As notas do GP dos EUA de 2019

Em corrida pouco notável, Lewis Hamilton fez história: deixou Juan Manuel Fangio para trás e conquistou o sexto título mundial. Na pista, a Ferrari se apagou e Valtteri Bottas brilhou

Vitor Fazio, de Berlim,
Gabriel Curty, de São Paulo &
Pedro Henrique Marum, do Rio de Janeiro

Após uma sequência de boas corridas na temporada 2019, o GP dos Estados Unidos colocou no GP do México para formar uma dupla de provas bastante tediosas - embora nada perto do nível dos GPs da França ou da China. Mas não dá para dizer que será uma corrida esquecida, porque Lewis Hamilton confirmou o sexto título mundial.

Na pista, a vitória e maior nota ficaram com Valtteri Bottas, que anotou a pole no sábado e foi para cima de Hamilton para vencer a corrida no domingo. Parecia até o piloto que dera as caras lá em Melbourne, ainda em março.

As notas do RANKING GP são calculadas de acordo com avaliações dos jornalistas Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum e Vitor Fazio.

Valtteri Bottas
AFP

1º) Valtteri Bottas - 8.5 - Mais rápido do fim de semana, o finlandês teve a corrida a perigo, mas foi a versão de si mesmo que nem sempre consegue ser. Combativo, caçou Hamilton na reta final da corrida e partiu para a vitória. Atuação digna de um vice-campeão mundial.

2º) Lewis Hamilton - 8.0 - Depois de um treino de classificação extremamente complicado, Hamilton voltou a acionar o botão do molho especial. Subiu, também impulsionado pela estratégia da Mercedes, e terminou com uma posição que garantiu o sexto título mundial. É um dos grandes da história. 

3º) Max Verstappen - 7.5 - De volta ao pódio após três corridas de ausência, Verstappen se manteve firme próxima das Mercedes e faltou pouco para alcançar Hamilton no fim - ficou menos de 1s atrás. De volta aos dias de alta.

Alex Albon
Red Bull Content Pool/Getty Images

4º) Charles Leclerc - 4.5 -  Muito longe, Leclerc foi quarto colocado pela simples falta de opções viáveis de gente para terminar à frente dele. Sem ritmo, sem truques e acusada de trapaça, a Ferrari teve um fim de semana dos piores.

5º) Alexander Albon - 7.5 - Em condições normais de temperatura e pressão, é muito provável que o tailandês terminasse no top-4. Entretanto, um toque com Sainz na largada empurrou a Red Bull para o último lugar. Mesmo assim, Albon limpou o caminho de volta ao quinto posto. 

6º) Daniel Ricciardo - 7.0 - O ano tem sido irregular, mas às vezes Ricciardo ainda deixa claro quais são os predicados que chamaram a atenção da Renault. Como nos Estados Unidos, quando uma brava atuação colocou o australiano como melhor do resto.

7º) Lando Norris - 7.0 - O novato inglês ultrapassou uma galera em Austin. Chegou ao fim da prova em oitavo, atrás apenas de Ricciardo na F1 B, mas a sensação é de que merecia até mais do que isso. 

8º) Carlos Sainz - 6.5 - Um toque em Albon no começo acabou por dar o tom da corrida do espanhol, sem o brilho de outros dias. Mesmo assim, chegou em oitavo e segue como o melhor do resto na classificação do campeonato. E com sobras. 

9º) Nico Hülkenberg - 6.5 - Como na prova anterior, o alemão vem atrás de Ricciardo e de mais um par de pilotos. Com a Renault, marca mais uns pontos enquanto descobre que está fora do grid da F1 em 2020. Não chega a ser um fim de ano excelente. 

10º) Sergio Pérez - 7.5 - O mexicano tirou absolutamente tudo que a Racing Point tinha a oferecer, como já fez outras tantas vezes neste campeonato. Pérez é um dos pilotos mais estáveis do grid.

Sergio Pérez
Racing Point

11º) Kimi Räikkönen - 6.5 - Após uma sequência de corridas ruins, Räikkönen fez tudo que era possível para levar a Alfa Romeo aos pontos. Foi o velho Räikkönen, mas guiando um triste carro. A tristeza levou a melhor contra a juventude resistente do quarentão finlandês.  

12º) Daniil Kvyat - 4.0 - Mais uma vez rendendo menos que o companheiro, o russo terminou fora dos pontos e nunca realmente pareceu que superaria gente com carro pior. Ainda bateu em Pérez na volta final e acabou punido. 

13º) Lance Stroll - 5.0 - Assim como Kvyat, Stroll nem passou perto de render como o companheiro. Se Pérez tira tudo que a Racing Point oferecer, é justo questionar se Stroll tem um rendimento normal ou abaixo disso.

14º) Antonio Giovinazzi - 5.0 - Depois de uma sequência positiva dentro das possibilidades, Giovinazzi viu Räikkönen viver um dia positivo. Para o italiano, a semana é de festa: o contrato está oficialmente renovado para mais um ano. Terá que trazer mais, porém, em 2020.

15º) Romain Grosjean - 4.5 - Conforme a Haas sai cada vez mais da relevância e apaga como uma supernova murchada antes da explosão, Grosjean teve um fim de semana digno do esquecimento total.

Kevin Magnussen e Romain Grosjean
Haas

16º) Pierre Gasly - 6.0 - O francês fazia uma grande corrida até nas voltas finais. Ocupava o oitavo posto até um toque com Pérez em meio a uma disputa de posição, que quebrou a suspensão da Toro Rosso. Gasly terminou em 16º, mas o desempenho foi muito bom. 

17º) George Russell - 4.5 - Deve ser insuportável passar o ano andando sozinho. Russell segue mostrando que ao menos consegue deixar a Williams no mesmo planeta dos outros, mesmo com superaquecimento em todos os pneus.

18º) Kevin Magnussen - 5.0 - O carro da Haas é muito ruim, mas Magnussen ao menos andava melhor que o companheiro até um problema de freio no final acabar com a corrida dele. Afinal, quem tem a metade dos problemas de freio que a Haas desde a entrada dela na F1?

19º) Robert Kubica - 4.0 - Quando o carro da Williams é pior que o costume, como nos Estados Unidos, a diferença entre Russell e Kubica aparece mais. 

20º) Sebastian Vettel - 5.0 - Largada problemática, carro afetado e quebra de suspensão. O GP dos Estados Unidos foi tão rápido quanto caótico para o tetracampeão.

GP dos EUA: 5.5


Melhor GP: GP da Alemanha (10.0)

Pior GP: GP da França (1.0)

Média: 6.7

Em termos de qualidade, o GP dos Estados Unidos foi parecido ao do México: chato a maior parte do tempo. Ao menos Albon realizou um festival de ultrapassagens, Bottas foi aquele da Austrália e Hamilton fechou o campeonato. 

Confira a média dos pilotos após o GP dos EUA:

1º) Lewis Hamilton - 7.7
2º) Max Verstappen - 7.5
3º) Carlos Sainz Jr. - 6.7
4º) Alexander Albon - 6.6
4º) Valtteri Bottas - 6.6
6º) Charles Leclerc - 6.5
7º) Nico Hülkenberg - 6.4
8º) Lando Norris - 6.3
8º) Sergio Pérez - 6.3
10º) Sebastian Vettel - 6.2
11º) Daniel Ricciardo - 6.0
12º) Daniil Kvyat - 5.7
12º) Pierre Gasly - 5.7
12º) Kimi Räikkönen - 5.7
15º) George Russell - 5.4
15º) Lance Stroll - 5.4
17º) Romain Grosjean - 4.9
18º) Antonio Giovinazzi - 4.8
18º) Kevin Magnussen - 4.8
20º) Robert Kubica - 4.2