Daniel Serra

“Le Mans é algo fora do normal, muito grande. Então, chegar lá e vencer é algo que não tinha imaginado. A ficha está caindo aos pouquinhos”

Fernando Silva, de Sumaré

Iluminado. Talvez seja o melhor adjetivo para descrever o momento de Daniel Serra na carreira em 2017, um ano marcado por grandes mudanças e a consolidação daquele que é um dos principais nomes do automobilismo brasileiro na atualidade. Em grande fase na Stock Car, Serrinha alcançou a glória máxima da sua trajetória: no último domingo (18), ao lado de Jonathan Adam e Darren Turner, o brasileiro de 33 anos venceu as 24 Horas de Le Mans, a mais icônica prova do endurance mundial, na classe LMGTE-Pro a bordo de um Aston Martin Vantage, uma verdadeira lenda das pistas.

O mais incrível foi que Serra alcançou o feito logo na sua estreia em Le Mans. Antes, o filho de Chico Serra sequer havia estado no circuito de Sarthe, de modo que só pode conhecer a grandiosidade do evento neste mês de junho. Levou pouco tempo para o brasileiro entender porque as 24 Horas de Le Mans fazem parte da ‘santíssima trindade’ do esporte a motor mundial ao lado das 500 Milhas de Indianápolis e do GP de Mônaco de F1.

O triunfo de Serra veio com muita emoção e uma luta franca com pelo menos outros cinco carros: o Ford GT #67 da Ganassi, guiado por Pipo Derani, Harry Tincknell e Andy Priaulx; o outro Aston Martin, o #95 guiado por Nicki Thim, Marco Sorensen e Richie Stanaway; o Porsche 919 RSR 2017 de Richard Lietz, Frédéric Makowiecki e Patrick Pilet; a Ferrari 488 #71 da AF Corse de Sam Bird, Davide Rigon e Miguel Molina e, por fim, o grande concorrente da tripulação de Serrinha: o Corvette #63 dos experientes Jordan Taylor, Antonio García e Jan Magnussen.

A batalha contra o Corvette durou até a última volta da prova. Com Adam ao volante do Aston Martin e Taylor na condução do #63, a LMGTE-Pro teve um desfecho épico, na qual levou a melhor a montadora britânica, que festejou uma vitória suada que veio na esteira da pole-position. E, durante a prova, Serrinha alcançou o feito de marcar a volta mais rápida da prova — 3min50s950 — e foi peça fundamental no triunfo da Aston Martin em Le Mans. Uma conquista gigante para um novato em Sarthe.

Foi a terceira vez que um piloto brasileiro subiu no topo do pódio em uma categoria em Le Mans. Antes de Serrinha, apenas dois nomes alcançaram tamanha façanha: Thomas Erdos, carioca de 51 anos que hoje é radicado na Inglaterra, foi bicampeão na LMP2 em 2005 e 2006. Jaime Melo Jr. também fez história para o automobilismo brasileiro em Le Mans ao vencer na classe GT2, hoje equivalente à LMGTE-Pro da qual Serra foi triunfou no domingo. O paranaense conquistou a vitória em Sarthe em 2008 e 2009 a bordo de uma Ferrari F430 da equipe italiana Risi Competizione.

Dois dias depois da glória em Le Mans, Serra já está de volta ao Brasil, onde comemora o grande feito da carreira. Feliz da vida e impressionado com tudo o que viu e viveu nos últimos dias, Daniel falou ao GRANDE PREMIUM e deu detalhes da grande conquista na França: o desafio por si só, o pouco tempo para descanso, a grandiosidade de Le Mans, o drama de acompanhar a luta pela vitória do lado de fora e a dimensão do que alcançou. Algo que nem mesmo o próprio Daniel Serra sabe ainda descrever.

Quer ler esta matéria na íntegra?