As notas do GP da Bélgica de 2019

O GP da Bélgica teve um gosto amargo por acontecer menos de 24 horas após a morte trágica de Anthoine Hubert na F2, mas foi uma bela corrida. Diversos pilotos se destacaram na vitória de Charles Leclerc

Vitor Fazio, de Berlim &
Gabriel Curty, de São Paulo

É verdade que não havia o menor clima para corrida na Bélgica. A primeira etapa depois das férias da Fórmula 1 aconteceu menos de um dia após a morte de Anthoine Hubert em um trágico acidente na corrida 1 da F2, então o ar era de luto total. De toda forma, não havia o que fazer e, se a F2 foi cancelada no domingo, a F1 e a F3 seguiram seus shows.

E o resultado foi bastante positivo na categoria principal. Em um ambiente cercado por lindas homenagens, vitória de Charles Leclerc, amigo das antigas de Hubert. Foi dele também a maior nota, tendo sido extremamente dominante no final de semana todo e lidado bem com a pressão de um inspirado Lewis Hamilton na parte final da prova.

Outros pilotos que foram muito bem avaliados foram Alexander Albon, Pierre Gasly, Daniil Kvyat, Lando Norris e o próprio Hamilton. Do outro lado da tabela ficaram os pilotos da Haas, Robert Kubica e, incrivelmente, Max Verstappen, o único verdadeiro destaque negativo do domingo, largando muito mal e batendo em Kimi Räikkönen.

As notas do Ranking GP são calculadas através de avaliações de Gabriel Curty e Vitor Fazio, do GRANDE PREMIUM.

Charles Leclerc acabou com a espera ao vencer o GP da Bélgica
Foto: Beto Issa

1º) Charles Leclerc – 9.5 – Seria muita crueldade do destino se Leclerc perdesse mais uma corrida nos metros finais. No Bahrein, motor estourado com a vitória na mão. Na Áustria, não conseguiu segurar os ataques de Max Verstappen. Na Bélgica, foi firme para manter uma distância segura de Hamilton mesmo com uma aproximação perigosa no fim. Saiu a primeira vitória e uma bela homenagem a Hubert.

2º) Lewis Hamilton - 8.5 - Hamilton tem se tornado um piloto ainda mais completo e provas assim ajudam a explicar. Se tem o melhor carro, vence. Se os carros estão parecidos, vence. Em uma pista em que a Ferrari deveria nadar de braçadas - e nadou na classificação -, chegou colado em Leclerc. Impressionante.

3º) Valtteri Bottas - 6.0 - O finlandês está se especializando em corridas em que vai ao pódio sem sequer aparecer. Na Bélgica, foi praticamente um figurante, acabou se dando bem pelos problemas de Sebastian Vettel e o ritmo estranho de corrida da Ferrari. Para quem esperava um piloto inspirado com a renovação...

Lewis Hamilton chegou perto de derrubar Charles Leclerc
Foto: Beto Issa

4º) Sebastian Vettel - 6.0 - Difícil explicar o tamanho da frustração com a prova de Vettel, mas ser quarto numa das melhores pistas da Ferrari é pesado. Não esteve perto de Leclerc em momento algum da corrida e ainda foi sacrificado para dar uma segurada em Hamilton e evitar que o inglês chegasse mais rápido no monegasco. Depois, com pneus novos, não saiu do lugar na hora de caçar Bottas. Decepcionante ao extremo.

5º) Alexander Albon - 7.5 - Albon recebeu uma tremenda bucha. Era a primeira prova após trocar de cockpit com Gasly, companheiro de Verstappen, uma pista que não era boa para a Red Bull e, para piorar, tomando punição por troca de motor e largando do fundo do grid. É quase inacreditável que tenha atingido o teto, ou seja, o quinto lugar. Deu um show, com destaque para a linda ultrapassagem em cima de Daniel Ricciardo e da manobra em Pérez mesmo sendo forçado para a grama.

6º) Sergio Pérez - 7.5 - O mexicano poderia ser o segundo melhor piloto da corrida belga tranquilamente, mas passou bem do ponto jogando Albon na grama na última volta ao tentar defender um brilhante quinto lugar. Perde uns pontos por isso, afinal, poderia até ter sido punido e perdido mais posições. De resto, ótimo ritmo, largada, estratégia, enfim, tudo muito bom.

7º) Daniil Kvyat - 8.0 - Kvyat talvez tenha feito uma apresentação ainda melhor que a do pódio na Alemanha. Como? Bom, aquela corrida em Hockenheim teve chuva, estratégias se misturando com safety-car, mas na Bélgica foi no talento, na agressividade e no bom gerenciamento de pneus. Tremenda atuação do russo. 

8º) Nico Hülkenberg - 7.0 - Os 4 pontos da Renault na Bélgica vão muito na conta de Hülk. Foi no braço, no talento, que o alemão conseguiu deixar concorrentes como Gasly e Grosjean para trás. Bela prova, boa recuperação.

9º) Pierre Gasly - 7.5 - A melhor prova de Gasly no ano? Olha, é bem possível que sim. O francês sofreu bastante com desgaste de pneus, mas fez uma corrida absurdamente combativa. Estava com sangue nos olhos, parecia empurrado pelo rebaixamento para a Toro Rosso, mas também por correr por Hubert. Deu um show.

10º) Lance Stroll - 6.5 - Muito longe de Pérez, é verdade, mas Stroll fez uma corrida bem decente. Largou bem de novo, se defendeu bem de novo e mostrou também inteligência para aproveitar chances de fazer ultrapassagens. Foi digno.

Alexander Albon chegou na Red Bull trazendo bons pontos
Foto: Red Bull Content Pool

11º) Lando Norris - 8.0 - Que pena imensa foi o abandono de Norris nos metros finais do GP da Bélgica. O que era para ser um quinto lugar espetacular virou uma corrida sem pontos. Mais uma vez, a sorte traiu o excelente novato, mas ele venceria a 'F1 B', terminaria na frente de Albon, merece muitos créditos pelo que fez.

12º) Kevin Magnussen - 5.0 - Não dá para dar uma nota alta para alguém que sofria uma ultrapassagem por volta no começo da corrida, mas a culpa está longe de ser de Magnussen. A Haas está um horror e o rendimento com o passar dos stints é péssimo. É o carro que mais perde performance com desgaste de pneus.

13º) Romain Grosjean - 5.0 - Dá pra repetir o texto do Magnussen aqui, mas a diferença é que Grosjean foi o alvo fácil do segundo stint, um longuíssimo stint após parada cedo. Entregou para o pit-stop em sexto e só caiu depois. Não foi culpa dele também.

14º) Daniel Ricciardo - 5.5 - Daniel fez o que dava para segurar um pelotão todo sem pneus, se defendeu legal, mas a verdade é que sua corrida acabou quando foi envolvido em incidente na largada. Estratégia toda comprometida e 14º lugar meio que ao natural.

15º) George Russell - 5.0 - A Williams deu uma considerável melhorada e, sinceramente, dava para ter ido ainda mais longe na Bélgica. Não pontuado, mas talvez terminado na frente das Haas, por isso, fica um pinguinho de decepção. Russell andou perto da turma, mas não passou ninguém.

Max Verstappen abandonou ainda na largada
Beto Issa

16º) Kimi Räikkönen - 6.0 - Coitado do Kimi, hein? Em uma pista em que tem um belo retrospecto, classificou muito bem e aí, na largada, foi acertado por Verstappen. A corrida do finlandês acabou ali mesmo, por mais que tenha tentado se arrastar até o final. Ah, ainda tomou uma bifa de um torcedor bêbado no sábado. Que fim de semana...

17º) Robert Kubica - 4.5 - Conseguiu terminar atrás de Kimi mesmo com tudo isso. Nem teve um ritmo péssimo, mas o resultado foi o de sempre: último entre os que completaram a corrida.

NC) Antonio Giovinazzi - 5.5 - O 5,5 era, potencialmente, um 7,5 para cima até os metros finais da corrida. Aí o italiano, que ia marcar 4 - ou 6, por causa de Norris - pontos resolveu errar. Foi ao muro, fim de prova, fim da chance de ter o melhor resultado da carreira. E parece cada vez mais longe do grid em 2020.

NC) Carlos Sainz Jr. - 5.5 - Sainz praticamente não participou do GP da Bélgica. Punido na classificação, problemas no carro já na largada... O melhor piloto da 'F1 B' 2019 não voltou ainda de férias, mas sem culpa.

NC) Max Verstappen - 3.0 - A pior nota do dia vai para Verstappen. Quanto tempo que não rolava isso, hein? Uma recaída, aparentemente, da versão antiga do holandês que, em 2019, beirava o rendimento perfeito. Tem muitos créditos.

GP da Bélgica - 8.0

 

Melhor: GP da Alemanha (10.0)

Pior: GP da França (1.0)

Média dos GPs: 6.7

O GP da Bélgica ficou um pouco abaixo das quatro grandes corridas que fecharam a primeira metade da temporada, mas só por não ter tido uma troca de posições mais forte na liderança. No pelotão intermediário, por outro lado, o bicho pegou a prova toda e não teve volta alguma praticamente de marasmo.

Confira a classificação do Ranking GP após o GP da Bélgica

1º) Max Verstappen - 7.8
2º) Lewis Hamilton - 7.7
3º) Carlos Sainz Jr. - 6.8
4º) Charles Leclerc - 6.7
5º) Alexander Albon - 6.5
6º) Valtteri Bottas - 6.3
6º) Sebastian Vettel - 6.3
6º) Kimi Räikkönen - 6.3
9º) Lando Norris - 6.2
9º) Nico Hülkenberg - 6.2
9º) Daniil Kvyat - 6.2
12º) Sergio Pérez - 5.8
13º) George Russell - 5.7
14º) Lance Stroll - 5.6
15º) Daniel Ricciardo - 5.5
16º) Pierre Gasly - 5.2
17º) Romain Grosjean - 5.1
18º) Antonio Giovinazzi - 4.7
19º) Kevin Magnussen - 4.6
20º) Robert Kubica - 4.4