Franco Morbidelli

“Eu não tracei alguma meta especifica para este ano, porque é muito difícil saber qual o meu potencial verdadeiro. Então o objetivo é só melhorar a cada corrida”

Juliana Tesser, de São Paulo

Franco Morbidelli começou uma nova fase da carreira em 2018. Campeão da Moto2 no ano passado, o italiano de Roma faz nesta temporada sua estreia na MotoGP, correndo pela mesma Marc VDS com que chegou ao título da divisão intermediária.

Protagonista de um roteiro diferente rumo ao Mundial de Motovelocidade ― que passou pelo Campeonato Europeu de Superstock 600 ―, Morbidelli precisou driblar dificuldades financeiras para alcançar as categorias promovidas pela Dorna, mas foi justamente o triunfo na classe de 600cc que abriu as portas da Moto2 para o #21.

A estreia no Mundial aconteceu em 2013, com participações nas etapas de San Marino, Japão e Valência, sempre pela Gresini. No ano seguinte, a vaga de titular veio pelas mãos da Italtrans, mesma equipe pela qual conquistou o primeiro pódio ― um terceiro lugar na etapa de Indianápolis.

2016, então, viu um passo decisivo na carreira do italiano, com a contratação pela Marc VDS. O primeiro terço da temporada foi mais discreto, mas Franco deslanchou na parte restante da disputa, com oito pódios ― quatro segundos e quatro terceiros ― nas últimas 11 etapas.

No ano seguinte, Franco foi ainda mais longe e abriu o Mundial com um triunfo no Catar, emendando vitórias na Argentina e em Austin. Depois de um abandono em Jerez, o piloto voltou a vencer na França, fez top-5 em Itália e Catalunha, voltou ao topo do pódio em Holanda e Alemanha, foi oitavo na República Tcheca, venceu na Áustria, foi ao pódio na Grã-Bretanha, abandonou em Misano, foi primeiro em Aragão, oitavo no Japão, terceiro na Austrália e na Malásia e fechou o ano com um segundo lugar em Valência. Tal desempenho, claro, rendeu ao #21 o título e a promoção para a fase seguinte da certame.

Agora, no estágio mais alto da carreira, Morbidelli ainda trabalha em sua adaptação à nova categoria, mas começou o ano à frente de Hafizh Syahrin, Tom Lüthi, Takaaki Nakagami e Xavier Siméon ― os demais novatos de 2018 ― com um 12º lugar em Losail.

Às vésperas do GP da Argentina, Morbidelli conversou com o GRANDE PREMIUM e, falando no português que aprendeu com a mãe brasileira, deu sua avaliação da pré-temporada, da evolução conquistada até aqui e até arriscou um palpite da disputa pelo título. Franco falou, ainda, da VR46 e de sua nova relação com Valentino Rossi.

Quer ler esta matéria na íntegra?