Siga-nos

Análise

Estratégia, em inglês strategy

O regulamento, a pista e, principalmente, a estratégia nos impediram de ver uma maior disputa na pista entre Hamilton e Verstappen no GP da Espanha de 2021

Não é novidade: o Circuito da Catalunha, que recebe todos os anos o GP da Espanha, está longe de ser um dos mais empolgantes da Fórmula 1. Soma-se a isso o atual regulamento aerodinâmico da categoria e pronto: temos o resultado da prova realizada neste domingo, dia 9.

Max Verstappen foi agressivo na medida certa para ultrapassar Lewis Hamilton logo após a largada. Depois, o holandês tinha o melhor carro no primeiro trecho da prova, com pneus duros. A Red Bull tinha claramente mais ritmo.

Aí começam os erros capitais – ou, talvez, a necessidade de dar um peso muito grande para a estratégia. Verstappen foi o primeiro a fazer a troca de pneus, perdendo muito tempo na parada por um erro do time. A Hamilton, bastava fazer o pit stop logo em seguida para ultrapassar o adversário. Não o fez.

Hamilton perseguindo Verstappen durante o GP da Espanha (Crédito: reprodução / Twitter / F1)

Aquele teria sido o caminho mais tranquilo e fácil. Porém, a Mercedes preferiu seguir o plano prévio e não aproveitou a oportunidade, mantendo Hamilton mais tempo na pista. Diria que foi uma devolução da gentileza.

No segundo trecho do GP, Hamilton tinha um ritmo muito melhor que Verstappen com pneus médios. O heptacampeão se aproximou rapidamente do holandês. Porém, ao estar em distância para ultrapassar o piloto da Red Bull, o inglês se viu obrigado a enfrentar outros dois adversários: a pista e a aerodinâmica.

A combinação dos dois é, certamente, um dos grandes males da F1 atual. A pista de Montmeló não facilita as ultrapassagens, algo agravado pelo fato dos times terem muitas informações do circuito – ainda que não tenham testado lá neste ano.

Pior: existe o problema da turbulência gerada pelo carro da frente, quando falamos de carros muito próximos em condições parecidas. Claramente Hamilton dava aquela estilingada, mas, na hora de ultrapassar, ficava para trás – mesmo com a ajuda da asa móvel.

Estratégia: o GP da Espanha foi definido nos acertos e, principalmente, nos erros nos boxes (Foto: divulgação / Red Bull Racing)
O GP da Espanha foi definido nos acertos e, principalmente, nos erros nos boxes (Foto: divulgação / Red Bull Racing)

É aí que a estratégia entra novamente. A Mercedes chamou Hamilton para a segunda parada mais cedo do que o esperado. Novamente com pneus médios, o inglês tinha muito mais desempenho para fazer o undercut – indo muito mais rápido e ficando à frente do adversário após o pit dele.

Verstappen poderia – ou, talvez, deveria – parar logo em seguida, neutralizando a estratégia adversária. Tentou o oposto: o overcut, ficando muito mais tempo na pista com os mesmos pneus. Apostou menos no Hamilton sendo rápido, mas mais que o inglês voltaria a ter dificuldade em ultrapassar o holandês nas voltas finais.

Não deu certo. Muito porque Max tinha pneus detonados ao apagar das luzes do GP. É aí que entra outro problema do atual regulamento: com o DRS, a asa móvel, ultrapassar nesse tipo de circunstância (borrachas novas contra borrachas velhas) fica artificialmente muito fácil.

Vitória de Lewis Hamilton.

A temporada de 2021 permanece boa na disputa pelo título. Porém, as circunstâncias do atual regulamento – e o excesso de peso da estratégia dentro disso, inclusive com essa – estão os impedindo de ver uma disputa maior em pista, com mais igualdade de condições.

Todo mundo sai perdendo com isso.

Dessa forma, Lewis Hamilton já abre 14 pontos na liderança do campeonato: 94 contra 80 de Max Verstappen. Vai ficando mais fácil do que deveria.

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect