Siga-nos

Ranking GP

As notas do GP da Inglaterra

O GP da Inglaterra marcou um ponto de virada para a Mercedes na temporada 2017. Já estava evidente que tinha um rendimento melhor, mas a confiabilidade e as punições iam dando uma sobrevida à Ferrari. O azar, porém, estava na garagem vermelha em Silverstone

O GP da Inglaterra deste domingo (16) não foi nenhum espetáculo de ultrapassagens e grandes disputas, mas teve um final que valeu bastante a pena. O desgaste dos pneus, em coisa de duas voltas, pegou de jeito Kimi Räikkönen, Sebastian Vettel e Max Verstappen, mexendo totalmente no posicionamento do pelotão da frente. A maior nota voltou a ficar com o piloto que ganhou a corrida, desta vez Lewis Hamilton, que dominou basicamente todos os aspectos do final de semana e fechou com 9.5.

Dois pilotos empataram com a segunda nota mais alta, um 9.0: Valtteri Bottas e Räikkönen, que vinha provavelmente em sua melhor corrida no ano até ter o problema com os pneus e quase ver o pódio escorrer pelos dedos. A prova em si recebeu um mediano 6.5.

O pior do fim de semana, mais uma vez, foi Daniil Kvyat. Outra vez totalmente estabanado, o russo acertou em cheio o carro do companheiro Carlos Sainz e novamente acabou com as chances da Toro Rosso na largada.

As notas do Ranking GP são calculadas através de avaliações de Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum e Vitor Fazio, do GRANDE PREMIUM.

Lewis Hamilton levou a melhor sobre a Ferrari (Lewis Hamilton foi quase perfeito em Silverstone (Foto: Mercedes))

1º) Lewis Hamilton – 9.5 – Hamilton viveu um final de semana de gala na sua pista de casa. Dominante o tempo todo, o inglês não cometeu erros e soube cuidar dos pneus, algo que se mostrou vital na parte final da prova. Uma vitória irretocável em uma pista em que raramente se dá mal colocou Lewis completamente dentro da briga pelo título e, de certa forma, até como favorito ao tetracampeonato.

2º) Valtteri Bottas – 9.0 – É possível dizer que esta foi a melhor prova de Bottas em termos de reação. O finlandês não fez grandes coisas na classificação e, punido, saiu quase que do meio do pelotão. Com boas ultrapassagens e um ritmo bem decente, Valtteri já iria ao pódio mesmo que Räikkönen não tivesse problemas. Melhor para ele que o compatriota teve, o que o fez somar 18 pontos e manter as esperanças de título.

3º) Kimi Räikkönen – 9.0 – Kimi, coitado, também é um cara bem azarado. O finlandês fez tudo direitinho e merecia ter saído de Silverstone com um segundo lugar, mas seu pneu se foi e, por pouco, as chances de pódio também não acabaram naquele momento de puro azar.

À beira da felicidade (Daniel Ricciardo Hans Red Bull Content Pool Getty Images)

4º) Max Verstappen – 7.0 – Verstappen deixou um pouco de sua maré de azar para trás e voltou a pontuar bem. O holandês fez dele o que se esperava, andando o tempo todo em quinto. No fim, ainda ganhou a posição de Vettel, que viu seu pneu estourar e poderia ter ido ao pódio se não estivesse à beira de um problema semelhante – o que o levou aos boxes e, consequentemente, a ficar atrás de Räikkönen.

5º) Daniel Ricciardo – 8.0 – Ricciardo foi, mais uma vez, um dos nomes da corrida. Saindo de penúltimo por um estouro do motor ainda no Q1 de sábado, o australiano largou bem e, mesmo após voltar para o fim do pelotão na relargada, foi passando todo mundo. No fim, superou Hülkenberg, que já se arrastava com os mesmos problemas que quase metade do grid apresentou nos giros derradeiros.

6º) Nico Hülkenberg – 8.5 – O alemão repetiu o que havia feito na Espanha e cruzou a linha final em sexto, estabelecendo novamente o melhor resultado da 'nova Renault' na F1. Hülk foi muito bem desde a classificação, onde chegou a andar até na frente da Red Bull. Na corrida, se recuperou de uma largada fraca passando Esteban Ocon e, dali para frente, apenas dosou o ritmo para levar a Renault ao melhor lugar possível, controlando ainda um problema nas voltas finais.

7º) Sebastian Vettel – 7.0 – Vettel fez uma corrida muito abaixo das expectativas em Silverstone. Depois de abrir distância para Hamilton em um período conturbado, o alemão viu a diferença despencar na casa do rival. Está certo que a parada forçada no fim da corrida atrapalhou, mas Vettel em momento algum fez o necessário para ir ao pódio.

8º) Esteban Ocon – 6.5 – Uma largada fenomenal deixou o francês na frente do companheiro de equipe Pérez. Acho que assim dá para resumir o que foi a corrida do, geralmente, inspirado Ocon. O gaulês não teve muito o que fazer, perdeu tempo atrás de Magnussen e, assim, a chance de beliscar as posições de Hülk e Vettel. No entanto, nada que comprometesse mais uma boa atuação.

9º) Sergio Pérez – 6.5 – O mexicano voltou a classificar levemente melhor do que o companheiro de equipe, mas uma largada mediana fez Pérez ficar atrás de Ocon e de lá não mais sair. Assim como o francês, fez o que deu com um carro que não estava mais do que bom e, desta vez, contentou-se em não arrumar confusão interna.

10º) Felipe Massa – 6.0 – Felipe vem se especializando em grandes largadas. Em Silverstone, onde a Williams tornou a decepcionar, o brasileiro conseguiu ao menos se meter no top-10, levando a melhor na disputa inicial com Romain Grosjean. Mais uma vez, Massa teve considerável vantagem contra Stroll.

Stoffel Vandoorne no pit-lane e ainda sem pontos (Stoffel Vandoorne fez um bom trabalho, mas não pontuou (Foto: McLaren))

11º) Stoffel Vandoorne – 7.0 – O primeiro ponto do belga em 2017 passou muito perto de sair neste final de semana. Vandoorne fez um trabalho de respeito na classificação e colocou o carro laranja na oitava posição. O jovem até conseguiu se segurar no top-10 durante um tempo, mas sucumbiu na disputa com Massa e, mais uma vez, saiu zerado de uma etapa.

12º) Kevin Magnussen – 6.0 – Magnussen foi um dos pilotos que mais tempo duraram na pista no primeiro stint. Bem competitivo, atrapalhou rivais que estavam mais rápidos e conseguiu, na estratégia dos pneus, ficar na frente do companheiro Grosjean, que se classificou bem na frente.

13º) Romain Grosjean – 5.5 – Grosjean, por sua vez, sofreu muito com os pneus. Com uma parada extra já na parte final da corrida, o franco-suíço não só perdeu as chances que ainda tinha de pontuar como fechou atrás do companheiro dinamarquês.

14º) Marcus Ericsson – 5.5 – O sueco continua zerado em 2017 e bem abaixo do que faz Wehrlein, mas ao menos parece mais ligado e disposto a brigar por cada posição com o companheiro. Foi bem superior em Silverstone.

15º) Daniil Kvyat – 0.5 – Está difícil entender o que se passa na cabeça de Kvyat. O russo caiu muito desde o rebaixamento para a Toro Rosso, mas parecia ter se recuperado. Agora, novamente emendou uma sequência de largadas catastróficas e vem jogando várias corridas no lixo, suas e de seu companheiro Sainz.

16º) Lance Stroll – 3.5 – Stroll classificou mal, largou bem e correu muito mal. Praticamente não apareceu na corrida, o que não é de todo ruim para alguém que batia tanto. Ao menos vem chegando ao fim das corridas, mas ficou abaixo de suas últimas exibições. Bem abaixo.

17º) Pascal Wehrlein – 3.5 – Wehrlein foi facilmente superado por Ericsson e isso nunca pode ser um bom sinal. Tem créditos por ter feito todos os pontos que vão deixando a Sauber acima da McLaren, mas o alemão precisa de mais para ter um futuro com a Mercedes.

A Sauber andou no fundão de novo (A Sauber andou no fundão em Silverstone (Foto: Sauber))

NC) Fernando Alonso – 5.5 – Alonso protagonizou um dos momentos mais legais da temporada ao liderar o Q1, mas a alegria de um piloto da McLaren dura muito pouco. Punido com um caminhão de posições, largou em último e, na corrida, por mais que tenha se recuperado, novamente foi obrigado a abandonar.

NC) Carlos Sainz Jr. – 5.0 – Sainz não vive uma fase legal, está brigando constantemente com a Toro Rosso e a Red Bull e, quando tenta voltar aos bons resultados, é acertado em cheio pelo companheiro na largada. Fica difícil.

NL) Jolyon Palmer – 5.5 – Palmer quase foi ao Q3 e tinha tudo para realmente brigar por pontos na corrida de casa. Bem longe de Hülkenberg, o britânico ao menos parecia que não iria passar vergonha. Coitado, seu carro parou ainda na volta de apresentação.

GP DA INGLATERRA – 6.5 

Silverstone não foi exatamente palco de uma grande corrida neste final de semana. Porém, a prova que até chegou a ficar modorrenta por algumas voltas, pegou fogo nos giros finais, com pneus furados, paradas nos boxes inesperadas e uma troca intensa de posições no pelotão da frente.

Melhor GP: GP do Azerbaijão (10.0)

Pior GP: GP da Rússia (2.5)

Média dos GPs: 6.6
(Lewis Hamilton foi quase perfeito em Silverstone (Foto: Mercedes))

Média do ano

1) Sebastian Vettel – 8.0
2) Lewis Hamilton – 7.9
3) Valtteri Bottas – 7.4
4) Daniel Ricciardo – 7.3
5) Esteban Ocon – 7.0
6) Sergio Pérez – 6.9
7) Max Verstappen – 6.8
8) Nico Hülkenberg – 6.4
9) Fernando Alonso – 6.3
10) Felipe Massa – 6.1
11) Kimi Räikkönen – 6.1
12) Romain Grosjean – 6.0
13) Carlos Sainz Jr. – 5.8
14) Pascal Wehrlein – 5.3
15) Kevin Magnussen – 5.3
16) Stoffel Vandoorne – 5.3
17) Daniil Kvyat – 5.1
18) Lance Stroll – 4.9
19) Marcus Ericsson – 4.9
20) Antonio Giovinazzi – 4.0
21) Jolyon Palmer – 3.8
22) Jenson Button – 2.5

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”) (AFP)

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect