Gil de Ferran

Gil de Ferran aceitou a tarefa de ajudar Fernando Alonso nas 500 Milhas de Indianápolis. E agora como ‘coach’, o brasileiro falou sobre o primeiro contato com o espanhol e o que espera da “espetacular” iniciativa da McLaren

Evelyn Guimarães, de Curitiba

 

Gil de Ferran é um dos nomes mais vitoriosos da história da Indy. Respeitado por suas conquistas nas pistas e pelo trabalho como dirigente, o brasileiro agora vive uma nova experiência na bem-sucedida carreira no esporte a motor: vai ser o ‘coach’ – uma espécie de técnico – de Fernando Alonso, que busca incluir em seu currículo a Tríplice Coroa do automobilismo mundial. Dono de uma vitória na agora centenária 500 Milhas de Indianápolis, é De Ferran quem vai assumir o papel de ajudar e explicar tudo o que se precisa saber para guiar no mais famoso oval do mundo.

A missão de Alonso não será fácil, mas também não vai faltar experiência. Gil venceu a Indy 500 em 2003 pela Penske, equipe com a qual viveu anos de vitórias e títulos nos EUA. Depois de encerrar a carreira como piloto, De Ferran intensificou seu envolvimento com a Honda e, inclusive, fez parte do projeto da montadora na F1. De volta ao lado de cá do Atlântico, seguiu com os japoneses e até o ano passado ocupava um cargo de conselheiro da fabricante em suas atividades de competição no país. Ainda assim, seu vínculo com a marca continua firme e agora ainda mais, depois da tarefa para qual foi escolhido.

Em conversa exclusiva com o GRANDE PREMIUM, De Ferran não escondeu o entusiasmo com a "espetacular" iniciativa de Alonso em correr as 500 Milhas. O brasileiro – de origem francesa – vê a decisão do bicampeão da F1 como um grande resgate de uma era romântica do esporte a motor no mundo, em que grandes nomes do Mundial iam a Indianápolis tentar a glória e a fama. 

E por considerar Alonso “um dos maiores pilotos de todos os tempos”, Gil reconhece que é “uma honra” trabalhar com o espanhol, que já demonstrou enorme interesse e paixão pela aventura que está prestes a embarcar em Indiana. “Ele não me fez uma pergunta, me fez 500 mil”, diz um bem-humorado De Ferran, que vai ser a sombra do piloto da McLaren, no Brickyard, em maio.  

O retorno ao palco mais tradicional da Indy também mexeu com o duas vezes campeão da Champ Car. “É uma emoção nostálgica”, admite.
 

Quer ler esta matéria na íntegra?