
Carro: Ligier JS P217
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018/19: campeã da LMP2 Am (AsLMS)

Fundada em 1997, a ARC Bratislava retorna em 2019 às 24h de Le Mans após o chefão e piloto Miro Konôpka jurar que nunca mais sua escuderia disputaria a tradicional prova francesa após ser descartado da lista de entradas no ano passado. Mudou de ideia imediatamente, já que o título no Asian Le Mans Series na divisão LMP2 Am (para pilotos de graduação inferior) ofereceu uma vaga automática para a disputa. A equipe terá dois estreantes no plantel, o que é sempre motivo de preocupação.

Pilotos do carro #49

 

MIRO KONÔPKA

21 de janeiro de 1962 (57 anos), Bratislava, Eslováquia
Graduação: Bronze

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado: 24º lugar em 2010

Miro Konôpka é um grande entusiasta do Endurance, com aparições nos mais diferentes campeonatos do planeta, quer seja em Grã-Turismo ou Protótipos. O eslovaco vai para sua quarta disputa em La Sarthe, tendo estreado em 2006 com um Porsche da divisão LMGT2. Quatro anos depois, conquistou seu melhor resultado, sendo 8º na categoria, novamente com um Porsche. Ano retrasado, com muitas dificuldades, terminou a prova em 45º na geral e décimo-nono na LMP2. Qualquer resultado melhor que este é lucro.

 

HENNING ENQVIST

4 de abril de 1994 (25 anos), Estocolmo, Suécia
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

O sueco Henning Enqvist é uma boa aposta da ARC Bratislava para a edição 2019 das 24h de Le Mans. Sem chance de guiar um carro da Algarve Pro Racing em La Sarthe, já que sua equipe do ELMS foi pré-selecionada com apenas um carro, aceitou o convite de Miro Konôpka para integrar a tripulação do carro #49. Veio do VdeV Endurance Series e ano passado disputou várias provas do Europeu na classe LMP3, por várias escuderias.

 

KONSTANTIN TERESCHENKO

17 de junho de 1994 (24 anos), Moscou, Rússia
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: estreante

Único piloto russo a estrear nas 24h de Le Mans este ano, Konstantin Tereschenko está em sua segunda temporada a bordo dos Esporte-Protótipos, após a extinção da World Series V8, onde foi rival de Pietro Fittipaldi, campeão daquele certame. Ano passado, não teve sorte ao defender a AVF by Adrián Vallés, mas seu bom trabalho lhe abriu possibilidades de prosseguir com a Panis-Barthez Competition. A equipe francesa também não teve chances de inscrever um segundo carro na LMP2 e Tereschenko negociou para andar em La Sarthe com a ARC Bratislava.

.
.

LARBRE COMPETITION
 

Sede: Le Vigeant, França
Carro: Ligier JS P217
Motor: Gibson GK428 4,2 litros V8
Em 2018/19: 6ª colocada na LMP2
Vitórias: 3 na LMGTE-AM

Sob o comando de Jack Lecomte, a Larbre Competition é uma das mais tradicionais equipes do Endurance, com um antigo histórico não só no WEC como também no FIA GT e em demais provas de Grã-Turismo. Mas como nem tudo são flores, o time sediado em Le Vigeant fez drásticas mudanças para a Super Season, por falta de patrocinadores.

Primeiro nome anunciado para a Super Season, no início do ano passado, o brasileiro Fernando Rees (agora aposentado das pistas), acabou dispensado e diversos pilotos ocuparam a terceira vaga junto a Romano Ricci e Erwin Creed, que complementaram o orçamento para o campeonato inteiro. Mesmo com tantos problemas, a equipe francesa espera terminar a temporada com alguma dignidade.

Pilotos do carro #50


ERWIN CREED

15 de dezembro de 1980 (38 anos), Mission, França
Graduação: Bronze

7 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado: 32º lugar em 2018

O francês Erwin Creed começou a carreira tarde, aos 32 anos, no certame VdeV Challenge. Após passagens pelo campeonato Mitjet e pela Michelin Le Mans Cup, estreou em 2017 na divisão LMP3 do ELMS, defendendo a equipe do veterano Yvan Muller com um protótipo Norma, conseguindo resultados bem razoáveis. Mesmo sem tanta experiência, rumou para o WEC em sua primeira temporada pela Larbre Competition, terminando a maioria das corridas, mesmo sem tanta velocidade. Ano passado, estreou nas 24h de Le Mans com um modesto 32º lugar geral, 12º entre os protótipos LMP2.

 

ROMANO RICCI

10 de maio de 1978 (41 anos), Boulogne-Billancourt, França
Graduação: Bronze

7 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado: 23º lugar em 2000

Romano Ricci estreou no Mundial de Endurance credenciado pelo vice-campeonato de pilotos na classe LMP3 do European Le Mans Series, conquistado junto a Antoine Jung e Alexandre Cougnaud, com quatro pódios em seis etapas. Ele regressou às pistas após 12 anos de afastamento, tendo conquistado junto ao pai Jean-Louis Ricci e a Thierry Perrier, o 4º lugar nas 24h de Le Mans na classe LMGT2, quando tinha apenas 22 anos. Retomou a carreira muito tempo depois no certame Mitjet 2L, participando também do Road To Le Mans e da Michelin Le Mans Cup. No WEC, conseguiu como melhor resultado o 4º lugar em sua categoria nas 1000 Milhas de Sebring.

 

NICHOLAS BOULLE

28 de março de 1989 (30 anos), Dallas, EUA
Graduação: Prata

1 prova
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado: 12º lugar em 2018

O texano Nicholas Boulle teve seu passado como kartista antes de migrar para as competições de Endurance como um participante de provas da IMSA. O piloto de 30 anos tem experiência apenas razoável com os protótipos LMP2 e tem sido inscrito também com o Porsche da Park Place Motorsports na série ianque. Estreou nas 24h de Le Mans ano passado e ficou em oitavo na sua categoria. Fechou com a Larbre Competition para as duas etapas finais da Super Season, acabando com o revezamento de diferentes pilotos a bordo da terceira vaga do #50.

.
.