Siga-nos

Análise

McLaren: uma laranja doce e a outra azeda

Norris largará na 2ª posição para o GP da Áustria, enquanto Ricciardo sairá da 13ª colocação; essa é quarta vez em nove etapas que o australiano sequer avança ao Q3, mas agora levando um verdadeiro baile do companheiro

Daniel Ricciardo, McLaren, GP da Áustria 2021,
(Foto: Reprodução/Twitter/@McLarenF1)

A McLaren experimentou neste sábado (3) uma laranja doce e outra azeda na classificação para o GP da Áustria de Fórmula 1. Se Lando Norris fez o segundo melhor tempo, atrás apenas de Max Verstappen, o dono da casa no Red Bull Ring; Daniel Ricciardo deu mostras mais uma vez de que não está nada à vontade e levou outro baile do companheiro de equipe.

A largada para a nona eta do Mundial acontece neste domingo, às 10 horas (de Brasília), com ao vivo e tempo real do GRANDE PRÊMIO.

Norris talvez tenha feita até um pouco mais do que a McLaren esperava, com 0s048 de diferença para Verstappen, com 1min03s720 — as Mercedes, por exemplo, sairão da quarta e da quinta colocação com Lewis Hamilton e Valtteri Bottas. Nem por isso, Ricciardo poderia acabar a sessão ainda no Q2, com 1min04s719 e, pior do que isso, repetir a péssima 13ª colocação, já que essa foi a posição dele também no GP da Estíria.

Uma prova de que as coisas estão bem ruins para o #3 é que essa foi a quarta vez em nove classificações que ele sequer avançou para o Q3. A percepção é que o australiano andou para trás, já que as melhores posições de largada foram os sexto lugar do Bahrein e da Emília Romanha, nas duas primeiras provas do ano. A partir do meio do grid, tudo fica mais difícil para um bom resultado na corrida e, também por isso, os resultados não aparecem facilmente.

Lando Norris, McLaren,
Norris foi para o Q3 em todas as nove sessões de classificação na F1 2021 (Foto: Reprodução/Twitter/@McLarenF1)

Em princípio, mesmo o chefe de equipe, Zak Brown, tratou de ignorar a má colocação de Ricciardo, com quem também tem muito carinho, para comemorar a conquista do pupilo. Em sua conta no Twitter, Brown chegou a definir Norris como “o cara” e, depois, em entrevista, disse que o time “está no caminho certo”.

A expectativa era que três semanas seguidas de corrida (França, Estíria e Áustria) dessem ao hoje nem tão sorridente piloto um pouco mais de manha do carro. Recém-chegado à equipe, era natural que ele tivesse dificuldade no começo. Os pontos ruins, no entanto, são três: não era para demorar tanto para se adaptar, não era para andar tão mal assim e, por último, e aí, longe de qualquer culpa, não era para o companheiro de equipe brilhar tanto.

Evidentemente que Norris não tem nada a ver com isso e fez a sua parte. O jovem piloto, que pontuou em absolutamente todas as corridas até aqui e que sempre avançou para a parte decisiva da classificação, aproveitou o mar de incentivo a Max e colocou o seu carro igualmente laranja na primeira fila. Assim que saltou do MCL35M, empurrado por motor Mercedes, é bom que se diga, o #4 sim era só sorriso na entrevista oficial.

“Acho que foi épico. Isso é legal”, começou o inglês de 21 anos. “Foi provavelmente uma das melhores voltas que fiz na vida, o que põe a gente em uma ótima posição para este domingo.” 

Do outro lado da garagem, Ricciardo, experiente aos 31 anos, sabe que tem muito a melhorar. Nenhum piloto com sete vitórias na categoria pode ser desprezado, tampouco está livre de críticas.

Leia mais:

+ Max Verstappen x Nico Rosberg

+ As notas do GP da Estíria

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect