Siga-nos

10+

10 das 100 vitórias mais memoráveis de Hamilton na Fórmula 1

São 100 vezes de Lewis Hamilton. E listar apenas 10% das vitórias mais inesquecíveis do heptacampeão é uma tarefa difícil. No entanto, eis aqui no GRANDE PREMIUM a tentativa: 10 das 100 vezes memoráveis que o dono do carro #44 subiu ao lugar mais alto do pódio

Lewis Hamilton conquistou sua 100ª vitória no GP da Rússia de 2021 (Foto: Mercedes)

São 100 vitórias. O britânico de Stevenage, no Reino Unido, é o primeiro piloto em mais de 70 anos de existência de Fórmula 1 a colocar três dígitos nesta estatística. São 100 vezes de luta (dentro e fora das pistas), 100 vezes de aprendizado, 100 vezes de um talento único, 100 vezes em que Lewis Hamilton escreveu para sempre seu nome como um dos maiores pilotos de todos os tempos.

“É muito importante que as crianças vejam isso… Não dê ouvidos a ninguém que lhe diga que você não pode alcançar algo. Sonhe o impossível. Fale com ele. Você tem que trabalhar por isso, persegui-lo e nunca desistir”, disse Hamilton, após conquistar seu heptcampeonato de Fórmula 1.

E, para comemorar este fato histórico, o 10+ desta semana traz 10% dos mágicos triunfos do #44 na maior categoria do automobilismo, em ordem cronológica. É claro que são muitas, mas temos aqui aquelas que marcaram eras e os corações dos amantes de F1, de Montreal a Sóchi. Do Reino Unido para o mundo. Do garoto do kart que sonhou em ser o piloto referência que o é hoje.

Confira a lista das 10 corridas mais marcantes de Lewis Hamilton na Fórmula 1:

GP do Canadá de 2007

A primeira das 100 vitórias do piloto (Foto: Getty Images)

A primeira vez é inesquecível e, por isso, não poderia estar de fora desta lista. O jovem estreante de 23 anos rumou a Montreal após seis etapas da temporada de 2007. E nas cinco corridas anteriores, Lewis Hamilton esteve no pódio — somava quatro segundos lugares e um terceiro. Faltava, então, a vitória. Fazendo jus à pole conquistada no sábado, o britânico liderou 67 das 70 voltas da corrida, em uma prova marcada por quatro períodos de safety-car. Na ponta e alheio a todo o drama vivido pelo pelotão atrás de si, Hamilton cruzou a linha de chegada com quase 5s de vantagem para Heidfeld. “Eu estou em outro planeta depois disso. Simplesmente não consigo encontrar palavras para descrever como me sinto ao vencer minha primeira corrida na F1”, disse após o champanhe do pódio.

GP de Mônaco de 2008

A sexta das 100 vitórias do piloto (Foto: Reprodução)

Uma das provas em que Lewis Hamilton teve de se reinventar. Isso porque, logo no início da corrida, seu MP4-23 tocou o guard-rail na curva da Tabacaria, causando um estouro em seu pneu dianteiro traseiro. O piloto britânico conseguiu ainda assim levar seu carro aos boxes. Quando retornou, surpreendentemente conseguiu sobreviver à corrida e aproveitar uma excelente estratégia da McLaren para vencer. Ele sofreu com um pequeno furo de pneu na última volta, mas nada o impediu de vencer pela primeira vez em no clássico traçado de Monte Carlo.

GP da Inglaterra de 2008

A sétima das 100 vitórias do piloto (Foto: Reprodução)

A vitória em casa teve uma condição climática que viria até a ser positiva para Hamilton na Fórmula 1: a chuva. O dono da pole, no entanto, foi Heikki Kovalainen, que conquistara pela primeira (e única) vez a posição de honra do grid. O britânico fechou a classificação em quarto lugar, a 0s786 do companheiro de equipe finlandês. No momento da largada, não havia propriamente a incidência de chuva, apenas uma garoa e leve neblina, mas os 5.141 metros do traçado estavam bem molhados e a opção foi pelos pneus intermediários.

Hamilton, então, pulou da quarta para a segunda posição, deixando para trás Mark Webber e Kimi Räikkönen. Os comandados de Ron Dennis chegaram a tocar rodas na primeira curva, mas Kovalainen manteve a ponta, seguido por Hamilton e o finlandês da Ferrari. Depois de pressionar o líder por quatro voltas, Lewis assumiu a ponta no quinto giro e não mais a perdeu, salvo momentaneamente para troca de pneus e abastecimento. O piloto da McLaren chegou ao Reino Unido na quarta posição do campeonato e saiu com a liderança, que viria a ser importante para o título no final do ano.

GP da Hungria de 2013

A 22ª das 100 vitórias do piloto (Foto: Reprodução)

A primeira vitória que iniciou uma parceria incrível de Lewis Hamilton com a Mercedes. O domínio do britânico em Hungaroring era notório, e isso foi confirmado já no sábado, quando cravou a pole-position, com 1min19s388. No domingo, Hamilton conseguiu ficar com a ponta, enquanto Sebastian Vettel saiu mal e quase perdeu a segunda colocação para Romain Grosjean. Com o britânico parando na volta 10, antes de qualquer outro ponteiro, Mark Webber, a grande ameaça para ele naquela corrida, decidiu ir finalmente aos boxes depois de Hamilton. O australiano da Red Bull fez seu pit-stop na volta 24, deixando Lewis reassumir a ponta e aumentar a diferença para o restante do pelotão. Nas duas paradas seguintes, o britânico mais uma vez precisou passar Webber para retomar à liderança, mas não teve qualquer problema para isso. A vitória, então, veio sem mais surpresas.

A triunfo de Hamilton na Hungria ainda carregou muitos significados, como ter se tornado o primeiro britânico a vencer com uma Mercedes desde Stirling Moss, além de empatar com Michel Schumacher como o piloto com maior número de vitórias no circuito – quatro.

GP do Bahrein de 2014

A 24ª das 100 vitórias do piloto (Foto: Reprodução)

A 900ª corrida da Fórmula 1 deu indícios de como seria a rivalidade de Lewis Hamilton e Nico Rosberg. A etapa no Bahrein marcou um duelo para lá de emocionante. O alemão, líder do campeonato, anotou a pole-position no sábado. Largando da segunda posição, Hamilton soube utilizar o lado de dentro, largar bem e assumir a ponta. A curva 1, então, viria a se tornar ponto chave para Rosberg tentar ultrapassar — ele tentou por duas vezes, mas sem sucesso. Por isso, após uma boa janela de pit-stops, o #44 parecia se encaminhar para uma vitória sem sustos. Mas o inglês não contava com um forte acidente entre Pastor Maldonado e Esteban Gutiérrez na volta 41, que trouxe o safety-car. Lewis e Nico pararam nos boxes, e o alemão voltou com pneus médios contra duros de seu companheiro de equipe. Rosberg diminuiu a vantagem, ameaçou com vontade a primeira posição do britânico, que não deu brechas, aguentou a pressão e anotou sua 24ª vitória.

GP dos Estados Unidos de 2015

A 43ª das 100 vitórias do piloto (Foto: Reprodução)

Quando chegou a Austin, pela 16ª etapa da temporada de 2015, Lewis Hamilton estava com uma mão na taça. O britânico liderava o campeonato por 302 pontos, 66 à frente de Sebastian Vettel, segundo colocado, e 73 de Nico Rosberg, terceiro. Seu companheiro de equipe, no entanto, foi o pole-position e tornou a corrida uma montanha-russa para o #44. Depois de ultrapassar Nico, Hamilton viu Daniel Ricciardo com seu Red Bull tomar a ponta e caiu para quarto. Mais tarde, com a pista seca, conseguiu voltar à briga. O que ele não podia contar era que a Mercedes cometeria um erro de estratégia — que preferiu deixá-lo na pista durante um período de safety-car. A vitória parecia se encaminhar para as mãos de Rosberg quando, a oito voltas do fim, ele errou: escapou em uma curva e deixou pista livre para Lewis passar e vencer. E não foi um triunfo qualquer. Foi a conquista necessária para o tricampeonato do britânico, que fez história no Circuito das Américas.

GP da Alemanha de 2018

A 66ª das 100 vitórias do piloto (Foto: Reprodução)

A temporada de 2018 foi de uma belíssima disputa entre Lewis Hamilton e Sebastian Vettel. Quando chegaram a Hockenheim, pela 11ª etapa daquele ano, Vettel era o líder do campeonato. E, embora o fim de semana apontasse o alemão como o favorito, no domingo, tudo foi diferente. Depois de passar por uma falha na sua Mercedes e ter uma classificação desastrosa, o britânico tentava se recuperar. Só que, com uma leve ajuda da chuva, Vettel, que tinha tudo sob controle, escapou do traçado e foi ao encontro da brita e da barreira de pneus. Embora as condições climáticas adversas, o tempo se abria para Lewis. Em regime de safety-car, o britânico não parou — ao contrário de Valtteri Bottas e Kimi Räikkönen — e herdou a liderança. É verdade que chegou ainda a ser ameaçado pelo finlandês, mas nada o impediu de anotar mais uma vitória e a retomada da liderança do Mundial de Pilotos.

GP de Portugal de 2020

A 92ª das 100 vitórias do piloto (Foto: Reprodução)

Aqui foi quando Lewis Hamilton ultrapassou Michael Schumacher em número de vitórias, conquistando sua 92ª, e se tornando o maior vencedor da Fórmula 1. Pole-position, Hamilton largou na pista portuguesa com dúvidas sobre a grande chance de chuva, que não veio. Ele chegou a ser ultrapassado por Valtteri Bottas e até por Carlos Sainz, que liderou a prova por algumas voltas no começo mas, na sequência da disputa, valeu a melhor performance daquele que é um dos maiores da história. E, com o triunfo, o dono do carro #44 confirmou mais uma fantástica estatística para seu currículo como piloto.

GP da Turquia de 2020

A 94ª das 100 vitórias do piloto (Foto: Reprodução)

Foi exatamente no dia 15 de novembro de 2020, na Turquia, que Lewis Hamilton conquistou seu heptacampeonato, escrevendo para sempre seu nome na história. Mas não foi fácil. O piloto da Mercedes largou da sexta posição, chegando a progredir para um quinto lugar, mas lidando com uma pista molhada e traiçoeira. Quando começou a secar, Hamilton viu seus adversários trocarem os pneus intermediários, mas com grande performance com eles, mesmo bastante gastos, ficou na pista. Passou Sergio Pérez, líder da corrida, e conquistou a décima vitória das 14 etapas da temporada, a 31s do mexicano. De quebra, anotou seu 94ª triunfo, outro recorde para a F1.

GP da Rússia de 2021

A 100ª vitória do piloto (Foto: Reprodução)

Uma vitória que quase não veio, mas a experiência de Lewis Hamilton falou mais alto. Em condições normais, era muito provável que o #44 ficaria, no máximo, na segunda posição. Isso porque Lando Norris fazia uma corrida excepcional, sem erros e com grandes de chance de conquistar seu primeiro triunfo na Fórmula 1. Hamilton, que não largou tão bem, não tinha muito o que fazer. Até começar a chover. A menos de 10 voltas para o final, a chuva (já esperada) começou a cair em Sóchi, e Mercedes e Hamilton — este último ainda que relutante — fizeram a parada na volta 50 das 53 para trocar por pneus intermediários. Coisa que o piloto do carro #4 não fez. Assim, a chuva apertou demais e acabou com a estratégia de Norris, que teve de dar adeus à vitória depois de rodar no setor 2 da pista. Hamilton fez valer o risco e assumiu a liderança da corrida com duas voltas para o fim. Daí em diante, o heptacampeão seguiu em frente para, novamente, fazer história no Mundial de Fórmula 1.

Bônus!

Antes de finalizar esta lista, não me contive. Como disse acima, é muito difícil separar apenas dez das históricas 100 vitórias de Lewis Hamilton. Por isso, abro uma exceção aqui: o GP de Eifel de 2020, quando o piloto da Mercedes empatou com o lendário Michael Schumacher. Mais um fator histórico para a trajetória de Hamilton na Fórmula 1.

GP de Eifel de 2020

A 91ª das 100 vitórias do piloto (Foto: Reprodução)

O GP da Alemanha de 2020 foi histórico. Depois de Lewis Hamilton bater na trave na Rússia, a 91ª vitória veio, igualando a marca (e, até então, recorde) de Michael Schumacher. Largando da segunda posição, atrás de Valtteri Bottas, o britânico assumiu a ponta logo no início, após um erro do finlandês. Depois disso, o então hexacampeão gerenciou bem sua corrida para ficar com a vitória em Nürburgring. Foi um marco histórico e, ainda por cima, na casa do inesquecível heptacampeão.

Leia mais:

Palou vs. O’Ward: o confronto final da Indy 2021

Bwoah: as melhores frases de Kimi Räikkönen

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect