Siga-nos

Ranking GP

As notas do GP da Austrália 2022

O retorno da Fórmula 1 à Austrália pode até não ter sido apoteótico, mas teve lances bastante importantes para a temporada

Charles Leclerc vibra com a vitória no GP da Austrália, a segunda de 2022 (Foto: Ferrari)
FÓRMULA 1 2022 AO VIVO: FERRARI AMASSA E RED BULL SE DESESPERA NA AUSTRÁLIA | Paddock GP

Talvez, de fato, o GP da Austrália de 2022 não tenha sido um evento memorável e apresentado corrida espetacular. O que não dá para dizer é que foi uma prova descartável, da qual nada se pode aproveitar. A vitória contundente de Charles Leclerc, os erros de Carlos Sainz, os problemas de confiabilidade da Red Bull e outras coisas tornaram as 58 voltas de Melbourne importantes para o decorrer do ano.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
Confira todas as edições do Ranking GP aqui.

Sobre Leclerc, há pouco a acrescentar. Fim de semana irretocável ao preparar o carro, classificar e dominar. Quem se destacou bastante foi Alexander Albon e a maneira como gerenciou os pneus e traçou a estratégia para conquistar os primeiros pontos da Williams no ano.

Do outro lado do espectro, há o fim de semana melancólico de Sebastian Vettel: problemas no carro que já é complicado e erros estapafúrdios.

As notas do Ranking GP são distribuídas por Gabriel Carvalho, Gabriel Curty e Pedro Henrique Marum.

Leclerc ponteia com Verstappen atrás no GP da Austrália (Foto: Ferrari)

1º) Charles Leclerc – 10 – Uma corrida absolutamente fabulosa de Leclerc. A Ferrari se mostrou, de novo, a grande força da etapa e foi o monegasco quem aproveitou – de novo também. Charles fez uma pole absurda, com quase 0s3 em cima de Verstappen. E deu aula na corrida, liderou o tempo todo, não tomou quase susto nenhum, um baile. Até bobeou um pouco nas relargadas, mas segurou a posição na unha, ou seja, não comprometeu nada ali.

2º) Sergio Pérez – 8,0 – Um ótimo resultado, ainda que a performance não tenha sido a mais linda do mundo. Se Verstappen estava sofrendo para seguir Leclerc, Pérez sofreu ainda mais. O mexicano brigou de verdade com as Mercedes, algo que era meio improvável para a Red Bull hoje. Mesmo assim, 18 pontos na conta e um segundo lugar importante.

3º) George Russell – 8,0 – Quem diria, hein? Russell, começando na Mercedes, com a Mercedes longe da Red Bull e da Ferrari, é o vice-líder da F1 após três etapas. Isso já está de excelente tamanho. O inglês ainda está pegando a mão do carro e tudo mais, mas vem bem competitivo. Ficou na frente de Hamilton, beliscou um pódio. Show.

O pódio do GP da Austrália de 2022 (Foto: Ferrari)

4º) Lewis Hamilton – 7,5 – Foi muito melhor do que na Arábia Saudita, não restam dúvidas. Ficou atrás de Russell e isso, claro, machuca, mas o inglês teve uma performance competitiva. Brigou mesmo com um carro que não está tão bom, somou bons pontos. Teve azar também com o safety-car, algo que beneficiou o próprio George.

5º) Lando Norris – 8,0 – A McLaren deu um sinal de vida enorme no fim de semana! E, mais uma vez, foi Norris quem comandou a equipe. O quinto lugar está de ótimo tamanho, nem tem o que falar.

6º) Daniel Ricciardo – 7,5 – Apesar de ter perdido contato com Norris no fim da classificação, cercou o companheiro a corrida toda. Talvez até pudesse ficar na frente, mas a gente sabe como é disputa entre companheiros de equipe, né? Foi uma boa prova de Ricciardo, pontos importantes para o campeonato.

Paddockast #142 | Las Vegas: mais um GP dos EUA. O que a F1 quer com a dose tripla?

7º) Esteban Ocon – 7,0 – Sentimentos muito agridoces aqui, né? Porque, sinceramente: o sétimo lugar é ruim? Não, de jeito nenhum. Podia ser melhor? Sim, com certeza. É só ver o ritmo que Alonso tinha na classificação e teve em boa parte da corrida, ficou claro que Ocon poderia mais. Mas, ok, bons pontos na conta.

8º) Valtteri Bottas – 7,0 – Bottas vem carregando a Alfa Romeo nas costas, o que não é uma surpresa. O finlandês vem pontuando direto, o que é, sim uma surpresa. Boa atuação também na Austrália, competitivo, rápido, aproveitando as chances.

9º) Pierre Gasly – 7,0 – Apesar de um errinho já no fim que custou o oitavo lugar para Bottas, Gasly fez mais uma bela prova. A verdade é que a AlphaTauri está complicadíssima, então, cada ponto conquistado pelo francês precisa ser comemorado. Bons pontos, pois.

10º) Alexander Albon – 10 – Tudo bem que Leclerc fez coisas incríveis e merece a nota 10, mas o piloto do dia na Austrália se chama Alexander Albon. Que coisa espetacular o que o tailandês fez, gente. Foram 57 voltas com o mesmo jogo de pneus e extremamente competitivo, muito rápido mesmo com os compostos desgastados. O pontinho conquistado foi prêmio para quem lutou muito e colocou o pior carro do grid em um impensável top-10. Albon pontua com a Williams após só 3 provas, isso é enorme.

Alex Albon aproveitou o GP da Austrália para conquistar os primeiro ponto do ano (Foto: Williams)

11º) Guanyu Zhou – 5,5 – Admita: você nem lembrava que Zhou estava disputando o GP da Austrália. Eu, pelo menos, não lembrava. Fica com uma nota aí na média porque o resultado foi aceitável.

12º) Lance Stroll – 2,5 – Um combo do absurdo em Melbourne. Foi predominantemente culpado em um dos acidentes mais toscos da história na classificação com Latifi, se recuperou na corrida com uma estratégia ousada e aí botou tudo a perder de novo. Ficou fazendo zigue-zague na reta, empurrou gente para fora da pista, enfim, foi meio Stroll lá do começo da carreira na F1.

13º) Mick Schumacher – 5,0 – Não foi um bom resultado, também não foi uma performance marcante. Mas Mick ficou na frente de Magnussen o tempo todo e evitou acidentes, é um passo importante.

14º) Kevin Magnussen – 4,5 – O resultado foi quase igual, mas andou atrás do companheiro durante todo o fim de semana. Decepcionou. Fica a observação: estava passando mal até poucos minutos antes do TL1.

15º) Yuki Tsunoda – 3,5 – Longe, muito longe de Gasly. Ok, isso é normal. Mas, como a AlphaTauri piorou bastante, Yuki também foi jogado para o fundo do pelotão, aí fica mais feio.

Fernando Alonso sofreu no fim de semana na Austrália (Foto: Alpine)

16º) Nicholas Latifi – 2,5 – Até pensei em dizer que pelo menos completou a corrida, mas aí lembrei que sábado se envolveu em mais um acidente. Ok, a culpa maior foi de Stroll, que parece incapaz de olhar o retrovisor, mas a atitude de Latifi foi esquisitíssima. Desde quando, numa classificação, é legal dar passagem e, na reta seguinte, tentar retomar a posição? Por fora, numa parte estreita da pista, enfim, lembrou o Mazepin.

17º) Fernando Alonso – 5,0 – Que nota difícil de dar, nossa senhora. Alonso decepcionou no resultado no sábado e no domingo, mas teve momentos de genialidade, especialmente na classificação. O ritmo na prova era bom também e, não fosse um safety-car na hora errada, cabia até um quinto lugar ali. Muito azar. Perde pontos por não ter conseguido se livrar do pelotão depois que a sorte virou de costas para ele.

NC) Max Verstappen – 8,0 – Falando em azar, hein? Duas quebras em três corridas, mais uma vez sem culpa nenhuma. Max faz uma temporada bem boa, está sempre ali perto de Leclerc, mas, com esse motor, esquece, viu? Nada confiável, nada.

NC) Sebastian Vettel – 1,0 – Multa, punição, quebra, acidente, acidente de novo, ritmo ruim. O fim de semana do retorno de Vettel teve de tudo, menos uma boa performance. Empilhou erros, esteve irreconhecível.

NC) Carlos Sainz – 1,0 – Dois erros, um em cada dia. Suficientes para transformar uma prova promissora em um desastre completo para Sainz. Na classificação, um azar danado quando uma bandeira vermelha o tirou, pelo menos, da segunda fila. Na tentativa final, erro grave e nono lugar. No domingo, na ânsia de se recuperar, foi de pneus duros na largada, não aqueceu bem, errou, rodou, parou na brita. Uma tristeza.

O pelotão a partir de Russell no Albert Park (Foto: Mercedes)

GP da Austrália – 4.5 – Chegou a primeira corrida fraca do ano. A Austrália manteve o padrão que vinha apresentando antes da pandemia, mesmo com as mudanças no traçado. Prometeu, mas não cumpriu. Ruim, foi ruim.

Melhor GP – GP do Bahrein – 8.5
Pior GP – GP da Austrália – 4.5
Média: 7.0

MÉDIA DA TEMPORADA:

1º) Charles Leclerc – 9.7
2º) Max Verstappen – 8.7
3º) George Russell – 7.7
4º) Sergio Pérez – 7.5
4º) Valtteri Bottas – 7.5
6º) Kevin Magnussen – 7.3
6º) Esteban Ocon – 7.3
8º) Pierre Gasly – 7.2
8º) Lando Norris – 6.8
10º) Alexander Albon – 6.7
11º) Lewis Hamilton – 6.3
12º) Fernando Alonso – 6.3
12º) Guanyu Zhou – 5.8
14º) Daniel Ricciardo – 5.7
15º) Carlos Sainz – 5.5
16º) Yuki Tsunoda – 5.2
16º) Nico Hülkenberg – 4.8
16º) Mick Schumacher – 4.0
19º) Lance Stroll – 4.0
20º) Nicholas Latifi – 2.3
21º) Sebastian Vettel – 1.0

VERSTAPPEN É CARTA FORA DO BARALHO DA FÓRMULA 1 2022 SE MOTOR RED BULL CONTINUAR ASSIM

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect