Sébastien Buemi

Sébastien Buemi é desde o começo da F-E quem tem o melhor carro disponível - quem mais tem vitória, pole e dono do título da segunda temporada. Em entrevista exclusiva ao GRANDE PREMIUM, Buemi admitiu que pensa em F1 e falou de seu melhor ano na F-E

Pedro Henrique Marum, do Rio de Janeiro

Sébastien Buemi foi um dos primeiros pilotos formados pela Academia de Pilotos da Red Bull. O suíço passou por todo o caminho para chegar à F1. Vice-campeão da F3 Euro de 2007, atrás de Romain Grosjean e à frente de Nico Hülkenberg e Kamui Kobayashi. Depois, foi à GP2, onde voltou a encontrar Grosjean e Kobayashi cruzou com Lucas Di Grassi, Bruno Senna, Pastor Maldonado. Não teve os resultados mais brilhantes do mundo, mas fez o bastante para convencer a Red Bull.

A chegada na F1 foi em 2009, aos 20 anos de idade, por uma Toro Rosso que existia desde 2006, mas que só havia lançado um único piloto 'da casa': Sebastian Vettel. Coletou seus pontos, superou os companheiros de equipe nos dois primeiros anos, mas foi derrotado por Jaime Alguersuari na batalha interna de 2011. Foi sacado por uma marca que pode até dar asas, mas não dá perdão, e achou que Buemi, aos 24 anos de idade, ficara velho demais para o time B.

Mas foi aí que a carreira virou. Buemi era um piloto promissor que ficou perdido numa F1 com poucos lugares disponíveis e com quase nenhum apreço por talentos com a necessidade de lapidação. Buemi olhou para o outro lado, fechou com a Toyota e foi correr com protótipos. No WEC, achou a glória. Se tornou campeão mundial de endurance na classe LMP1 em 2014 e ingressou na nova experiência que era a F-E, a primeira categoria de bólidos elétricos do mundo.

O acordo com a Renault e.dams o colocava automaticamente no topo do novo campeonato. Após um primeiro ano de disputa acirrada e com derrota para Nelsinho Piquet, Buemi disputou um segundo ano com o ex-rival de GP2, Di Grassi, e foi ponto a ponto até confirmar o título por um ponto conquistado com a melhor volta da prova final - após uma batida mais que polêmica que sofreu do próprio Lucas. Enxotado da F1, Buemi se tornou campeão do WEC e da F-E.

Quer ler esta matéria na íntegra?