Siga-nos

Ranking GP

As notas do GP da Hungria de 2021

A corrida que prometia novo embate entre Lewis Hamilton e Max Verstappen acabou com vitória de Esteban Ocon. O francês fez por merecer a nota máxima no Ranking GP

Esteban Ocon venceu, com Lewis Hamilton em segundo (Foto: Alpine)

Difícil imaginar uma corrida mais louca que o GP da Hungria da semana passada. O que era para ser um novo capítulo da rivalidade Lewis Hamilton e Max Verstappen acabou sendo um dia de redenção para Esteban Ocon, vencedor inédito na Fórmula 1.

Aos candidatos ao título, destinos opostos. Verstappen foi vítima de erro de Valtteri Bottas na largada e passou o resto da corrida com um carro caindo aos pedaços. Enquanto isso, Hamilton deixou a vitória escapar por uma estratégia falha da Mercedes.

Essas reviravoltas levaram a um Ranking GP de extremos. Por um lado, Ocon levou uma merecida nota máxima. Por outro, Valtteri Bottas e Lance Stroll travaram luta das boas para ver quem teria a pior avaliação de todas.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

As notas do Ranking GP são distribuídas por Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum e Vitor Fazio.

1°) Esteban Ocon – 10.0 Irretocável! Já partimos do princípio que é praticamente impossível não dar 10 para um piloto de equipe média que vence, mas o triunfo de Ocon ainda teve um ponto fundamental: o francês guiou como se estivesse acostumado a andar sempre ali. Fantástico.

2°) Sebastian Vettel – 9.5 Faltou a vitória para o 10. Vettel foi agressivo, rápido, corajoso, fez tudo que esteve ao alcance para vencer. Não deu, mas brilhou. E foi gigante também fora das pistas, apoiando todas as formas de amor.

3°) Lewis Hamilton – 8.5 Uma classificação brilhante e uma corrida de recuperação muito forte. No meio disso, uma inexplicável permanência sozinho na pista com pneus de chuva antes da relargada. Em algumas voltas, lembrou o Hamilton da melhor versão possível.

4°) Carlos Sainz Jr. – 8.5 Mais uma pilotagem digna do apelido de ‘Smooth Operator’. Sainz tem uma das tocadas mais suaves e consistentes do grid e é assim que sempre surge na frente quando o cenário fica um pouco mais caótico. Aguarda o recurso de Vettel, mas pode dar pódio.

5°) Fernando Alonso – 9.0 Ocon precisa dar boa parte do bicho da vitória para Alonso. Deixando as brincadeiras de lado, o espanhol foi figura fundamental no triunfo do companheiro, segurando Hamilton bravamente e atrasando a natural progressão do britânico. Salvou a pátria.

6°) Pierre Gasly – 8.5 Corridaça de Gasly, corridaça mesmo. Uma classificação quase que perfeita, muita categoria para escapar do ‘big-one’ da largada e, caindo ali para último, remou tudo de volta até o sexto lugar. Terminou na frente do companheiro, que brigava por pódio.

Lewis Hamilton sofreu para passar Fernando Alonso (Foto: Reprodução)

7°) Yuki Tsunoda – 6.5 O resultado foi bem melhor do que a performance em si. É que Tsunoda brigava pelo pódio quando fez a primeira parada, mas simplesmente não entregou o ritmo necessário. Ainda acabou atrás de Gasly, que chegou a estar meio grid atrás e ter a corrida teoricamente sacrificada pelo time por causa da chance de pódio de Yuki. Ficou devendo.

8°) Nicholas Latifi – 8.5 Foi, de longe, a melhor corrida que já vimos de Latifi. O canadense foi excelente, manteve um ritmo competitivo o tempo todo e, não fosse uma tática errada da Williams, podia até ter feito top-5. Chegou a sonhar com pódio, mostra bem a loucura da prova.

9°) George Russell – 7.5 Apesar de não ter tido o brilho de costume na classificação, cresceu muito na corrida e, acima de tudo, teve grande atitude ao dizer no rádio que aceitaria ser sacrificado pela prova de Latifi. Segurou Ricciardo a corrida toda.

10°) Max Verstappen – 5.5 Difícil julgar a corrida de Max porque foi acertado por Bottas na largada e ficou com o carro todo danificado, se arrastando por Hungaroring. Ainda conseguiu pontuar. Ponto negativo? A classificação, atrás das duas Mercedes.

11°) Kimi Räikkönen – 5.5 Kimi é outro que não tem muito como julgar porque teve a corrida estragada por uma punição. Só que não foi ele o causador, foi a Alfa Romeo, o liberando em cima de Mazepin nos boxes.

12°) Daniel Ricciardo – 4.0 Estamos dando um desconto porque Ricciardo também foi vítima de barbeiragem na largada, mas o desempenho na corrida foi altamente melancólico. Não pode ficar sem pontos em uma corrida com 14 carros terminando.

13°) Mick Schumacher – 6.0 Uma corrida de gente grande de Mick. Com o carro que é, de longe, o pior do grid, o alemão foi altamente combativo, se defendeu bravamente do jeito que deu. Merece créditos.

Max Verstappen foi vítima de Valtteri Bottas (Foto: Red Bull Content Pool/Getty Images)

14°) Antonio Giovinazzi – 3.5 Deu tudo errado, hein? E aqui não dá para culpar a Alfa Romeo só, afinal, a punição que acabou com a corrida de Giovinazzi foi por correr nos boxes. Complicado.

NC – Nikita Mazepin – 3.5 Nota aqui só por classificação e largada, já que Mazepin tomou uma pancada de Kimi nos boxes e abandonou ali mesmo. Nem deu tempo de fazer bobagens.

NC – Lando Norris – 6.5 Norris vinha para o crime, hein? Uma largada aguerrida, estava ali pronto para fugir da confusão, mas Bottas, desgovernado, tinha outros planos.

NC – Lance Stroll – 1.5 Outro trem desgovernado da largada. Stroll até pode culpar Bottas por sua trapalhada, já que todo mundo tirou o pé, mas como explicar o canadense fazendo rali na grama antes de acertar Ricciardo e Leclerc? Difícil…

NC – Sergio Pérez – 5.0 Outro piloto que só podemos julgar classificação e largada. Na Hungria, ficou ali em quarto. Não está ótimo, mas melhorou em relação ao que vinha fazendo.

NC – Charles Leclerc – 5.5 Não foi a classificação mais brilhante que Leclerc teve, mas o monegasco não pode ser punido porque jogou o próprio sarrafo lá no alto. Pena ter sido vítima da paulada no início.

NC – Valtteri Bottas – 1.0 Vamos falar a verdade: foi o herói do dia no sentido do entretenimento. Mas isso não é digno de nota boa. O finlandês gerou caos, tudo bem, mas a que custo? Tirou um monte de gente da corrida, parecia uma pedra de curling abrindo espaço na pista. Largada tenebrosa na chuva.

Lewis Hamilton largou sozinho em um GP louco (Foto: Reprodução)

GP da Hungria – 9.5 – Uma corrida praticamente perfeita: vencedor inesperado, líderes em apuros, pódio improvável, drama nas voltas finais. Faltou uma briga maior pela vitória para ser 10.

Melhor GP – GP da Hungria – 9.5
Pior GP – GP da Estíria – 3.0
Média – 7.0

Confira a média das notas do ano:

1°) Max Verstappen – 8.5
2°) Lando Norris – 7.9
3°) Lewis Hamilton – 7.7
4°) Pierre Gasly – 7.1
4°) Carlos Sainz Jr. – 7.1
6°) Charles Leclerc – 7.0
7°) Fernando Alonso – 6.6
8°) Esteban Ocon – 6.2
9°) Lance Stroll – 6.0
9°) George Russell – 6.0
11°) Sergio Pérez – 5.9
12°) Daniel Ricciardo – 5.8
12°) Sebastian Vettel – 5.8
14°) Valtteri Bottas – 5.7
15°) Antonio Giovinazzi – 5.5
16°) Kimi Räikkönen – 5.4
17°) Yuki Tsunoda – 4.9
18°) Nicholas Latifi – 4.6
19°) Mick Schumacher – 4.5
20°) Nikita Mazepin – 2.4

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect