Siga-nos

10+

O caminho do título de Verstappen em dez atos

Max Verstappen alcançou a glória em 2021 com seu primeiro título mundial de Fórmula 1, e conquistou dez vitórias essenciais ao longo do ano. Assim, o Grande Premium relembra cada um dos triunfos do primeiro campeão holandês da história

As dez vitórias que deram a Max Verstappen o título da F1 em 2021 (Foto: Red Bull Content Pool/Getty Images)

Max Verstappen venceu uma das disputas mais acirradas de todos os tempos na Fórmula 1 para superar o heptacampeão mundial Lewis Hamilton e se tornar o primeiro holandês a garantir o título em toda a história. Ao longo do ano de 2021, o dono do carro #33 da Red Bull venceu dez vezes, duas a mais do que o concorrente, para assegurar a tão sonhada conquista.

Emília-Romanha, Mônaco, França, Estíria, Áustria, Bélgica, Holanda, Estados Unidos, México e Abu Dhabi foram os palcos que viram Verstappen ocupar o lugar mais alto do pódio rumo ao título — em ano que contou com grandes exibições, vitórias dominantes do prodígio e outras nem tanto, já que ‘Super Max’ soube aproveitar muito bem algumas circunstâncias da temporada para conseguir se sobressair ao final.

Abaixo, o GRANDE PREMIUM relembra todas as dez vitórias de Verstappen na temporada 2021, os dez atos que o levaram ao badalado título mundial da Fórmula 1.

1. GP da Emília-Romanha

Em uma corrida espetacular sob muita chuva em Ímola, Verstappen saiu da terceira posição no grid de largada — em segunda marcha — para tomar a liderança de Hamilton ainda nos primeiros metros da corrida. A batalha roda a roda dos dois pilotos nas primeiras curvas do traçado na Emília-Romanha foi apenas o primeiro contato de muitos que os pilotos tiveram na pista ao longo da temporada.

O recado de Verstappen foi claro: ele iria tentar a ultrapassagem a qualquer custo, e sobraria a Hamilton a decisão de dar um passo atrás ou arriscar um acidente. Deu certo para o holandês no fim das contas.

As condições precárias devido ao clima criaram dificuldades até para o heptacampeão, que perdeu o controle do carro e foi parar na brita, mas conseguiu se recuperar de maneira heroica para terminar em segundo, 22s atrás do holandês. Foi a primeira vitória de Verstappen em 2021, fundamental para o título no final do ano.

Lewis Hamilton e Max Verstappen travaram duelo feroz em Ímola (Foto: Reprodução/Twitter)

2. GP de Mônaco

Vencer nas ruas apertadas do Principado de Mônaco é um feito e tanto para qualquer piloto de Fórmula 1. Ainda mais quando Max Verstappen viu Charles Leclerc marcar a pole de sábado e bater no muro de proteção em seguida, impedindo que os outros pilotos conseguissem marcar seus tempos. Assim, o holandês precisaria sair em segundo lugar, atrás da Ferrari.

No entanto, a batida do monegasco acabou danificando até mesmo o câmbio do carro #16, o que causou o abandono de Leclerc antes mesmo da corrida começar. Assim, Verstappen imediatamente herdou a pole-position, e defendeu a posição logo na primeira curva para uma de suas performances mais dominantes ao longo do ano.

Concorrente do holandês ao título da Fórmula 1, Hamilton não se encontrou com o carro da Mercedes durante todo o final de semana e terminou a corrida apenas na sétima posição, seu segundo pior resultado em toda a temporada. Mais uma vez, Verstappen dava um passo importante em direção ao seu primeiro título.

3. GP da França

A corrida na França veio logo após a Mercedes vencer a Red Bull na Espanha em um duelo estratégico, que resultou no triunfo de Hamilton em Barcelona. Pois em Paul Ricard, a história acabou sendo exatamente o oposto. Com estratégias diferentes, Verstappen e Hamilton precisaram resolver na pista quem sairia com a primeira colocação, e o holandês levou a melhor.

Em um excelente duelo tático e técnico, Verstappen optou por uma estratégia de duas paradas, enquanto Hamilton e a Mercedes foram para a disputa na pista francesa acreditando que seria possível concluir a prova com apenas uma troca de pneus.

Verstappen cometeu um erro logo na virada para a curva 1, e isso permitiu a Hamilton tomar a liderança do piloto holandês. Max parou na volta 18 para trocar os pneus, um giro antes de Hamilton, que não foi rápido o suficiente e viu o rival conseguir o ‘undercut’ e assumir a dianteira.

A questão é que Verstappen não conseguia manter as Mercedes atrás por mais tempo e parou na volta 33 para calçar pneus médios e partir para cima dos rivais para tentar a vitória. Em quarto, o holandês imprimiu um ritmo fortíssimo e contou com uma ‘ajudinha’ do colega Sergio Pérez — que abriu passagem — para ultrapassar tanto Bottas quanto Hamilton pela vitória.

Max Verstappen venceu duelo de estratégias com Lewis Hamilton na França (Foto: Red Bull Content Pool)

4. GP da Estíria

Em uma corrida de poucas emoções no Red Bull Ring, na Áustria, Verstappen apresentou mais uma de suas performances dominantes para garantir a vitória com larga vantagem à frente de Hamilton. O piloto holandês conquistou a pole-position e não deu chances para o rival na largada, mantendo a posição com um começo irretocável de prova.

Hamilton até buscou alternativas para tentar alcançar a velocidade imposta pelo campeão de 2021, mas ficou claro que não seria possível ultrapassar a Red Bull #33. Assim, o britânico decidiu ir aos boxes nas voltas finais da disputa para anotar a volta mais rápida e ao menos diminuir em um ponto o dano causado pelo holandês — que terminou mais de 35s à frente do heptacampeão.

5. GP da Áustria

O GP da Áustria teve um corrida bem mais animada do que o da Estíria, uma semana antes, apesar de acontecer na mesma pista, o Red Bull Ring. O que permaneceu igual foi o domínio de Verstappen, que não deu chances aos concorrentes para assinalar sua quinta vitória na temporada, a terceira seguida.

Enquanto Hamilton precisou lidar com problemas em seus pneus traseiros e não conseguiu passar da quarta colocação, Verstappen sobrou na liderança desde a largada e se deu ao luxo até mesmo de ser chamado pela Red Bull para ir aos boxes trocar os pneus devido a um “corte” encontrado no composto do holandês.

Max terminou a disputa com mais de 17s de vantagem para o finlandês Valtteri Bottas, segundo colocado da disputa. Lando Norris conseguiu aproveitar os problemas de Hamilton para ultrapassar o britânico já na parte final da disputa e garantir um lugar no pódio com a terceira colocação.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

GP da Áustria 2021,
Verstappen não deu chance aos rivais no GP da Áustria (Foto: Reprodução/Twitter/@F1)

6. GP da Bélgica

A corrida da Bélgica foi vencida por Verstappen, mas na verdade o piloto holandês garantiu o primeiro lugar ainda no sábado. Isto porque, após conseguir a pole-position para a corrida de domingo, o holandês viu as más condições climáticas impedirem a realização da disputa.

Após duas tentativas de largada e mais de três horas de paralisação, a prova teve apenas uma volta atrás do safety-car e pontuação pela metade aos pilotos do top-10. Assim, Verstappen garantiu a vitória na não-corrida, seguido por George Russell em seu primeiro pódio da carreira, pela Williams, e a Mercedes de Hamilton em terceiro lugar.

Pelo triunfo, Max somou apenas metade da pontuação prevista originalmente, ou apenas 12,5 dos 25 tentos a que teria direito se a corrida tivesse seu curso normal.

7. GP da Holanda

Não poderia ser diferente: milhares de fãs se vestiram de laranja e lotaram as dependências do Circuito de Zandvoort, na Holanda, para a primeira aparição do ídolo local Max Verstappen em um GP de Fórmula 1 em seu país natal. Além disso, ainda seria a primeira corrida na Holanda pela categoria desde 1985, o que elevava ainda mais a expectativa da torcida por uma vitória.

Verstappen não apenas cumpriu a expectativa do público, mas pode-se dizer que entregou simplesmente seu melhor desempenho da temporada na qual acabou campeão. O holandês anotou a pole-position e não deu absolutamente nenhuma chance para os rivais, ao dominar a corrida e finalizar a disputa com mais de 20s de vantagem para Hamilton, segundo colocado e único concorrente ao título.

Max Verstappen, Red Bull, GP da Holanda 2021,
Verstappen fez a festa da fanática torcida holandesa em Zandvoort (Foto: Reprodução/Twitter/@redbullracing)

8. GP dos Estados Unidos

Em um circuito até então dominado pela Mercedes, Verstappen deixou sua marca de forma decisiva no campeonato. Após marcar a pole-position, o holandês acabou superado por Hamilton logo na largada no Circuito das Américas, no Texas, e usou da estratégia — em conjunto com a Red Bull — para conseguir um ‘undercut’ decisivo sobre o rival na primeira janela de paradas e tomar a dianteira novamente.

A Mercedes decidiu, então, fazer um segundo stint mais longo, e quando Hamilton saiu dos boxes para perseguir Verstappen, a vantagem do holandês era de 8,8s. Lewis diminuiu a distância volta após volta, aproveitando pneus mais conservados do que os de Max, mas o #33 conseguiu manter a liderança e cruzar a linha de chegada com 1s3 de vantagem para o rival — e conquistar sua primeira vitória nos Estados Unidos.

Hamilton e Verstappen brigam pela ponta na largada do GP dos EUA (Foto: Mercedes)

9. GP do México

Em um Autódromo Hermanos Rodríguez em que se esperava uma vitória tranquila da Red Bull, foi uma surpresa para todos quando as duas Mercedes conquistaram as duas primeiras posições no grid de largada para a corrida de domingo. No entanto, se tornou uma surpresa ainda maior quando Max Verstappen saiu de terceiro na largada para ultrapassar o rival Hamilton e o pole Valtteri Bottas por fora na curva 1, e tomar a liderança de maneira espetacular ainda nos primeiros metros da prova.

A partir daí, Verstappen dominou completamente o ritmo na Cidade do México e venceu com confortáveis 16,5s de vantagem para Hamilton, o segundo colocado. Com Sergio Pérez na terceira colocação, a Red Bull reafirmava ainda mais seu poderio e se aproximava da Mercedes no Mundial de Construtores — além de ver a vantagem de Max na liderança aumentar ainda mais.

10. GP de Abu Dhabi

Na disputa final do campeonato, uma vitória polêmica de Verstappen acabou por selar a conquista do primeiro título mundial do holandês. Largando na pole-position, o #33 viu o rival Hamilton largar melhor e tomar a primeira posição logo na primeira curva do Circuito de Yas Marina, posição que manteve até a última volta da corrida.

Já na reta final da disputa, Nicholas Latifi bateu sua Williams em um dos muros de proteção do traçado, e o diretor de provas da FIA, Michael Masi, decidiu pela intervenção do safety-car. Além disso, determinou que os retardatários não poderiam tirar suas voltas em relação aos líderes.

A Red Bull chamou Verstappen para os boxes e colocou pneus macios novos no carro do holandês, que retornou em segundo, atrás de Hamilton — que manteve seus pneus duros velhos, sem ter sido chamado pela Mercedes para efetuar a troca. A questão é que Michael Masi mudou de ideia e permitiu que os retardatários ultrapassassem os líderes e tirassem suas voltas, além de definir que a relargada aconteceria na última volta.

À parte de toda a polêmica causada pela confusão nas decisões da direção de prova, Verstappen disparou após a relargada para ultrapassar Hamilton na última volta e garantir a conquista de seu primeiro título mundial de Fórmula 1.

O cumprimento de Hamilton e Verstappen após a decisão (Foto: Lars Baron/Getty Images/Red Bull Content Pool)

LEIA TAMBÉM
Os embates entre Hamilton e Verstappen em 2021

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect